Homenagem do sócio Aldo F. Craievich a Ricardo D. Rodrigues, dois anos após o seu falecimento.


Ricardo D. Rodrigues (1951-2020). Excepcional ser humano e verdadeiro polímata.

 

Ricardo Rodrigues (cortesia de Liu Lin) e o Sirius (divulgação CNPEM).
Ricardo Rodrigues (cortesia de Liu Lin) e o Sirius (divulgação CNPEM).

Antonio Ricardo Droher Rodrigues (Ricardo para seus colegas e amigos) faleceu há dois anos, em 3 de janeiro de 2020. Ricardo liderou os projetos e as construções das duas fontes de luz sincrotron do Laboratório Nacional de Luz Síncrotron (LNLS), entidade pertencente na atualidade ao Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais (CNPEM), Campinas – SP.

Ricardo graduou-se como Engenheiro Civil em 1974 na Universidade Federal do Paraná, Curitiba-UFPR), iniciou suas atividades científicas em 1974 no Grupo de Ótica de Raios X do Departamento de Física da UFPR e realizou seu doutorado em Física, desde 1976 a 1979, no King’s College da University of London, Reino Unido. No seu trabalho de tese “X-ray optics for synchrotron radiation” Ricardo propôs e caracterizou monocromadores de raios X de dois cristais quase paralelos para supressão de componentes harmônicos, que são hoje utilizados em muitos laboratórios de luz síncrotron do mundo. Em 1977 ele realizou os testes desses monocromadores em Hasylab (Hamburg), sendo assim o primeiro brasileiro que foi usuário de uma fonte de luz síncrotron.

Logo depois de seu retorno ao Brasil em 1981, Ricardo participou ativamente no Projeto Radiação Síncrotron (PRS/CNPq) desenvolvido no Centro Brasileiro de Pesquisas Físicas (CBPF), Rio de Janeiro, desde 1980 a 1985. O PRS foi o projeto precursor que conduziu à criação do LNLS. Como parte das atividades do PRS, um grupo de cientistas brasileiros liderado por Ricardo fez um estágio de três meses no Stanford Synchrotron Radiation Lightsource (SSRL), em Stanford, USA, durante o qual elaboraram o primeiro projeto de fonte de luz brasileira, que foi depois o projeto inicial do LNLS.

Logo depois de ser criado o LNLS em 1986 em Campinas, Ricardo foi designado Chefe de Projeto. Durante um período total de 10 anos ele implantou a infraestrutura básica inicial, formou os jovens técnicos e engenheiros de sua equipe e desenvolveu as diversas ações que conduziram à construção e bem-sucedido funcionamento da primeira fonte de luz do LNLS – com energia dos elétrons de 1,37 GeV – denominada UVX. A construção da fonte UVX foi completada em 1996 e aberta a pesquisadores externos do Brasil e do exterior em julho de 1997, oferecendo-se assim aos usuários de numerosas áreas da ciência uma instrumentação moderna que existe hoje em poucos países do mundo. Nessa época a fonte UVX era a única fonte de luz síncrotron do Hemisfério Sul, e ainda hoje o LNLS é o único Laboratório Nacional dotado de uma fonte de luz síncrotron na América Latina. As qualidades de clara liderança, extrema dedicação e indiscutível competência tanto científica quanto técnica do Ricardo foram de fundamental importância para o desenvolvimento da primeira fonte de luz sincrotron brasileira. Além do papel decisivo do Ricardo na construção da primeira fonte de luz do LNLS, ele participou ativamente também no desenvolvimento de nova instrumentação científica para várias linhas de luz. A fonte UVX funcionou satisfatoriamente e foi utilizada durante 22 anos, até 2019, por mais de 6.000 pesquisadores principalmente brasileiros e de também de outros países.

No ano de 2001, já com a fonte UVX funcionando de forma rotineira, Ricardo decidiu se afastar do LNLS e criou em Campinas a empresa Skedio Tecnologia, na qual iniciou a produção de instrumentação industrial de precisão e dispositivos de interesse artístico. Permaneceu nessa empresa até 2009, quando recebeu e aceitou convite da diretoria do LNLS para voltar a essa instituição e enfrentar o segundo grande desafio de sua carreira profissional: o projeto e construção da segunda fonte de luz síncrotron brasileira.

A partir de 2009 Ricardo assumiu a função de Líder do Projeto Sirius com a missão de projetar e construir uma fonte de luz sincrotron de quarta geração com energia de elétrons de 3 GeV e com qualidades de emissão de luz muito superiores às da fonte UVX. Nessa época, a única fonte no mundo dessa excepcional qualidade estava em fase de projeto na Suécia. A construção desta nova e moderna fonte apresentou numerosos desafios de engenharia sem precedentes no Brasil nem no exterior. Contudo, Ricardo e sua equipe venceram esses desafios aplicando em muitos casos tecnologias brasileiras. Assim, o primeiro feixe de raios X produzido pela fonte Sirius com a energia nominal de 3 GeV foi emitido em dezembro de 2019. A fonte de luz Sirius é a terceira fonte de luz de última geração em funcionamento no mundo, depois das existentes em Lund (Suécia) e Grenoble (França). Foi assim que Ricardo como Líder do Projeto Sirius atingiu os ambiciosos objetivos do projeto e venceu assim o segundo grande desafio de sua carreira.

Ricardo demonstrou uma clara capacidade de liderança, seriedade extrema e sem concessões, e reconhecida competência tanto como físico na área de óptica de raios X como em diferentes áreas da engenharia: civil, mecânica e elétrica-eletrônica, com ênfase nas subáreas de circuitos elétricos, magnéticos e eletrônicos. Essa competência multifacetada lhe permitiu atuar eficientemente em todos os aspectos técnicos relevantes associados à construção das fontes de luz síncrotron do LNLS e demonstrar uma liderança respeitada por toda a equipe. Notavelmente, Ricardo não foi somente líder respeitado, físico excelente e engenheiro competente em várias especialidades, ele demonstrou também sensibilidade e competência como escultor, pintor e desenhista, havendo realizado uma produção artística que evidenciou sua fina sensibilidade. Isto demonstra que Ricardo possuía todas as características típicas de um verdadeiro polímata. Isto é, suas competencias multifacetadas não foram as que exibem os “generalistas”, mas as que demonstram os raros e distinguidos seres humanos que possuem profundos conhecimentos nas diversas ou mesmo numerosas áreas nas quais atuam.

O trabalho de Ricardo teve o reconhecimento unânime da equipe do LNLS e dos pesquisadores usuários que o conheceram. Também recebeu homenagens formais da Sociedade Brasileira de Cristalografia no ano 2000 e do LNLS/CNPEM em ocasião da celebração dos 30 anos do LNLS, em 2017. Ele recebeu em 2010 uma distinção da Presidência da República que o designou Comendador da Ordem Nacional do Mérito Científico.

Tive o privilégio de acompanhar o trabalho do Ricardo durante mais de 40 anos. Nosso primeiro encontro foi no XI Congresso da International Union of Crystallography (IUCr) realizado em Varsóvia em agosto de 1978, durante o qual conversamos sobre as novas possibilidades científicas abertas pelas fontes de luz síncrotron, de uso ainda incipiente nessa época no mundo. Desde 1981 até 1986 minha interação com Ricardo foi principalmente no CBPF, no Rio de Janeiro, durante o desenvolvimento do Projeto Radiação Síncrotron, desde 1987 até 2000 no LNLS, em Campinas, durante a construção da fonte UVX, de 2000 a 2009 na empresa Skedio Tecnologia, e finalmente, desde 2009 a 2019, novamente no LNLS. Nossa última conversação foi durante a última semana de dezembro de 2019, na qual ele me disse – serenamente e com contida satisfação – que a fonte Sirius tinha atingido sua energia nominal de 3GeV e os primeiros experimentos de uso foram realizados. Infelizmente, Ricardo faleceu em 3 de janeiro de 2020, poucos dias depois de ter vencido o segundo grande desafio de sua vida profissional.

Dois anos passaram desde o falecimento do Ricardo.  Perdeu-se fisicamente um excepcional ser humano, distinguido mestre, brilhante físico e engenheiro, e sensível artista. Os legados de Ricardo para a ciência brasileira são a moderna fonte de luz síncrotron Sirius aberta a cientistas usuários de todas as áreas da ciência do Brasil e do exterior, a competente equipe de engenheiros e técnicos do LNLS que ele formou e a numerosa comunidade de cientistas usuários do LNLS que se beneficiaram dos resultados de seu trabalho. Seu exemplo de vida e ímpar personalidade continuam e continuarão vivos na memória de todos os que tivemos o privilégio de tê-lo conhecido e de ter acompanhado seu fecundo trabalho. O falecimento de Ricardo enlutou a ciência e a engenharia brasileiras.

Após seu falecimento, o LNLS/CNPEM homenageou o Ricardo denominando sua escola anual sobre aplicações da luz síncrotron como Escola Ricardo Rodrigues de Luz Síncrotron e organizou, em 9 de novembro de 2020, uma Cerimônia de Homenagem a Ricardo Rodrigues. Nessa cerimônia, familiares, amigos e colegas apresentaram emocionados depoimentos com lembranças e visões pessoais sobre a vida do Ricardo. Na parte final, a SBPMat homenageou o Ricardo mediante a entrega de uma placa gravada com os dizeres: A Sociedade Brasileira de Pesquisa de Materiais (SBPMat) homenageia a contribuição fundamental de Ricardo Rodrigues para o êxito do desenvolvimento e implantação das fontes brasileiras de luz síncrotron UVX e Sirius, que colocaram o Brasil na vanguarda mundial da pesquisa em materiais.  Todos os depoimentos apresentados na Cerimônia de Homenagem foram registrados e podem ser acessados pelo link https://www.youtube.com/watch?v=hrmTDdnyv9s

 

Aldo F. Craievich
Professor Sênior
Instituto de Física
Universidade de São Paulo

Mensagem de final de ano.


No ano de 2021, a pandemia continuou dominando nossas vidas, mas as vacinas que a ciência nos proporcionou em tempo recorde estão cumprindo seu papel. Aos poucos fomos saindo de nossa vida virtual retomando atividades presenciais para incorporar essa nova realidade.

Infelizmente, porém, nosso evento este ano ainda teve que ser virtual. Apesar disso, foi possível sentir pela telinha a presença de cada um de vocês!! A cada trabalho apresentado, a cada pergunta feita por um estudante, sentimos reafirmar que a ciência continua bem representada em nosso país! Isso nos dá esperança para o futuro – esperança tão necessária frente aos enormes desafios que temos pela frente.

Carl Sagan dizia que temos que conhecer o passado para entender o presente. E passado e presente nos mostram que educação e ciência são a base principal para um futuro com condições dignas de vida e bem estar social. Esperamos que em 2022 continuemos a lutar juntos por esses valores, resistindo ao negacionismo que ainda tenta se manter presente em nossa sociedade. E que possamos finalmente compartilhar presencialmente nossas experiências – e nossa ciência – em Foz de Iguaçu!

Um excelente final de ano a todos, observando todos os cuidados sanitários necessários. 🙂

Diretoria da SBPMat

Boletim da SBPMat. Edição nº 110.


 

20Anos_260px

Boletim da
Sociedade Brasileira
de Pesquisa em Materiais

Edição nº 110. 30 de novembro de 2021.

Eleições SBPMat

– Inicia amanhã, 01/12, o período de votação para eleição da nova Diretoria Executiva e de membros do Conselho Deliberativo. A eleição encerra no dia 14/12.

– Todos os sócios com a anuidade em dia podem votar. Pessoas que desejam pagar a anuidade antes da votação podem fazê-lo até o dia 06/12. Informações sobre anuidade, aqui.

– A votação será realizada em formato online. Para votar, cada sócio deve entrar na sua área inserindo seu login e senha no site da SBPMat. Se o sócio estiver com a anuidade em dia, verá na página inicial da sua área o link para a votação.

– Leia o plano de ação proposto pela chapa única à Diretoria Executiva, conheça os membros da chapa e os sócios que manifestaram interesse em ser votados para o Conselho, e acesse outras informações sobre o processo eleitoral 2021, aqui.

Artigo em destaque

Um estudo computacional realizado na UFSCar traz nova luz para o entendimento de questões fundamentais dos líquidos super-resfriados e dos vidros, abrindo perspectivas para a produção de novos materiais vítreos. Artigo foi publicado no periódico Acta Materialia. Saiba mais.

destaque_news

Artigos sugeridos pela comunidade

Em artigo destacado em capa da Advanced Materials, pesquisadores do CNPEM e da UNICAMP reportam a concepção e caracterização de novas plataformas ultracompactas de transistores orgânicos eletroquímicos tridimensionais, além de suas aplicações no monitoramento da oxidação de dopamina – um biomarcador relacionado a doenças neurodegenerativas em humanos. Acesse o paper https://doi.org/10.1002/adma.202101518.

Também em artigo de capa da Advanced Materials, pesquisadores da Embrapa e UFSCar em colaboração com cientistas do exterior revisam um assunto muito importante para a economia circular: a produção de materiais multifuncionais avançados (bioplásticos) a partir da reciclagem de resíduos agroalimentares. Acesse o paper https://doi.org/10.1002/adma.202170342.

XX B-MRS Meeting

cataratas 1

O comitê organizador do evento recebeu 33 propostas de simpósio!

A lista dos simpósios aprovados será divulgada até 20 de dezembro.

O evento será realizado em Foz do Iguaçu de 25 a 29 de setembro de 2022.

As coordenadoras são as professoras Lucimara Stolz Roman (UFPR) e Marcela Mohallen Oliveira (UTFPR).

 

Site do evento: https://www.sbpmat.org.br/20encontro/

Oportunidades

– Abertas as indicações para prêmios (lectureships) outorgados por periódicos da Royal Society of Chemistry para pesquisadores em início de carreira com contribuições nos campos dos polímeros (veja aqui), biomateriais (veja aqui) e matéria mole (veja aqui). Prazo: 31/12/21.

– LNNano – CNPEM tem chamada de propostas de pesquisa para uso de seus equipamentos de microscopia eletrônica. Submissão aberta até 23/12/21. Saiba mais.

– Oportunidades de pós-doutorado no IPEN e UFABC ligadas ao Centro de Inovação em Novas Energias (CINE). Inscrições até 25/12/21. Saiba mais.

– Oportunidade de pós-doutorado na UFSCar em nanoestruturas multiferroicas e ferroelétricas. Inscrição até 10/01/22. Saiba mais.

– Doutorado direto em crescimento e caracterização de monocristais com bolsa FAPESP na UNIFESP. Inscrições até 14/01/2022. Saiba mais.

– Doutorado direto na UFSCar em cerâmicas ferroicas nanoestruturadas sinterizadas por SPS (saiba mais) e heteroestruturas magnetoelétricas (saiba mais). Inscrições até 10/01/22.

– Processo seletivo para mestrado e doutorado em Ciência dos Materiais na UFSCar Sorocaba. Inscrições até 31/12/21. Saiba mais.

– Seleção para mestrado e doutorado em Ciência dos Materiais na UNESP – campus de Ilha Solteira. Inscrições até 10/12/21. Saiba mais.

– Seleção para mestrado e doutorado em Física na UFRN. Inscrições até 05/12/21. Saiba mais.

– Processo seletivo para mestrado em Nanociência, Processos e Materiais Avançados da UFSC – Campus Blumenau. Inscrições até 19/01/22. Saiba mais.

– Aberta a seleção até 15/12/21 para o novo Bacharelado em Ciência, Tecnologia e Inovação da Ilum, escola de ciência do CNPEM, com plano pedagógico inovador e imersão em projetos de pesquisa. Tem vagas reservadas para alunos do ensino público de todas as regiões do Brasil. Saiba mais.

Novidades de sócios da SBPMat

O professor Daniel Mario Ugarte (UNICAMP), sócio-fundador da SBPMat, foi empossado como membro da TWAS (The World Academy of Sciences) em cerimônia virtual realizada no dia 4 de novembro. Saiba mais.

ugarte_news

Dicas de leitura

– Baseado em cobre e nanocelulose, novo material fino e flexível com grande capacidade de conduzir íons é promissor para baterias mais seguras, eficientes e sustentáveis do que as atuais (Nature). Saiba mais.

– Pesquisadores do IFGW-UNICAMP e colaboradores do exterior estudam propriedades e defeitos de monocamadas de nitreto de boro e abrem possibilidades de aplicação do material como fonte de luz UVC, usada para inativar microrganismos (2D Materials). Saiba mais.

– Artigo descreve um aspecto menos conhecido da sempre envolvente história da cientista Mildred Dresselhaus: o seu estilo único de ensinar Física do Estado Sólido no MIT e o seu trabalho de mentoria para as (pouquíssimas) meninas que estudavam Física na instituição na década de 1970. Saiba mais.

Manifestos

– SBPMat apoiou o tuitaço em defesa da pós-graduação realizado no dia 29/11. Saiba mais.

– SBPMat assinou carta aberta em defesa da avaliação dos cursos de pós-graduação brasileiros. Saiba mais.

– SBPMat expressou solidariedade com os coordenadores da Área de Física/Astronomia da CAPES que pediram demissão. Saiba mais.

– SBPMat apoiou o tuitaço pela liberação dos recursos para a ciência brasileira e pelo reajuste das bolsas, realizado no dia 23/11. Saiba mais.

Agenda de eventos presenciais e online

– III Simpósio Brasileiro sobre Maternidade e Ciência. Online. 6 a 10 de dezembro de 2021. Site.

– 5th International Conference on Applied Surface Science. Palma, Mallorca (Espanha). 25 a 28 de abril de 2022. Site.

– 2022 E-MRS Spring Meeting and Exhibit. 30 de maio a 3 de junho de 2022. Site.

– 4th Workshop on Coated Tools & Multifunctional Thin Films. Campinas, SP (Brasil). 20 a 23 de julho de 2022. Site.

– XVIII International Small Angle Scattering Conference. Campinas, SP (Brasil). 11 a 16 setembro de 2022. Site.

– 11th International Conference of the African Materials Research Society (AMRS2022 ). Dakar (Senegal). 12 a 15 de dezembro de 2022. Site.

Siga-nos nas redes sociais

Você pode divulgar novidades, oportunidades, eventos ou dicas de leitura da área de Materiais, e sugerir papers, pessoas e temas para as seções do boletim. Escreva para comunicacao@sbpmat.org.br.
Descadastre-se caso não queira receber mais as edições mensais do Boletim da SBPMat.

Artigo em destaque: Desfazendo o paradoxo dos líquidos super-resfriados.


Uma pesquisa científica realizada na UFSCar traz nova luz sobre líquidos super-resfriados e vidros – dois estados da matéria, no sentido amplo da expressão, que ainda apresentam muitas perguntas fundamentais à ciência. Em especial, o trabalho fornece forte evidência para desfazer um antigo paradoxo envolvendo os líquidos super-resfriados, além de abrir perspectivas para a produção de novos materiais vítreos e cristalinos. 

Líquidos super resfriados são aqueles que, mesmo estando em temperaturas abaixo do ponto de fusão, permanecem em estado líquido. O exemplo mais conhecido é o da água, que congela a 0 °C mas pode ser mantida como líquido super-resfriado mesmo depois de algumas horas no freezer, como mostra este vídeo. 

Mas não apenas a água, e sim qualquer líquido pode estar em estado super-resfriado desde que se cumpram as condições que impedem a formação do primeiro cristal, chamada de nucleação. Contudo, se a nucleação ocorrer, o delicado equilíbrio do líquido super-resfriado se quebrará e ele cristalizará, passando para um estado muito mais estável. Para desencadear esse processo, é suficiente aguardar um certo tempo, agitar o líquido super resfriado ou introduzir um catalizador nele.  

Além de despertar a curiosidade de cientistas e leigos, líquidos super-resfriados têm algumas aplicações em situações em que é necessário diminuir a temperatura até níveis muito baixos sem provocar congelamento (cristalização), como, por exemplo, a conservação de órgãos doados para transplante.  

Neste trabalho, os autores procuraram entender a interação entre dois fenômenos que concorrem durante o processo de cristalização dos líquidos super-resfriados: a nucleação de cristais e o relaxamento, fenômeno que ocorre espontaneamente na estrutura amorfa dos líquidos super-resfriados na sua trajetória rumo a uma fase de maior equilíbrio. Para isso, utilizaram ferramentas de simulação computacional atomística (aquela que permite a descrição da posição de cada átomo de um composto em função do tempo) para simular esses processos no germânio, cuja temperatura de fusão é de 938 °C. Acima dessa temperatura, o germânio “derrete”. Abaixo dela, se mantidas as condições que impedem a nucleação dos cristais, o germânio líquido não solidifica e se mantém como líquido super-resfriado. 

Tudo começou com um paradoxo

A ideia de estudar a interação entre nucleação e relaxamento estrutural surgiu do professor Edgar Dutra Zanotto em 1987, quando ele era um jovem professor da UFSCar e coordenava o Laboratório de Materiais Vítreos, que ele mesmo tinha criado 10 anos atrás.

Foi então que o cientista começou estudar o paradoxo de Kauzmann. Publicada em 1948, essa predição teórica leva o nome de Walter Kauzmann, que foi professor da Universidade de Princeton (EUA) e fez importantes contribuições ao estudo dos vidros e líquidos super-resfriados. O paradoxo afirma que, a determinada temperatura (chamada de temperatura de Kauzmann), a entropia de um líquido super-resfriado deve ser igual à entropia da fase cristalina do mesmo composto. Nesse contexto, se o resfriamento continuasse, o líquido super-resfriado acabaria tendo entropia nula a uma temperatura acima do zero absoluto. Para evitar essa situação, que contraria a terceira lei da Termodinâmica, os líquidos super resfriados deveriam cristalizar antes de relaxar ao estado vítreo, que é um estado não-cristalino, acima da temperatura de Kauzmann. 

Os autores do artigo: Azat O. Tipeev, José P. Rino e Edgar D. Zanotto.
Os autores do artigo: Azat O. Tipeev, José P. Rino e Edgar D. Zanotto.

O dilema despertou tanto interesse em Zanotto, que ele se propôs a pesquisar se a cristalização de líquidos super-resfriados ocorreria em tempo menor do que o relaxamento estrutural. Contudo, a tarefa não era trivial (por isso o paradoxo persiste) e requeria o domínio de ferramentas computacionais específicas. Dessa forma, o trabalho acabou sendo iniciado três décadas mais tarde, quando dois pós-doutorandos especialistas em simulação de dinâmica molecular, Azat Tipeev e Leila Separdar, se juntaram ao grupo de pesquisa do professor Zanotto. Os novos integrantes receberam coorientação do professor José Pedro Rino, também especialista na técnica, que é colega de Zanotto na UFSCar e no Centro de Pesquisa, Tecnologia e Educação em Materiais Vítreos (CeRTEV). Enquanto Azat se debruçava sobre o germânio líquido, Leila trabalhava o mesmo problema com outras substâncias. Alguns dos resultados do trabalho de Leila estão publicados neste artigo do periódico Computational Materials Science.

“As simulações de dinâmica molecular permitem o estudo da cristalização e relaxamento em nível atomístico, em uma região de estados ainda não atingíveis por experimentos de laboratório, para obter informações essenciais sobre as propriedades dos minúsculos núcleos cristalinos em uma escala de tempo extremamente curta e, consequentemente, testar teorias de nucleação e relaxamento”, explica o pós-doc Azat, de nacionalidade russa, quem conheceu o professor Zanotto em 2012 em um evento sobre cristalização de vidros e líquidos na Alemanha e veio pela primeira vez ao Brasil em 2015 para participar da Escola Avançada de Vidros e Vitrocerâmicas organizada por Zanotto com financiamento da FAPESP.

A partir das simulações, os autores determinaram os tempos de relaxamento estrutural e de tensões e os compararam com os tempos de formação do primeiro núcleo de cristal em diferentes temperaturas. “Verificamos que essas curvas se cruzaram na chamada temperatura espinodal cinética, estabelecendo uma região de temperatura onde a (forte) interferência do relaxamento na nucleação deve ser considerada por modelos teóricos para descrever adequadamente a dinâmica da nucleação experimental”, resumem os autores.

À esquerda, representação 2D da configuração inicial e final do sistema estudado: germânio líquido super-resfriado contendo uma semente de cristal inserida e líquido totalmente cristalizado. À direita, tempos característicos no germânio líquido super-resfriado. Curva azul: tempo de relaxamento estrutural. Curvas vermelhas: tempo médio de formação do primeiro núcleo de cristal crítico para diferentes volumes de líquido super-resfriado. Linhas verticais: temperatura de transição vítrea, temperatura cinética espinodal e temperatura de Kauzmann.
À esquerda, representação 2D da configuração inicial e final do sistema estudado: germânio líquido super-resfriado contendo uma semente de cristal inserida e líquido totalmente cristalizado. À direita, tempos característicos no germânio líquido super-resfriado. Curva azul: tempo de relaxamento estrutural. Curvas vermelhas: tempo médio de formação do primeiro núcleo de cristal crítico para diferentes volumes de líquido super-resfriado. Linhas verticais: temperatura de transição vítrea, temperatura cinética espinodal e temperatura de Kauzmann.

Além disso, o trabalho forneceu uma sólida evidência para a resolução do paradoxo de Kauzmann. “Nosso trabalho demonstrou que o líquido super resfriado de germânio cristaliza antes de chegar à temperatura de Kauzmann, evitando a catástrofe de entropia”, diz Azat, que é primeiro autor do artigo que reporta esta pesquisa no periódico Acta Materialia.

Os novos artigos em co-autoria com Azat, Leila e Pedro Rino se inserem na vasta produção científica que o professor Zanotto e seus colaboradores têm na área de materiais vítreos. “O cruzamento dos tempos de relaxação e nucleação acima da temperatura de Kauzmann é de fundamental importância para esclarecer os processos e a dinâmica de vitrificação e cristalização e a própria natureza do estado vítreo”, diz Zanotto.

O trabalho foi realizado com financiamento da FAPESP.


Referência do artigo científico: Unveiling relaxation and crystal nucleation interplay in supercooled germanium liquid. Azat O. Tipeev, José P. Rino, Edgar D. Zanotto. Acta Materialia. Volume 220, November 2021, 117303. https://doi.org/10.1016/j.actamat.2021.117303.

Contato de autor: Edgar Dutra Zanotto – dedz@ufscar.br

Carta dos coordenadores da Área de Física e Astronomia da CAPES sobre o pedido de demissão.


Caros colegas

Hoje encaminhamos, por meio de ofício à presidente da CAPES, nosso pedido de demissão da coordenação da área Astronomia/Física.

Os motivos elencados no documento são uma atitude pouco pro-ativa da CAPES com relação à retomada da avaliação Quadrienal 2017-2020 e a incompreensível pressa em se definir um formato para cursos de PG por EaD para a chamada de APCN a ser lançada no final de novembro. Como reiterado mais de uma vez pelos membros Colégio de Exatas, Engenharias e Multidiscipliar da CAPES, do qual fazemos parte, consideramos que uma chamada de APCN, ainda que necessária, depende da conclusão da última Quadrienal para sua correta avaliação.

Poderíamos ainda ter listado a suspensão do PNPD sem um programa substituto, a indecisão sobre o que será do ano 2021 em uma futura possível avaliação dos programas de PG, já que são muitos os que advogam por um “ano sabático” sem que seja claro o que isso significa. E finalmente, a ausência de qualquer ação, ao menos pública, em direção à elaboração do novo PNPG que deveria cobrir a década de 2021-2030.

Lamentamos ter que tomar essa atitude extrema, mas eventos recentes tangenciam a falta de respeito com os coordenadores de área.

Abraço

Fernando Lázaro

Alberto Saa

Rubem Sommer

Boletim da SBPMat. Edição nº 109.


 

 

20Anos_260px

Boletim da
Sociedade Brasileira
de Pesquisa em Materiais

Edição nº 109. 31 de outubro de 2021.

Eleições SBPMat

– A comissão eleitoral recebeu a inscrição de uma chapa candidata à Diretoria Executiva da SBPMat. Saiba quem são os membros da chapa, aqui.

As inscrições de sócios que gostariam de fazer parte do Conselho Deliberativo continuam abertas até 15 de novembro pelo email eleicoes2021@sbpmat.org.br.

Saiba mais sobre o processo eleitoral SBPMat 2021, aqui.

Conheça os membros da comissão eleitoral que está conduzindo o processo, aqui.

Artigo em destaque

Pesquisadores de instituições pernambucanas reportam um método simples e limpo para sintetizar compósitos de nanotubos e pontos quânticos que podem ser usados como fotoanodos para produzir hidrogênio a partir da molécula de água e da luz do Sol. Artigo foi publicado no Journal of Power Sources. Saiba mais.

artigo destaque news

Artigos sugeridos pela comunidade

Pesquisadores da UNESP, junto a colaboradores da Alemanha e EUA, estudaram os radicais livres da melanina, pigmento que tem despertado grande interesse em função de suas possíveis aplicações em dispositivos bioeletrônicos. Eles usaram um campo magnético quase 30 vezes maior do que o encontrado na literatura para aumentar a sensibilidade da técnica EPR e assim poder distinguir as espécies de radicais livres. Acesse o paper https://doi.org/10.1039/D1MA00446H.

Student Awards 2021

Convidamos os vencedores dos prêmios para estudantes do XIX B-MRS Meeting + IUMRS ICEM (prêmios da SBPMat, ACS e RSC) a falarem sobre os trabalhos premiados, em poucos minutos e de um jeito descomplicado. Veja os vídeos no YouTube da SBPMat.

students awards

XX B-MRS Meeting

cataratas 1

Atendendo a pedidos da comunidade, o comitê organizador do XX B-MRS Meeting prorrogou o prazo de envio de propostas de simpósio.

O evento será realizado em Foz do Iguaçu de 25 a 29 de setembro de 2022. As coordenadoras são as professoras Lucimara Stolz Roman (UFPR) e Marcela Mohallen Oliveira (UTFPR).

Novo prazo para envio das propostas de simpósio: 15 de novembro.

Site do evento: https://www.sbpmat.org.br/20encontro/

Oportunidades

– Abertas até 31 de dezembro as indicações ao Soft Matter Lectureship, prêmio promovido por periódicos da Royal Society of Chemistry para pesquisadores/as em inicio de carreira com contribuição destacada no campo da matéria mole. Saiba mais.

– Sirius, a nova fonte de luz síncrotron brasileira, aceita propostas para experimentos de comissionamento em várias estações experimentais. Saiba mais.

– “Garotas STEM” do British Council oferece treinamentos para professores brasileiros com projetos que incentivem o interesse de meninas em Ciência, Tecnologia, Engenharia e Matemática. Saiba mais.

– Processo seletivo para mestrado, doutorado e doutorado direto em materiais para a agroindústria no PPGEnCiMAT da USP. Inscrições encerram hoje, 31 de outubro. Saiba mais.

– Abertas as inscrições até 5 de novembro para o processo seletivo dos cursos de mestrado e doutorado em Física da Universidade Estadual de Londrina (UEL). Saiba mais.

– Processo seletivo para mestrado e doutorado em Ciência e Engenharia de Materiais na USP São Carlos com previsão de bolsas. Inscrições até 24 de novembro. Saiba mais.

– Processo seletivo para mestrado e doutorado em Ciência e Engenharia de Materiais na UFSCar. Inscrições até 26 de novembro. Saiba mais.

– Processo seletivo para mestrado e doutorado em Ciência dos Materiais na UFSCar Sorocaba. Inscrições até 31 de dezembro. Saiba mais.

Novidades de sócios da SBPMat

A Profa. Mariana Amorim Fraga (Mackenzie) é editora, junto a outros pesquisadores dos Estados Unidos e Turquia, de um livro lançado pela Elsevier sobre desafios para a utilização eficiente da energia solar. Saiba mais.

socia mariana

Dicas de leitura

– Em materiais 2D, elétrons podem congelar formando arranjos chamados de cristais de Wigner, os quais foram previstos há 90 anos. Agora, cientistas conseguiram fazer a primeira imagem de um cristal de Wigner, usando uma armadilha de grafeno e um microscópio de tunelamento (Nature). Saiba mais.

– Baseada em biomaterial, nova vacina contra a Covid-19, que foi testada com sucesso em ratos, “recruta” células do sistema imunológico na área da injeção e gera imunidade adaptativa (Advanced Healthcare Materials). Saiba mais.

– Vídeo: Webinário do Prof Ado Jorio (UFMG) sobre o nanoscópio brasileiro – a ciência, a tecnologia e a inovação que foram necessárias para desenvolver o instrumento e fazer os experimentos que ganharam capa da Nature. Assista no YouTube do UC Materials Catalão, um dos University Chapters da SBPMat.

Manifestos

– SBPMat apoiou o manifesto assinado por 51 coordenadores e ex-coordenadores da Área de Materiais da CAPES em favor da retomada da avaliação quadrienal. Veja o documento.

– SBPMat apoiou notas da SBPC e outras entidades denunciando manobra do Ministério da Economia que retira R$ 515 milhões destinados ao CNPq, descumprindo lei aprovada no Congresso. Veja a nota.

– Coordenadores da CAPES, inclusive alguns sócios da SBPMat, manifestaram preocupação com a paralisação do processo de avaliação dos programas de pós-graduação por decisão judicial. Veja o manifesto.

– SBPMat publicou carta a favor da retomada da avaliação quadrienal 2021 promovida pela CAPES. Veja a carta pública.

– SBPMat apoiou carta da ICTP.br aos ministros de CTI e Saúde manifestando preocupação pela escassez de radioisótopos para o tratamento de doenças. Veja a carta.

– SBPMat apoiou a carta aberta da SBPC contra a PEC que enfraquece os concursos e a estabilidade do funcionário público. Veja o documento.

Agenda de eventos presenciais e online

– 7th Meeting on Self Assembly Structures in Solution and at Interfaces. Bento Gonçalves, RS (Brasil). 3 a 5 de novembro de 2021. Site.

– X Semana da Pós-Graduação em Química da UFSC. Evento online. 9 a 12 de Novembro de 2021. Site.

– 5th International Conference on Applied Surface Science. Palma, Mallorca (Espanha). 25 a 28 de abril de 2022. Site.

– 4th Workshop on Coated Tools & Multifunctional Thin Films. Campinas, SP (Brasil). 20 a 23 de julho de 2022. Site.

– XVIII International Small Angle Scattering Conference. Campinas, SP (Brasil). 11 a 16 setembro de 2022. Site.

– 11th International Conference of the African Materials Research Society (AMRS2022 ). Dakar (Senegal). 12 a 15 de dezembro de 2022. Site.

Siga-nos nas redes sociais

Você pode divulgar novidades, oportunidades, eventos ou dicas de leitura da área de Materiais, e sugerir papers, pessoas e temas para as seções do boletim. Escreva para comunicacao@sbpmat.org.br.
Descadastre-se caso não queira receber mais as edições mensais do Boletim da SBPMat.

Sócio-fundador da SBPMat é membro da TWAS.


Photo_TWAS_Ugarte_Diploma_1x1_BrazilO professor Daniel Mario Ugarte (UNICAMP), sócio-fundador da SBPMat, foi empossado como membro da TWAS (The World Academy of Sciences) em cerimônia virtual realizada em 4 de novembro dentro da 15ª conferência geral da TWAS.

A eleição de Ugarte como membro, na área de Física, ocorreu em 2019, mas a cerimônia de posse foi adiada em razão da pandemia de Covid-19.

Os membros da TWAS são cientistas cujas contribuições para a ciência atendem os padrões internacionais de excelência e que trabalham em países em desenvolvimento ou promovem a pesquisa nesses países.

Mais informações sobre a eleição de membros da TWAS: https://twas.org/directory/regulations.

Artigo em destaque: Otimizando nanotubos para a produção de hidrogênio verde.


Geração de hidrogênio em célula fotoeletroquímica com o fotoanodo desenvolvido pela equipe pernambucana.
Geração de hidrogênio em célula fotoeletroquímica com o fotoanodo desenvolvido pela equipe pernambucana.

Um trabalho realizado em instituições pernambucanas traz uma contribuição ao desenvolvimento de nanomateriais com potencial para superar um importante desafio energético: a geração de hidrogênio por meio de processos sustentáveis. De fato, a molécula de hidrogênio é considerada um combustível limpo porque o seu uso, ou “queima”, não emite gases do efeito estufa. Porém, a produção dessa molécula é responsável por emitir centenas de toneladas de dióxido de carbono por ano.

Felizmente, caminhos mais sustentáveis para se produzir hidrogênio molecular estão sendo explorados por cientistas ao redor do mundo.  Os mais “verdes” de todos são os processos fotoeletroquímicos, que consistem em quebrar a molécula de água (H2O) usando eletricidade proveniente de conversão fotovoltaica; ou seja, da transformação de fótons em elétrons. Esses processos são realizados em células fotoeletroquímicas – sistemas simples e baixo custo compostos, basicamente, por um fotoanodo, onde ocorre a absorção da luz solar e a consequente geração de uma corrente de elétrons, e um cátodo, em cuja superfície o hidrogênio se desprende da molécula de água pela ação da eletricidade gerada no fotoanodo. Nesse contexto, é essencial desenvolver materiais para o fotoanodo que sejam eficientes e duráveis, e que possam ser produzidos por meio de processos de baixo custo e amigos do meio ambiente.

Em artigo recentemente publicado no Journal of Power Sources (fator de impacto 9,1270), cientistas do Centro de Tecnologias Estratégicas do Nordeste (CETENE) e da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) reportam um método simples e limpo para produzir nanocompósitos capazes de gerar uma corrente elétrica a partir da luz do sol. O trabalho também apresenta bons resultados da aplicação do material obtido como fotoanodo na produção de hidrogênio.

Desafio: aumentar a sensibilidade do fotoanodo

O dióxido de titânio (TiO2) é o material mais utilizado em fotoanodos. À diferença de outros semicondutores, ele não é tóxico e não se degrada facilmente em contato com a luz e a água. Contudo, esse material tem uma limitação que afeta a sua eficiência: ele consegue absorver apenas luz ultravioleta, deixando de aproveitar as outras radiações presentes na luz solar. Por esse motivo, esforços científicos têm sido realizados no sentido de expandir a sensibilidade do TiO2. Esse foi exatamente o objetivo da equipe do CETENE e UFPE no início do trabalho conjunto. A estratégia adotada foi integrar nanocristais semicondutores (pontos quânticos) a nanotubos de TiO2 e, dessa forma, obter um material que seja mais sensível à luz solar graças à ação sinérgica de ambos os semicondutores.

Os pesquisadores começaram por sensibilizar os nanotubos com nanocristais de sulfeto de bismuto (Bi2S3), conta Denilson V. Freitas, que hoje atua como pesquisador no CETENE com bolsa  PCI do CNPq e participa desta linha de pesquisa desde o início, quando fazia o doutorado em Química na UFPE.  Nos experimentos, os cientistas notaram que o método de preparação do nanocompósito impactava significativamente seu desempenho fotoeletroquímico, e reportaram esses resultados em artigo publicado em 2018 na ACS Applied Energy Materials (fator de impacto 6,024). “Verificamos que os melhores resultados fotoeletroquímicos foram para o método assistido por ligante quando comparado com o método hidrotermal”, diz Denilson. Dessa forma, o primeiro método foi escolhido. Na sensibilização por ligante, os nanotubos de TiO2, suportados em folhas de titânio, são submersos em uma solução contendo os nanocristais escolhidos. Ambos os materiais interagem e, no final do processo, os pontos quânticos ficam adsorvidos na superfície dos nanotubos.

A segunda fase da pesquisa foi realizada dentro do mestrado em Ciência de Materiais de Danilo A. P. Velásquez, realizado na UFPE. Desta vez, a equipe científica utilizou nanocristais de prata, índio e selênio (AgIn5Se8) com o objetivo principal de determinar qual seria o tempo ótimo de submersão dos nanotubos na solução, já que os pesquisadores tinham notado que concentrações elevadas de nanocristais na superfície dos nanotubos afetavam negativamente o desempenho do nanocompósito. Para isso, eles fizeram uma série de experimentos variando o tempo de submersão entre 1 hora e 48 horas.

Nanotubos de dióxido de titânio sem pontos quânticos (esquerda), sensibilizados com pontos quânticos por 2 horas (centro) e por 72 horas (direita).
Nanotubos de dióxido de titânio sem pontos quânticos (esquerda), sensibilizados com pontos quânticos por 2 horas (centro) e por 72 horas (direita).

Além de observar por técnicas de microscopia eletrônica a concentração de nanocristais obtida em cada caso, os pesquisadores conferiram o desempenho de cada amostra. Os resultados mostraram que a performance fotoletroquímica dos nanotubos melhorou de forma crescente com o tempo de sensibilização até as 24 horas de imersão, quando o nanocompósito obtido gerou uma fotocorrente 2,4 vezes maior do que os nanotubos puros. Além disso, os nanotubos otimizados também melhoraram a sua performance na produção de hidrogênio, a qual foi 3,1 vezes maior do que a do material sem pontos quânticos. Os experimentos também demonstraram que, após as 24 horas de imersão, a concentração de nanocristais se tornou excessiva e prejudicou a funcionalidade do nanocompósito. “O trabalho mostrou que a otimização temporal da sensibilização dos nanotubos é uma etapa importante na produção de sistemas mais eficientes”, resume Denilson.

A pesquisa foi realizada por pesquisadores e estudantes ligados aos programas de pós-graduação em Química e Ciência de Materiais da UFPE,  coordenados pelo professor Marcelo Navarro, e ao CETENE, liderados pela pesquisadora e diretora do centro Giovanna Machado. A aquisição de imagens dos nanotubos sensibilizados por microscopia eletrônica de transmissão de alta resolução foram realizadas no SENAI-MG. Os trabalhos contaram com financiamento das agências brasileiras de apoio à pesquisa CNPq, FACEPE, CAPES e Finep.

Os autores do paper. A partir da esquerda: Danilo A. P. Velásquez, Felipe L. N. Sousa, Thiago A. S. Soares, Anderson J. Caires, Denilson V. Freitas, Marcelo Navarro e Giovanna Machado.
Os autores do paper. A partir da esquerda: Danilo A. P. Velásquez, Felipe L. N. Sousa, Thiago A. S. Soares, Anderson J. Caires, Denilson V. Freitas, Marcelo Navarro e Giovanna Machado.

Referência do artigo científico: Boosting the performance of TiO2 nanotubes with ecofriendly AgIn5Se8 quantum dots for photoelectrochemical hydrogen generation. Danilo A.P.Velásquez, Felipe L.N.Sousa, Thiago A.S.Soares, Anderson J.Caires, Denilson V.Freitas, MarceloNavarro, GiovannaMachado. Journal of Power Sources. Volume 506, 15 September 2021, 230165. https://doi.org/10.1016/j.jpowsour.2021.230165.

Contato da autora correspondente: Giovanna Machado – giovanna.machado@cetene.gov.br.


 

Manifesto de coordenadores da Área de Materiais da CAPES pela retomada da avaliação.


Os coordenadores e ex-coordenadores de Programas de Pós-graduação da Área de  Materiais vêm por meio deste Manifesto declarar seu apoio às métricas, qualificadores  e indicadores definidos de forma conjunta para o aprimoramento do ciclo avaliativo e se  manifestar a favor da retomada da avaliação quadrienal CAPES 2017-2020. 

A Capes é uma fundação do Ministério da Educação e Cultura que existe desde 1951,  portanto há 70 anos que se mantém em um processo contínuo de aprimoramento. A  CAPES vem exercendo constantemente sua missão de capacitação de pessoal de nível  superior para o ensino e pesquisa, sempre visando o desenvolvimento econômico,  social e tecnológico, com grandes resultados para ciência e tecnologia brasileira. É  inegável o impacto direto de cientistas brasileiros, formados em instituições avaliadas  pela CAPES, no fortalecimento e modernização da agricultura e pecuária, da indústria  farmacêutica, de alimentos, têxtil, de insumos agrícolas, automobilística, em toda a  cadeia de derivados de petróleo, de biocombustíveis, alcoolquímica e açucareira, na  medicina, na cura de doenças, no meio ambiente, no tratamento de água e esgoto, na  construção de políticas sociais, na cultura, nos esportes, no sistema jurídico e na  construção civil. 

A ficha de avaliação vigente da área de Materiais, para a avaliação quadrienal CAPES  2017-2020, foi amplamente discutida pelos coordenadores dos programas de Pós Graduação, tendo sido as discussões concentradas em dois momentos: dezembro de  2018 e agosto de 2019 durante reunião de meio-termo. Adicionalmente foram realizadas  reuniões regionais, em dezembro de 2020 (que a área chamou de ¾ do quadriênio) para  que os coordenadores pudessem usar a ficha de avaliação com dados de 2017, 2018 e  2019 e assim sanar quaisquer dúvidas quanto ao preenchimento. As duas primeiras  reuniões ocorreram com participação massiva dos coordenadores nas dependências da  CAPES, em Brasília e as reuniões de 2020 ocorreram de forma remota também com  participação massiva dos coordenadores. 

A ficha de avaliação ressalta os seguintes pilares fundamentais: 

i) O Programa deve sempre buscar ações para alcançar excelência na formação  discente, na produção de conhecimento científico e tecnológico, e em impactar  positivamente a economia e a sociedade. 

ii) Programas devem possuir planejamento estratégico e ter sistemas de autoavaliação,  que tenham como principal objetivo a identificação de aspectos a serem aprimorados,  sempre buscando excelência no ensino e na formação dos discentes. 

iii) Docentes permanentes devem estar comprometidos com os objetivos do Programa  na busca por excelência na formação de discentes e na produção científica e  tecnológica que possa contribuir para a busca de soluções que impliquem na melhoria  das condições de vida da sociedade.

iv) A adoção do Qualis referência permite maior transparência aos critérios de  comparação do impacto da produção científica e tecnológica, estimula a produção  científica e tecnológica de qualidade e, assim, é um passo importante para o  aprimoramento da avaliação de todo o sistema de pós-graduação do país. 

A melhoria constante do ensino e da formação deve ser um compromisso de todas as  instituições, sempre visando máxima transparência, lisura e bom uso dos recursos tendo  no horizonte a busca pela melhoria na qualidade de vida da sociedade. Nesse processo, que passa pelo aprimoramento contínuo do sistema de avaliação, o trabalho de todos  os envolvidos, coordenadores dos PPGs, coordenação de área, docentes e discentes  não pode ser tolhido, enquanto ajustes finos da avaliação são feitos. 

Diante do exposto, gostaríamos de expressar nosso total apoio à manutenção da ficha  de avaliação estabelecida para o processo de avaliação dos Programas de Pós graduação da Área de Materiais, visto que a mesma foi discutida com a participação  ativa dos coordenadores o que implicou em um aprimoramento das métricas,  indicadores e qualificadores, seguida por discussão e aprovação pelo CTC-ES, para a  sua utilização na Avaliação Quadrienal 2017-2020. 

Marcos José Leite Santos (UFRGS) 

Sérgio Ribeiro Teixeira (UFRGS) 

Janaina da Silva Crespo (UCS) 

Luiz Carlos da Silva Filho (UNESP-Bauru/Sorocaba/Presidente Prudente)

Rafael Zadorosny (UNESP Ilha Solteira) 

Fauze Ahmad Aouada (UNESP Ilha Solteira) 

João Batista Rodrigues Neto (UFSC) 

Edson Noriyuki Ito (UFRN) 

Cicero Rafael Cena (UFMS) 

Rafael Alves de Oliveira (UFRPE) 

Daniela Brondani (UFSC) 

Eliria M. J. Agnolon Pallone (USP/FZEA) 

Juliano Fiorelli (USP/FZEA) 

Hermano Endlich Schneider Velten (UFOP) 

Ronaldo Junio Campos Batista (UFOP) 

Ricardo Alexandre Amar de Aguiar (CEFET/RJ) 

Neftali Lenin Villarreal Carreno (UFPel) 

Paulo Pedro Kenedi (CEFET/RJ) 

Vera Rosa Capelossi (UESC) 

Taiana Gabriela Moretti Bonadio (UNICENTRO) 

Maurício Roberto Bomio Delmonte (UFRN) 

Ivone Regina de Oliveira (Univap) 

Alan Christie da Silva Dantas (UNIVASF) 

Martine Chevrollier (UFRPE)

Marco Antonio Schiavon (UFSJ) 

André Carlos Silva (UFCAT) 

Walney Silva Araújo (UFC) 

Ricardo Peixoto Suassuna Dutra (UFPB) 

Christiano José Santiago de Matos (UPM) 

Marcos Massi (UPM) 

Bartolomeu cruz Viana Neto (UFPI) 

Eliana Ap. de Rezende Duek (PUCSP) 

Erika Peterson Gonçalves (Univap) 

Paulo Roberto da Silva Ribeiro (UFMA) 

Ricardo Stefani (UFMT) 

Roner Ferreira da Costa (UFERSA) 

Francisco Franciné Maia Júnior (UFERSA) 

Armando Juan Navarro Vázquez (UFPE) 

Eduardo Padrón Hernández (UFPE) 

Larissa Nardini Carli (UFSC) 

Evaldo Ribeiro (UFPR) 

Alessandro Francisco Martins (UTFPR) 

Aparecido Junior de Menezes (UFSCar – Sorocaba)

Paulo Roberto da Silva Ribeiro (UFMA – Campus Imperatriz)

Adenilson Oliveira dos Santos (UFMA – Campus Imperatriz)

Wilma Clemente de Lima Pinto (UEZO) 

Cleiton Carvalho Silva (UFC) 

Rafael Salomão (EESC/USP) 

Marcelo Falcão de Oliveira (EESC/USP) 

Marco A. S. Rodrigues (Feevale) 

Rusiene Monteiro de Almeida (UFAL)

Boletim da SBPMat. Edição especial: Reportagem do XIX B-MRS Meeting!


 

Você está recebendo este boletim eletrônico porque, em algum momento, você compartilhou seu endereço de email com a SBPMat (Sociedade Brasileira de Pesquisa em Materiais).
A SBPMat nunca forneceu nem fornecerá seus dados a outras pessoas físicas ou jurídicas.
Porém, se você deseja sair desta lista e, dessa forma, parar de receber o Boletim da SBPMat, por favor,
clique aqui.

logo 2021_260

Boletim da Sociedade Brasileira de Pesquisa em Materiais

Edição especial

Cobertura do XIX B-MRS Meeting + IUMRS ICEM 2021

Em números

  • Cerca de 1.100 participantes.

  • 59% homens, 41 % mulheres.

  • 45 % profissionais, 40 % estudantes de pós-graduação, 15 % estudantes de graduação.

  • Inscritos de 33 países da América, Europa, Ásia e África.

  • Inscritos do Brasil: 23 estados da federação, cobrindo as 5 regiões do país.

  • Instituições representadas: cerca de 200.

  • 24 simpósios organizados por mais de 110 organizadores de 15 países.

  • 961 trabalhos efetivamente apresentados: 567 pôsteres, 280 orais e 114 palestras convidadas.

  • 35 trabalhos premiados, 51 prêmios outorgados.

  • Até 15 salas virtuais em sessões simultâneas.

  • 10 palestras plenárias.

  • 9 palestras técnicas de expositores.

  • 1 tutorial, 2 painéis de discussão e 1 workshop.

  • 15 patrocinadores – expositores.

Reportagem do evento

Um relato para lembrar ou conhecer como foram as sessões do B-MRS Meeting + IUMRS ICEM e como o evento teve que se transformar por conta da pandemia. Acesse a reportagem aqui.

reportagem

Cobertura nas redes sociais

As postagens da SBPMat e da comunidade durante o evento nas redes sociais da SBPMat. InstagramFacebookTwitter

redes sociais

Lista de estudantes premiados

Os trabalhos e autores que receberam os prêmios da SBPMat, da ACS e da RSC às melhores contribuições apresentadas por estudantes no evento. Acesse a lista aqui.

premios

XX B-MRS Meeting: chamada de simpósios aberta

O XX B-MRS Meeting será realizado em Foz do Iguaçu de 25 a 29 de setembro de 2022, com coordenação das professoras Lucimara Stolz Roman (UFPR) e Marcela Mohallen Oliveira (UTFPR). A chamada de propostas de simpósio está aberta até o dia 31 de outubro. Saiba mais aqui.

20 encontro

CERTIFICADOS. Os certificados de participação e apresentação do XIX B-MRS Meeting + IUMRS ICEM estão disponíveis no sistema do evento mediante login e senha: https://www.eventweb.com.br/xixsbpmat-virtual/home-event/.

PROCEEDINGS. Os anais do XIX B-MRS Meeting + IUMRS ICEM estão disponíveis no site no evento: https://www.sbpmat.org.br/19encontro/proceedings/.

Siga-nos nas mídias sociais