XII Encontro da SBPMat: expectativas superadas.


Com um clima agradável, a cidade de Campos do Jordão recebeu, entre os dias 29 de setembro e 3 de outubro, cerca de 1.400 pesquisadores e estudantes da área de Ciência e Tecnologia de Materiais que participaram do XII Encontro da SBPMat. O evento apresentou um aumento na sua abrangência internacional e nacional com relação a 2012, com inscrições provenientes de 25 países dos continentes americano, europeu, africano e asiático e 24 estados brasileiros pertencentes às cinco regiões do país.

Coordenada pelos professores José Alberto Giacometti e Julio Ricardo Sambrano, esta edição do encontro anual da SBPMat contou com 16 simpósios, sete palestras plenárias e um painel de debate composto por empresários brasileiros e estadunidenses e um representante do Instituto Fraunhofer. O evento também abrigou o encontro do clube Humboldt e teve uma exibição com 30 estandes.

“A nossa expectativa com relação ao encontro deste ano era muito boa porque tínhamos uma equipe organizadora muito bem montada, mas o encontro foi além de nossas expectativas”, diz o professor Roberto Mendonça Faria, presidente da SBPMat. Faria destaca a boa distribuição, infraestrutura e conforto do local do evento (o Campos do Jordão Convention Center),  a envergadura dos palestrantes das plenárias e a qualidade e quantidade (cerca de 1.800) dos trabalhos apresentados. “Esta não é apenas a minha opinião, mas também representa o retorno que temos recebido dos participantes”, comenta o professor. “Sem dúvida, este evento fortaleceu a nossa sociedade”, finaliza.

A programação iniciou e finalizou com homenagens instituídas pela SBPMat para dois pioneiros da pesquisa em Materiais no Brasil, Joaquim Costa Ribeiro e Bernhard Gross. Na abertura, que contou com a presença de autoridades científicas como o presidente da Materials Research Society (MRS), professor Orlando Auciello, o professor Elson Longo apresentou a Palestra Memorial Joaquim Costa Ribeiro. Já a cerimônia de encerramento contou com a entrega do Prêmio Bernhard Gross aos melhores trabalhos apresentados por estudantes em cada simpósio e ao melhor trabalho de todo o encontro.

Além disso, durante o evento, a SBPMat oficializou um acordo com a MRS que disponibiliza aos sócios da SBPMat as publicações eletrônicas da MRS; criou o programa de seções universitárias (university chapters) dentro da SBPMat e aprovou um contrato com o Institute of Physics (IoP) para a confecção e distribuição de uma publicação que fará o levantamento de toda a pesquisa em Materiais feita no Brasil.

Agradecimentos

O comitê organizador do XII Encontro da SBPMat aproveita para agradecer os organizadores dos simpósios e todos que colaboraram para avaliar trabalhos e realizar outras tarefas; em especial, os estudantes da Universidade Federal Paulista (Unifesp) pela ajuda prestada à organização do XII Encontro, os plenaristas, os convidados de cada simpósio e os outros apresentadores de trabalhos que compareceram ao XII Encontro.

O comitê também presta homenagem ao professor Elson Longo por ter sido agraciado com a Palestra Memorial Joaquim Costa Ribeiro, aos estudantes que foram premiados com o melhor trabalho de cada simpósio e ao estudante que recebeu o prêmio de melhor trabalho do encontro.

XIII Encontro da SBPMat

O próximo encontro anual da sociedade será realizado em João Pessoa (PB), no Centro de Convenções, de 28 de setembro a 2 de outubro de 2014. A chamada para propostas de simpósio está aberta a toda a comunidade científica.

Veja a galeria de fotos do encontro, com imagens de alguns momentos representativos:

Cincopa WordPress plugin

Veja mais fotos do evento em nosso Facebook.

 Participou do XII Encontro da SBPMat? Deixe seu comentário.

Boletim SBPMat – edição 13 – setembro 2013.


 

Edição nº 13 – Setembro de 2013

Saudações,

XII Encontro da SBPMat: a poucos dias do evento!

  • Você ainda não fez sua inscrição? Pode fazê-la no local no evento, nos horários que constam na programação.
  • No final do encontro serão entregues os Prêmios Bernhard Gross, que distinguirão os melhores trabalhos de estudantes apresentados nos simpósios. Saiba mais.
  • No dia 30/9, não perca a mesa redonda sobre ciência, engenharia e comercialização de dispositivos industriais, eletrônicos e biomédicos. Os sete membros da mesa, do Brasil e do exterior, apresentarão brevemente suas experiências de criação de empresas, licenciamento de patentes, desenvolvimento de produtos etc. Saiba mais.
  • No dia 1/10, estudantes estão convidados a participar de uma reunião com os presidentes da MRS e da SBPMat sobre a formação de University Chapters da MRS. Saiba mais.
  • No dia 2/10, a reunião será com um representante do Institute of Physics (IOP), sobre seus programas e publicações. Saiba mais.

Veja a programação completa, mapas, plantas, resumos etc. no livro programa.

Faça aqui a busca de trabalhos e sessões.

XIII Encontro da SBPMat: chamada de propostas de simpósios.

A edição de 2014 do evento já tem local e data. E lançamos a chamada de propostas de simpósios. Saiba mais.

Parabéns, Boletim da SBPMat!

O boletim completou 1 ano de existência. Veja as matérias mais lidas até o momento e deixe seu comentário, opinião ou sugestão. Aqui.

Dicas de leitura

Gente da nossa comunidade

  • O professor Reginaldo Muccillo, diretor administrativo da SBPMat, foi eleito acadêmico da World Academy of Ceramics. Aqui.

Novidades do meio acadêmico internacional

  • Nanocristais: medidas termodinâmicas e cinéticas mostram efeitos dependentes do tamanho na transformação de fases (com base em paper da Nature Materials). Veja.
  • Células solares de perovskita em forma de filmes finos são eficientes e baratas e podem concorrer com as de silício (com base em paper da Nature). Veja.
  • Novo material: OLED ultra esticável, dobrável e torcível (com base em paper da Nature Photonics). Veja.
  • Os fatores de impacto 2012 da  área de Materiais: o desempenho de periódicos da editora Wiley. Veja. 

Oportunidades

  • Abertas as inscrições para o V Curso Teórico-Prático de Microscopia Eletrônica de Transmissão do LNNano. Aqui.
  • Concurso para professor da UFF em Química Inorgânica. Aqui.

Próximos eventos da área

  • 8th International Conference on High Temperature Ceramic Matrix Composites (HTCMC-8). Aqui.
  • Graphene Brazil 2013. Aqui.
  • Humboldt Kolleg 2013 – Sciences and technology in contemporary life: impacts and horizons. Aqui.
  • XII Encontro da SBPMat. Aqui.
  • University Chapters meeting: open for all students. Aqui.
  • Meeting with the Institute of Physics. Aqui.
  • II Workshop Polimorfismo e Nanofármacos. Oportunidades, tendências e desafios na indústria farmacêutica. Aqui.
  • 4th International Congress on Alternative Energies and 1st International Meeting of the IPN Energy Network. Aqui.
  • International Polysaccharide Conference (EPNOE 2013). Aqui.
  • III ENBRAER. Encontro Brasileiro de Espectroscopia Raman. Aqui.
  • “I Reunión Latinoamericana de Cristalografía”, ” IX Reunión Anual de la Asociación Argentina de Cristalografía” e eventos satélite. Aqui.
  • 6º Congresso Internacional de Electrocerâmica. Aqui.
  • 10º Encontro Brasileiro sobre Adsorção. Aqui.
  • 13th International Conference on Modern Materials and Technologies (CIMTEC 2014). Aqui.
  • 19th International Conference on Ion Beam Modification of Materials. Aqui.

Veja a agenda de eventos.

Nosso perfil no TwitterNossa página no Facebook
Para divulgar novidades, oportunidades, eventos ou dicas de leitura da área de Materiais, escreva para comunicacao@sbpmat.org.br.

Descadastre-se caso não queira receber mais e-mails.

 

 

XII Encontro da SBPMat: cerca de 1.500 inscritos até o momento!


Convention Center – o local do evento em Campos do Jordão. Foto: José Cláudio G. Martins.

O XII Encontro da SBPMat, que ocorrerá de 29 de setembro a 3 de outubro em Campos do Jordão (SP), conta, até o momento, com quase 1.500 inscritos, provenientes de 22 países diferentes. Do Brasil, estão representadas as cinco regiões por meio de 24 estados. As inscrições permanecem abertas até o último dia do evento.

Nas sessões orais e de pôsteres que ocorrerão no contexto dos simpósios, mais de 1.700 trabalhos devem ser apresentados. Essas sessões incluem tanto temas já estabelecidos quanto áreas emergentes da pesquisa em Materiais : materiais para eletrônica e fotônica, materiais para energia, biomateriais, nanomateriais, estruturas supramoleculares, materiais orgânicos, técnicas de caracterização, teoria e simulação, entre outros temas.

Além das apresentações dos simpósios, a programação científica do evento anual da SBPMat oferece, neste ano, sete palestras plenárias com cientistas destacados internacionalmente. Os palestrantes apresentarão resultados, perspectivas, desafios e o estado da arte dos temas em que são especialistas: memórias não voláteis, modelagem de nanomateriais, materiais termoelétricos, OLEDs para iluminação ultraeficiente, condutividade iônica de materiais cristalinos, óxidos metálicos multifuncionais e materiais para energias renováveis.

O encontro também contará com a palestra memorial “Joaquim Costa Ribeiro” do professor Elson Longo, uma mesa redonda sobre inovação na indústria brasileira, uma exposição com 30 estandes exibindo instrumentos, serviços e produtos para a comunidade de Materiais e a entrega do prêmio “Bernhard Gross”, que distinguirá os melhores pôsteres dos simpósios.

Veja a programação.

Um cantinho de Campos do Jordão.

Mensagem do coordenador do XII Encontro da SBPMat, professor José Alberto Giacometti (Instituto de Física de São Carlos – USP):

O XII Encontro, de 29 de setembro a 3 de Outubro de 2013, será uma excelente oportunidade para congregar pesquisadores de 24 estados brasileiros e de 22 países, estimulando a troca de informações e a cooperação de pesquisas em diferentes áreas da ciência e tecnologia de materiais.

Reitero o convite, a todos os pesquisadores e alunos que ainda não fizeram, a realizar a sua inscrição para participar do nosso encontro na agradável cidade de Campos do Jordão (SP).

Na próxima semana divulgaremos a programação final do evento.

Aproveito para agradecer a todos os colegas que enviaram os seus trabalhos e parabenizar os Comitês Organizadores e os Coordenadores dos Simpósios do XII Encontro pela conclusão de mais essa etapa de organização do evento.

Atenciosamente,         José Alberto Giacometti (Coordenador do Encontro)

Interviews with plenary lecturers of the XII SBPMat Meeting: Mercouri G. Kanatzidis (Northwestern University – USA).


About two-thirds of all used energy is lost as waste heat. Bulk thermoelectrics (materials that can directly convert temperature differences to electric voltage and vice-versa) can improve this current situation by transforming some of the waste heat into useful electricity, but, in most cases their conversion efficiency is not sufficient to allow for commercial use. This efficiency is related to the ability of electrons to traverse the materials as they are excited by heat and to phonon scattering, and it is measured by the so-called ZT values (the higher a material’s ZT, the higher its conversion efficiency).

Efforts have been made to enhance the efficiency of thermoelectric materials, mainly by nanostructuring them. In his plenary talk at the XII SBPMat Meeting, professor Mercouri Kanatzidis (Northwestern University, USA) will present his panoscopic approach to highly efficient thermoelectrics. This approach considers not only the nanostructure of the material but also its mesoscale architecture. Using this strategy, professor Kanatzidis and his collaborators developed the top-performing thermoelectric system at any temperature, a lead telluride (PbTe) – based material. The achievement was published in the journal Nature in September 2012 (doi:10.1038/nature11439). The speaker will also address in his talk the substitution of tellurium by sulfur or selenium in thermoelectric materials for cost reduction.

Professor Kanatzidis obtained his BSc from Aristotle University (Greece) and his PhD in chemistry from the University of Iowa. He was a University Distinguished Professor of Chemistry at the Michigan State University before moving to the Northwestern University, where he heads a research group focused in solid-state inorganic chemistry. Mercouri is also the editor-in-chief of the Journal of Solid State Chemistry and Senior Scientist at the Materials Science Division of the Argonne National Laboratory.

See below our interview with the lecturer.

SBPMat: – Could you exemplify some possible concrete applications of high-performance thermoelectric materials in daily life? In your opinion, how far is the real use of thermoelectric materials from the state-of-the-art?

Mercouri Kanatzidis (M.K.):  – Thermoelectric materials can be applied to internal combustion engines to help harvest exhaust heat and generate electricity that can be applied to the vehicle’s electrically driven devices. This will raise the overall efficiency of the vehicle. There is a staggering amount of energy in exhaust heat of a fossil fuel powered engine. Major auto companies in the US, Germany and Japan are actively developing this technology. Depending on the price of oil, government regulations and cost of the technology the implementation of thermoelectric materials in autos, trucks, etc may take anywhere from a couple of years to decades.

SBPMat: – Which are the thermoelectrics´ next challenges for materials science and engineering?

M.K.: – The current state of performance of thermoelectric materials is adequate for commercial applications. The next challenges lie in the fabrication of actually thermoelectric modules and devices that will pass the necessary testing before final application. Challenges such as long term stability, low cost assembly and fatigue testing need to be addressed.

SBPMat: – Can you share with us, very briefly, the story of the genesis of your panoscopic approach to highly efficient thermoelectric materials?

M.K.:  – About ten years ago we had a novel material composition which had two unlikely characteristics. It had a very high electrical conductivity and thermoelectric power combined with surprisingly low thermal conductivity. The thermal conductivity was lower than theory could explain. This material was first of its kind (referred to as LAST for lead, antimony, silver, tellurium) at that time to display a breakthrough ZT of 1.6, nearly double of the then state of the art. Because of this we delved deeply onto its “guts” using transmission electron microscopy in collaboration with Professors Polychroniadis and Frangis of the University of Thessaloniki in Greece. A few months after they received the samples they reported to us on their findings with a somewhat disappointing note saying that the materials were very complex and inhomogeneous on the nanoscale, therefore impure. In discussions I detected reluctance to deal with the material again. They did. In my lab however we immediately recognized that this very inhomogeneity and the nanoscale precipitates it contained was the root cause of the surprisingly very low thermal conductivity and the very high ZT. This was consistent with theoretical predictions emerging at the time that nanoscale precipitation in a matrix can result in great reduction in thermal conductivity. So we got very excited. We had discovered nanostructuring in thermoelectrics. After our paper appeared in Science in 2004, the thinking of the thermoelectrics community quickly shifted from pursuing single phase materials to focusing on more complex two-phase nanostructured materials. Now the great majority of activity in the community is in nanostructured materials.

The new paradigm led to additional breakthroughs such as how to design and synthesize nanostructured materials, and to higher ZT as well. The panoscopic approach was realized when we were challenged to create two-phase materials that did not degrade electronic transport through them. While matrix of a thermoelectric material with a small amount of a second phase in it can achieve unprecedented levels of low thermal conductivity, it nevertheless is an “impure system” and electrons transported through such a medium know this. Thus, in most cases the second phase degrades the electrical properties and higher ZTs are not realized.

State of the art thermoelectric: (a) A mesoscaled granular composite of broad range of grain sizes to scatter long mean free path phonons. (b) Wwithin a single grain a ubiquitous nanostructuring is in place of a second phase that scatters short and intermediate mean free path phonons. The (a)/(b) combination results in a very low levels of thermal conductivity.

My group members Kanishka Biswas and Lidong Zhao and our collaborators Ctirad Uher and Vinayak Dravid noticed that when SrTe was added to p-type PbTe in as much as 2-4% concentration the hole carriers were behaving as if no SrTe was there. The explanation to this puzzle came from the recognition which was backed by theoretical calculations that the conduction bands in PbTe and SrTe were similar in energy and the holes as a result could traverse the SrTe nanoparticles with no scattering. This led to the concept to band alignment between matrix and second phase. The PbTe-SrTe material with its nanostructuring and band alignment was another material with ZT~1.7. As we realized that different ZT improving mechanisms could be integrated in a single system without the effect of one interfering with those of the other, we extended our approach to trying to integrate all possible mechanisms. We managed to properly introduce electronic band engineering for thermoelectric power enhancement and mesoscale engineering for further reduction on the thermal conductivity to reach the point we now are a record breaking ZT of 2.2. This is very exciting and bodes well for further breakthroughs in the near future.

SBPMat: – Feel free to leave any other comments about your plenary lecture for our readers.

M.K.: – My lecture will be aimed at reaching the broad but scientifically informed audience at the meeting to outline the current state and thinking in the field of thermoelectrics.

See the abstract of Mercouri Kanatzidis plenary lecture “Electrical power from heat: All-scale hierarchical thermoelectrics with and without earth-abundant materials”.

See Professor Kanatzidis biographical sketch.

Simpósios do XII Encontro da SBPMat: mais de 1.800 trabalhos submetidos e cerca de 1.500 já aprovados.


Entre os dias 24 e 30 de junho está sendo finalizado o envio das notificações de aceite e correção dos trabalhos submetidos pela comunidade de pesquisa em Materiais aos simpósios do XII Encontro da SBPMat.

De acordo com os dados processados até o momento (27/06/13), foram 1.874 trabalhos recebidos para avaliação, dos quais 1.496 já foram aceitos. Cerca de 200 trabalhos estão sendo modificados por seus autores, por recomendação dos pareceristas, para serem novamente avaliados. O prazo para modificação dos trabalhos corrigidos acaba neste domingo, dia 30 de junho.

Alguns simpósios contaram com mais de 150 trabalhos submetidos: o C, sobre síntese e propriedades de materiais nanométricos (356 trabalhos); o D, sobre materiais e dispositivos para energia renovável, sustentabilidade e proteção ambiental (203 submissões), o P, dedicado à apresentação de painéis de temas não contemplados nos outros simpósios (187 trabalhos) e o H, sobre biomateriais e nanomateriais para biossistemas (181 trabalhos).

Os trabalhos aprovados para os simpósios J, K e M (Damage Inspection – Techniques and Applications, X-ray Tomography and Radiography Imaging e Electron Microscopy: from micro to nanoanalysis) serão apresentados no evento dentro de um único simpósio.

Vale lembrar que, no encontro deste ano, serão premiados os melhores painéis de cada simpósio apresentados por estudantes de pós-graduação ou graduação, considerando a qualidade dos resumos, contribuição científica, qualidade dos painéis e apresentação.

Minientrevistas com palestrantes do XII Encontro da SBPMat: Douglas Soares Galvão (Unicamp).


O professor Douglas Soares Galvão (divulgação).

Douglas Soares Galvão é mestre e doutor pelo Instituto de Física Gleb Wataghin da Unicamp, aonde ingressou como professor em 1990. Na graduação, formou-se, também em Física, pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). Realizou trabalhos de pós-doutoramento nos Estados Unidos, na empresa de pesquisa e desenvolvimento em telecomunicações Bell Communications Research e na Universidade de Princeton. É autor de mais de 160 artigos publicados em periódicos indexados, totalizando aproximadamente 3.800 citações.

Na palestra plenária do XII Encontro da SBPMat, o pesquisador falará sobre desafios e perspectivas da modelagem de nanomateriais num contexto de problemas e demandas surgidas da nanotecnologia. Em particular, Galvão abordará propriedades mecânicas incomuns de materiais a base de carbono na escala nano, o aproveitamento dessas propriedades para criar macromateriais funcionais e a formação espontânea de estruturas metálicas complexas que só podem existir na nanoescala – assuntos tratados em artigos científicos de sua autoria que foram publicados em revistas científicas de alto impacto como a Science e a Nature Nanotechnology.

Segue uma minientrevista com o palestrante.

Boletim da SBPMat (B. SBPMat): – Qual é a importância da modelagem na nanociência e na nanotecnologia? Quais papéis essa modelagem está cumprindo atualmente?

Nanofios de ouro e prata.

Douglas Soares Galvão (D.S.G.): – Com os avanços recentes na parte de hardware e software e a redução dos preços dos computadores, a modelagem se tornou hoje uma ferramenta importante na área de Materiais, em particular para nanomateriais. É possível hoje construir modelos confiáveis que permitem evitar testes desnecessários nos laboratórios, consequentemente reduzindo os custos e o tempo para produzir novos produtos e/ou materiais.

B. SBPMat: – Comente particularidades da interação do pesquisador experimental e o teórico na área de nanomateriais. Há muitos pesquisadores no Brasil e no mundo trabalhando com modelagem de nanomateriais?

D.S.G.: – É de fundamental importância. Infelizmente no Brasil ainda não existe uma tradição consolidada dessas interações, principalmente quando envolve parceiros industriais. O número de grupos no Brasil ainda é pequeno, mas está crescendo rapidamente. No mundo é uma área em forte expansão.

B.SBPMat: – Comente sobre a evolução das ferramentas computacionais para se adaptarem à escala nano.

D.S.G.: A escala nano coloca novos desafios para a modelagem. Nós temos muito boas ferramentas para a escala atômica e para as escalas meso e macroscópica. Na escala nano algumas dessas ferramentas não funcionam bem; o desafio agora é construir e/ou adaptar essas ferramentas para a escala nano. Algumas vezes isso não é fácil.

B.SBPMat: – Na sua avaliação, quais são os principais desafios na área de modelagem de nanomateriais?

D.S.G.: – O grande desafio é construir modelos que permitam projetar o uso de nanomateriais para aplicações multifuncionais em macroescala. Um dos problemas em que estamos muito interessados é o de construir modelos para explicar como fibras de nanotubos de carbono funcionam como músculos artificiais.

Veja o resumo da palestra plenária do professor Douglas Soares Galvão.

Serpentinas de carbono (capa da Physical Review Letters).

 

Osciladores de nanotubos de carbono (capa da Physical Review Letters.

Minientrevistas com palestrantes do XII Encontro da SBPMat: Elson Longo da Silva (Unesp).


O professor Elson Longo. Crédito: divulgação.

Elson Longo é professor da pós-graduação na Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (Unesp) e Professor Emérito da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar). Coordena o Centro Multidisciplinar para o Desenvolvimento de Materiais Cerâmicos (CMDMC) e o Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia dos Materiais em Nanotecnologia (INCTMN).

Químico formado pela Unesp em 1969, com mestrado e doutorado em Físico-Química pela Universidade de São Paulo (USP), Longo conta com mais de 780 artigos publicados em revistas internacionais, que totalizam mais de 11.180 citações. O professor já foi orientador de mais de 50 mestres e mais de 60 doutores enquanto professor da UFSCar (1989-2005) e da Unesp (a partir de 2005).

Da sua carreira como pesquisador da área de Materiais, Longo destaca uma série de contribuições realizadas nos últimos vinte anos: varistores a base de óxido de zinco, óxido de estanho e titanato de cálcio e cobre; sensores; materiais fotoluminescentes a base de titanatos e tungstato; filmes finos ferroelétricos para utilização em memórias, e materiais fotodegradadores (materiais semicondutores). Também na área de Materiais, Longo participou, junto a empresas da indústria de refratários e siderúrgica, do desenvolvimento de novos tipos de refratários, pisos e azulejos e de cerâmica artística.

É membro titular da Academia Brasileira de Ciências, empossado neste ano, membro da Academia de Ciências do Estado de São Paulo e membro da Academia Internacional de Cerâmica (World Academy of Ceramics).

Atualmente é membro do Conselho da SBPMat. Foi presidente da sociedade de 2004 a 2005.

No XII Encontro da SBPMat, Longo será honrado com a Palestra Memorial “Joaquim Costa Ribeiro”, na qual falará sobre a evolução da pesquisa em Materiais no Brasil.

Segue uma breve entrevista com o palestrante.

Boletim da SBPMat (B.SBPMat): – O senhor tem vasta experiência em projetos realizados junto a empresas. O que teria a comentar sobre a relação da área de Materiais e a indústria no Brasil nesses 40 anos de Engenharia de Materiais? A inserção de engenheiros de Materiais na indústria tem ajudado a melhorar a qualidade, variedade e valor agregado dos produtos brasileiros?

Elson Longo(E.L.): – A área de Materiais evoluiu sobremaneira após a fundação e consolidação da primeira turma de Engenharia de Materiais da UFSCar. Este curso criou no país novas perspectivas para a indústria de um modo geral, pois contemplava três áreas extremamente carentes de especialistas: cerâmica, polímeros e compósitos. Na área de metais já existiam os engenheiros especializados formados em diferentes universidades do país. Vamos tomar somente dois exemplos: a indústria de refratários prosperou e tornou-se competitiva internacionalmente, o mesmo ocorrendo para a indústria de polímeros. Os produtos brasileiros são competitivos no mercado nacional e internacional em função do trabalho dos engenheiros de Materiais e demais categorias de engenharia que trabalham em consonância.

B.SBPMat: – Na sua visão, quais os principais resultados da evolução da formação de recursos humanos na área de Materiais nesses 40 anos no Brasil?

E.L.: – Mais importante que a formação de recursos humanos foi a estruturação de cursos de Engenharia de Materiais em nível de graduação e pós-graduação. Estes cursos hoje estão homogeneamente distribuídos pelo país beneficiando sobremaneira a nossa indústria.

B.SBPMat: – Como você consegue manter uma produtividade científica tão alta e com tantas citações?

E.L.: – A nossa produtividade é fruto de um trabalho em equipe que envolve pesquisadores de São Paulo, Rio Grande do Sul, Paraná, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Goiás, Brasília, Sergipe, Paraíba, Rio Grande do Norte, Piauí, Maranhão e Pará. Devo destacar também as interações internacionais que proporcionam grandes oportunidades ao grupo de mostrar o nosso trabalho para a comunidade internacional.

B.SBPMat: – Enquanto participante ativo da história da SBPMat, o que você destacaria dos onze anos de existência da sociedade?

E.L.: – O principal ponto da SBPMat é a harmonia que existe entre os pesquisadores de todos os níveis e a saudável troca de informação entre os mesmos. Por outro lado, a SBPMat desde sua origem tem uma forte participação dos pesquisadores do exterior, o que a coloca na vanguarda do conhecimento.

Informações sobre a palestra de Elson Longo no XII Encontro da SBPMat
Título: “Evolução da pesquisa em Materiais no Brasil”
Resumo: Desde a fundação do curso de Ciência dos Materiais na UFSCar, São Carlos (SP), o país vem evoluindo de modo constante nesta área de conhecimento. É importante ressaltar que esse curso catalisou pesquisadores de Engenharia, Química e Física para o desenvolvimento de materiais cerâmicos, poliméricos e compósitos. Por outro lado, houve também uma ampliação dos cursos de Materiais a nível de graduação e pós graduação, o que contribuiu enormemente para o desenvolvimento da área. Com essa nova estrutura, houve a necessidade da criação da Sociedade Brasileira de Materiais, que vem evoluindo de modo positivo ao longo dos últimos 10 anos.
Quando: 29 de setembro (domingo) das 20h00 às 21h00, após a abertura do evento e antes do coquetel.

XII Encontro da SBPMat: “Memorial Lecture Joaquim Costa Ribeiro” honrará Elson Longo.


Elson Longo da Silva: o próximo homenageado com a palestra memorial da SBPMat.

Desde 2011, a SBPMat outorga, anualmente, uma distinção a um pesquisador de carreira destacada na área de Materiais, quem profere uma palestra durante o encontro anual da sociedade. O nome desse ato é “Memorial Lecture Joaquim Costa Ribeiro”, em homenagem a esse pioneiro da pesquisa experimental em Materiais no Brasil.

Neste ano, o pesquisador honrado será o professor Elson Longo, que ministrará sua palestra na abertura do evento, no dia 29 de setembro, no Convention Center de Campos do Jordão (SP). O professor Longo foi um dos fundadores da SBPMat e um de seus primeiros presidentes.

A honraria já foi outorgada, em anos anteriores, aos professores Sergio Machado Rezende e Sergio Mascarenhas Oliveira.

Chamada de propostas de simpósios prorrogada até 23 de novembro.


Está aberta até o dia 23 de novembro a chamada de propostas de simpósios para o XII Encontro da SBPMat. O evento será realizado em Campos do Jordão, no Convention Center, de 29 de setembro a 3 de outubro de 2013.

As propostas de simpósios para o evento de 2013 podem ser apresentadas por qualquer pessoa com título de doutor ligada a uma instituição de ensino e/ou pesquisa do Brasil ou do exterior. Todos os temas da área de Ciência e Engenharia de Materiais podem ser objeto de uma proposta de simpósio. Cada simpósio deverá formar um comitê científico para avaliar os trabalhos submetidos.

Interessados em propor simpósios devem preencher o formulário disponível no site da SBPMat e enviá-lo, por correio eletrônico, para o e-mail secretaria@sbpmat.org.br até o dia 23 de novembro de 2012. As propostas apresentadas serão avaliadas pela Comissão de Eventos da SBPMat, juntamente com os organizadores do XII Encontro, e submetidas à diretoria da Sociedade.

Os simpósios temáticos são, tradicionalmente, um eixo importante da programação dos eventos anuais da SBPMat. O encontro realizado em setembro deste ano contou com 16 simpósios, que tiveram 1.817 trabalhos aceitos para apresentações orais e pôsteres.

Formulário de proposta de simpósio para download: http://www.sbpmat.org.br/12encontro/formulario_proposta_simp_sbpmat2013.docx