Aniversário da SBPMat: 20 anos!


Nesta sexta-feira, dia 25 de junho, das 18h30 às 20h00, a Sociedade Brasileira de Pesquisa em Materiais (SBPMat) comemora seus 20 primeiros anos de existência com uma live. 

O evento inclui um bate-papo sobre passado, presente e futuro da pesquisa em Materiais no Brasil com ex-presidentes da SBPMat: Osvaldo Novais de Oliveira Junior (IFSC-USP), Roberto Mendonça Faria (IFSC-USP), Fernando Lázaro Freire Junior (PUC-Rio), Elson Longo (UFSCar) e Guillermo Solórzano (PUC-Rio).

O evento será transmitido no YouTube da Sociedade, que será relançado na ocasião. 


20Anos_560pxAniversário da SBPMat – 20 anos!

Quando: Sexta-feira, dia 25, das 18h30 às 20h00.

Onde: No YouTube da SBPMat.

Programação:

18h30 – 18h40 – Boas-vindas.
18h40 – 19h50 – Bate-papo com ex-presidentes da SBPMat: “Pesquisa em Materiais no Brasil – ontem, hoje e amanhã”.
19h50 – 20h00 – Encerramento: Palavras da Profa Monica Cotta, atual presidente da SBPMat.
20h00 – Brinde à SBPMat.


Sobre a criação da SBPMat

A SBPMat foi fundada em assembleia geral de constituição no dia 26 de junho de 2001. A sua criação foi conduzida por um grupo de físicos, químicos e engenheiros. Esses pesquisadores almejavam uma entidade que representasse todas as áreas do conhecimento, todas as famílias de materiais (metais, polímeros, cerâmicas) e todos os tipos de pesquisa (básica, aplicada e tecnológica) envolvidos na Ciência e Tecnologia de Materiais. O grupo de fundadores também buscava aumentar a interação entre as comunidades nacional e internacional de pesquisa em materiais, e encontrou apoio em ambas para criar a Sociedade Brasileira de Pesquisa em Materiais.

Para saber mais sobre esse processo, leia estas matérias, produzidas em 2013:

  • Resumo da história. Aqui.
  • Reportagem “História da SBPMat: concepção e gestação”, elaborada com base em documentos e entrevistas com alguns dos fundadores. Aqui.
  • Entrevista com Guillermo Solórzano, líder do processo de criação da SBPMat. Aqui.

Compartilhe lembranças e mensagens

Você tem fotos ou histórias que gostaria de compartilhar? Envie para comunicacao@sbpmat.org.br, compartilhe nas redes sociais usando a hashtag #sbpmat20anos, ou deixe a sua mensagem aqui mesmo, nos comentários.

Boletim da SBPMat. 105ª edição.


 

logo header 400

Boletim da
Sociedade Brasileira
de Pesquisa em Materiais

Edição nº 105. 31 de maio de 2021.

Artigo em Destaque

Uma equipe científica brasileira produziu nanocompósitos de óxido de grafeno e pontos quânticos ultrapequenos cuja resposta elétrica pode ser facilmente ajustada. Descoberta abre possibilidades de desenvolvimento de dispositivos mais sensíveis na área de energia e saúde. Trabalho foi reportado em The Journal of Physical Chemistry C. Saiba mais.

imagem news

XIX B-MRS Meeting + IUMRS ICEM 2021 (virtual)

logo_560

– Submissões. O XIX B-MRS Meeting recebeu mais de 1.100 resumos de 31 países da América, Europa, Ásia e África, e de todas as regiões do Brasil!

– Datas importantes. As notificações de aprovação, modificação ou rejeição serão enviadas aos autores até 8 de junho. Resumos corrigidos poderão ser ressubmetidos até 21 de junho. A notificação final para esses autores será enviada até 28 de junho.

– Simpósios. Veja a lista de simpósios, aqui.

– Orientações para apresentadores. Já estão disponíveis as instruções para as apresentações orais e de pôster, bem como orientações gerais sobre o evento virtual. Veja aqui.

– Prêmios para estudantes de graduação e pós-graduação. A submissão de resumos estendidos para participar dos prêmios pode ser feita após a aprovação do resumo e até 19 de julho. Os Bernhard Gross Awards, da SBPMat, distinguirão o melhor pôster e melhor oral de cada simpósio. Os ACS Publications Prizes, da American Chemical Society, vão outorgar prêmios em dinheiro aos melhores trabalhos de todo o evento. O RSC Award, da Royal Society of Chemistry, premiará os 6 melhores pôsteres com vouchers para compra de livros. Saiba como concorrer aos prêmios, aqui.

– Plenárias e palestra memorial. 8 cientistas de destaque internacional falarão sobre materiais bioinspirados, caracterização de materiais com alto grau de desordem estrutural, supercondutores, tecnologias microfluídicas, bioeletrônica, design inverso, semicondutores orgânicos e nanocompósitos plasmônicos. Veja nomes e bios, títulos e resumos, na página inicial do site.

– Outras atividades. Além das sessões dos simpósios e das plenárias, o evento contará com workshops e paineis de discussão sobre escrita e apresentação de trabalhos científicos; sub-representação de gênero, raça e distribuição geográfica na ciência; perovskitas e indústria fotovoltaica. Saiba mais.

– Inscrição – early registration. Desconto por early registration está disponível até 30 de julho. Confira os valores, aqui.

– Inscrição – desconto para sócios. A soma dos valores da anuidade de sócio + inscrição com desconto é menor que o valor da anuidade para não sócios. Anuidade pode ser paga junto à inscrição ou separadamente. Confira os valores, aqui.

– Inscrição – América Latina. Participantes de instituições latino-americanas pagam o mesmo valor na inscrição do que os participantes do Brasil. Confira os valores, aqui.

– Apoio e patrocínio. Esta edição virtual do evento oferece estandes virtuais e outras possibilidades para empresas e entidades interessadas em se conectar com a comunidade e exibir seus produtos e serviços. Interessados podem entrar em contato com Alexandre Alves no e-mail comercial@sbpmat.org.br.

Site do evento: https://www.sbpmat.org.br/19encontro/

Novidades de Sócios da SBPMat

Prof. Hellmut Eckert (IFSC-USP), sócio da SBPMat, foi homenageado no início de maio com uma edição especial do periódico The Journal of Physical Chemistry C, que rende tributo ao conjunto da sua obra científica na área de ressonância magnética nuclear aplicada a materiais. Saiba mais.

Eckert

Anuidades SBPMat 2021

Sócios da SBPMat podem encontrar os boletos referentes à anuidade 2021 em suas áreas de sócios, inserindo login e senha no cabeçalho do site. Estudantes e profissionais que ainda não são sócios estão convidados a fazer parte. Saiba mais.

banner socios newsletter

Ações da SBPMat

– SBPMat subscreveu a carta ao Ministro de CTI, elaborada por entidades que compõem a ICTP.br, solicitando uma série de medidas para a liberação dos recursos do FNDCT. Veja a carta.

– SBPMat e dezenas de entidades endossaram carta da ICTP.Br ao ministro da Economia Paulo Guedes solicitando informações sobre os R$ 5 bilhões adicionais ao orçamento que, segundo ele, foram recebidos pelo MCTI. Saiba mais.

– SBPMat esteve presente no Fórum das Sociedades Científicas Afiliadas à SBPC, que reuniu virtualmente representantes de 120 sociedades científicas para discutir ações e estratégias para 2021. Representaram a SBPMat a presidente Mônica Cotta e a diretora científica Andrea de Camargo. Veja a notícia.

Oportunidades

– Chamada de projetos colaborativos transnacionais na área de materiais, lançada pela Fapesp e a rede europeia M-ERA NET. Envio de pré-propostas até 15 de junho. Saiba mais.

– Abertas até 10 de junho as inscrições ao prêmio Para Mulheres na Ciência 2021, realizado pela L’Oréal Brasil, Academia Brasileira de Ciências e Unesco. Regulamento foi ajustado nesta edição para permitir maior participação de cientistas que são mães. Saiba mais.

– Inscrições abertas até 30 de junho para mestrado e doutorado em Engenharia Química, de Materiais e Processos Ambientais na PUC Rio. Saiba mais.

– Processo seletivo para mestrado e doutorado em Física na UFRN. Inscrições abertas até 13 de junho. Saiba mais.

– Inscrições abertas até 4 de julho para processo seletivo do mestrado em Física da UDESC. Saiba mais.

– Inscrições abertas até 3 de julho para o processo seletivo do mestrado em Nanociência, Processos e Materiais Avançados da UFSC – Campus Blumenau. Saiba mais.

– Seleção de bolsistas de iniciação científica (alunos de graduação) para atuar no CNPEM (Campinas, SP). Há muitos projetos na área de materiais. Inscrições abertas até 15 de junho. Saiba mais.

Dicas de leitura

Cientistas sintetizam pela primeira vez folhas bidimensionais de bifenileno, uma rede plana de átomos de carbono com propriedades eletrônicas diferentes das do grafeno (Science). Saiba mais.

– Cientistas batem recorde de resolução na visualização de átomos ao resolverem limitações de técnica desenvolvida em 2018. Solução permite localizar átomos individuais nas 3 dimensões de uma amostra (Science). Saiba mais.

– Materiais contra a escassez de água: cientistas criam microestruturas de hidrogel inspiradas em espinhos de cactos, que coletam água do ar 24 horas por dia (Nature Communications). Saiba mais.

– Cientistas conseguem “ligar” e “desligar” o antiferromagnetismo de um material, abrindo possibilidades de desenvolvimento de memórias mais rápidas, compactas e seguras do que as atuais para armazenamento de dados (Physical Review Letters). Saiba mais.

– Pesquisadores do Brasil desenvolvem biossensor de baixo custo baseado em estrutura metalorgânica que permite monitorar a interação entre proteínas, abrindo possibilidades de detecção precisa do câncer e outras doenças (Chemistry of Materials). Saiba mais.

– A Assembleia Geral das Nações Unidas anunciou nesta semana que 2022 será o Ano Internacional do Vidro. A iniciativa visa celebrar a importância social, tecnológica, científica, econômica e artística desse material. Saiba mais.

Agenda de eventos presenciais e online

VIRTUAL. 4th International Conference on Applied Surface Science. 29 a 30 de junho de 2021. Site.

– VIRTUAL. International Conference on Materials for Humanity (MH 21). 6 a 9 de julho de 2021. Site.

VIRTUAL. XIX B-MRS Meeting (Encontro da SBPMat) + IUMRS ICEM (International Conference on Electronic Materials). 30 de agosto a 3 de setembro de 2021. Site.

– 7th International Polysaccharide Conference (EPNOE 2021). Nantes (França). 11 a 15 de outubro de 2021. Site.

– 7th Meeting on Self Assembly Structures in Solution and at Interfaces. Bento Gonçalves, RS (Brasil). 3 a 5 de novembro de 2021. Site.

– 4th Workshop on Coated Tools & Multifunctional Thin Films. Campinas, SP (Brasil). 29 de março a 1 de abril de 2022. Site.

– XVIII International Small Angle Scattering Conference. Campinas, SP (Brasil). 11 a 16 setembro de 2022. Site.

Siga-nos nas redes sociais

Você pode divulgar novidades, oportunidades, eventos ou dicas de leitura da área de Materiais, e sugerir papers, pessoas e temas para as seções do boletim. Escreva para comunicacao@sbpmat.org.br.
 

Texto de ex-presidente da SBPMat na ocasião do falecimento de Sergio Mascarenhas.


[Texto do professor Roberto Mendonça Faria (IFSC-USP), ex-presidente da SBPMat.]

Prof Sergio Mascarenhas em 2012.
Prof Sergio Mascarenhas em 2012.

A Sociedade Brasileira de Pesquisa em Materiais (SBPMat) solicitou a mim a incumbência de escrever sobre um acontecimento que ninguém gostaria de ler: o falecimento do professor e cientista Sérgio Mascarenhas de Oliveira.

Sérgio Mascarenhas nasceu na cidade do Rio de Janeiro, no dia 2 de maio de 1928, onde formou-se bacharel em química pela Faculdade Nacional de Filosofia da Universidade do Brasil, em 1951, e em física pela Universidade do Rio de Janeiro, em 1952.

Em 1956, ele, junto com sua esposa a profa. Yvonne Primerano Mascarenhas, decidiu enfrentar o grande desafio de introduzir pesquisa longe dos grandes centros, como São Paulo e Rio de Janeiro. Em São Carlos eles deram início às suas brilhantes carreiras como professores e cientistas na Escola de Engenharia de São Carlos da Universidade de São Paulo. Com competência e muito trabalho, o Prof. Mascarenhas criou os primeiros laboratórios na área de Física da Matéria Condensada, segmento importante das Ciências dos Materiais, seguindo a formação que trouxe do Rio de Janeiro onde trabalhou com os mestres Joaquim Costa Ribeiro e Armando Dias Tavares, sob a inspiração do professor Bernhard Gross.

Foi criador do Instituto de Física e Química de São Carlos (do qual foi professor emérito), da unidade da Embrapa Instrumentação (CNPDIA) em São Carlos, e foi um dos responsáveis pela fundação da Universidade Federal de São Carlos. Foi professor visitante nas Universidades de Princeton, Harvard, MIT (EUA), da Universidade Nacional Autonoma e do Centro de Estudios Avanzados (México), do Institute of Physical and Chemical Research (Japan), da London University (Inglaterra), do International Center for Theoretical Physics de Trieste e Universidade de Roma (Itália). Foi diretor da Fundação de Pesquisas Adib Jatene (Instituto Cardiologia Dante Pazzanese SP), coordenou projetos do Instituto de Estudos Avançados da USP, e foi membro da Academia Brasileira de Ciências e da Academia de Ciências do Estado de São Paulo. Foi condecorado Pesquisador Emérito do CNPq, e recebeu inúmeras láureas: Comendador da Ordem Nacional do Mérito Científico da Presidência da República, Gugemheim Award (EUA), Fullbright Award (EUA), Yamada Foundation Award (Japão), prêmio de Mérito Científico na classe de Grã-Cruz, entre outras distinções honoríficas.

Deixa uma legião de estudantes e ex-estudantes que continuam sua obra em prol do desenvolvimento científico do Brasil.

Prof. Roberto Mendonça Faria.

Sergio Mascarenhas Oliveira: nota de pesar.


A SBPMat expressa profundo pesar pelo falecimento de Sérgio Mascarenhas Oliveira, professor (aposentado) da Universidade de São Paulo (USP), que faleceu no dia 31 de maio, aos 93 anos de idade.

Ele foi distinguido pela SBPMat em 2012 por meio da “Palestra memorial Joaquim da Costa Ribeiro” pelo seu impacto na comunidade brasileira de pesquisa em Materiais.

Neste momento, a Diretoria da SBPMat gostaria de lembrá-lo como um grande cientista e como um incentivador de novos talentos, que acreditava no trabalho colaborativo e na capacidade empreendedora e criativa do povo brasileiro.

Artigo em destaque: Sinergia entre óxido de grafeno e pontos quânticos para dispositivos mais sensíveis.


Frente ao interesse por dispositivos cada vez menores e de desempenho cada vez melhor, novos materiais funcionais de baixíssimas dimensões são bem-vindos. Ainda mais se as suas propriedades podem ser afinadas para atender às necessidades de cada aplicação.

Uma equipe científica brasileira desenvolveu um nanocompósito formado por folhas bidimensionais de óxido de grafeno reduzido (rGO) e pontos quânticos ultrapequenos, e encontrou a forma de ajustar as suas propriedades elétricas e ópticas, aproveitando a sinergia entre ambos os componentes. A descoberta abre possibilidades de uso desse nanomaterial no desenvolvimento de dispositivos mais sensíveis e com novas funcionalidades, para áreas como energia e saúde.

“Com os resultados surpreendentes e inovadores deste trabalho abre-se uma vertente de desenvolvimento de novos nanocompósitos visando à formação de recursos humanos e aplicações tecnológicas de ampla aplicabilidade”, afirma o professor Noelio Oliveira Dantas (UFAL e UFU), autor correspondente do artigo que reporta a descoberta em The Journal of Physical Chemistry C.

 De Minas a Alagoas

A pesquisa começou em 2016 em Minas Gerais, na Universidade Federal de Uberlândia (UFU), dentro do doutorado de Rosinildo Fideles do Nascimento, sob orientação dos professores Noelio Dantas e Anielle Christine Almeida Silva, pesquisadores com bastante experiência em novos materiais nanoestruturados, incluindo relevantes contribuições à síntese de pontos quânticos.

No Instituto de Física da UFU, mais precisamente no Laboratório de Novos Materiais Isolantes e Semicondutores, foram sintetizados e caracterizados o óxido de grafeno reduzido (derivado do grafeno que vem sendo amplamente utilizado dentro e fora do meio acadêmico) e os pontos quânticos ultrapequenos (partículas de menos de 5 nm com propriedades ópticas e eletrônicas únicas, devidas aos fenômenos quânticos que ocorrem nessa escala dimensional). Bom condutor da eletricidade, o rGO não tem, porém, comportamento semicondutor. Em compensação, a grande área superficial das folhas bidimensionais de rGO consegue acomodar de forma homogênea boas quantidades de partículas semicondutoras, como os pontos quânticos.

Mas, voltando à história deste trabalho, os pesquisadores prepararam pontos quânticos compostos por um núcleo de seleneto de cádmio (CdSe) de cerca de 1,5 nm e uma casca de sulfeto de cádmio (CdS) de menos de 1 nm. O passo seguinte foi realizado em Alagoas. De fato, em 2018, os professores Noelio e Anielle foram transferidos por meio de um processo de redistribuição de vagas para a universidade federal desse estado, a UFAL, onde criaram o Laboratório de Novos Materiais Nanoestruturados e Funcionais. Ali, Rosinildo e seus orientadores utilizaram os nanomateriais preparados na UFU para desenvolver o nanocompósito.

Com o objetivo de investigar o efeito da concentração dos pontos quânticos nas propriedades ópticas e elétricas do nanocompósito, eles produziram e caracterizaram quatro versões do material, cada uma com uma determinada proporção de rGO e pontos quânticos. Os nanocompósitos foram obtidos utilizando um método que ativa grupos de átomos presentes no rGO (carboxilas) e os predispõe a interagir com grupos presentes nas cascas dos pontos quânticos (hidroxilas). No final do processo, os dois componentes ficam fortemente ligados por meio do compartilhamento de pares de elétrons (união covalente), formando o nanocompósito.

À esquerda, a figura representa a estrutura do nanocompósito, com os pontos quânticos ultra pequenos (em amarelo e vermelho) intercalados na estrutura do óxido de grafeno reduzido (azul), À direita, gráficos que mostram a resposta elétrica das amostras.
À esquerda, a figura representa a estrutura do nanocompósito, com os pontos quânticos ultra pequenos (em amarelo e vermelho) intercalados na estrutura do óxido de grafeno reduzido (azul), À direita, gráficos que mostram a resposta elétrica das amostras.

Sinergia entre nanomateriais

Depois de sintetizar os materiais, os cientistas se valeram da infraestrutura disponível em três laboratórios do Instituto de Física da UFAL para investigar experimentalmente a influência da concentração de pontos quânticos nas propriedades dos nanocompósitos. Esta parte do trabalho envolveu a colaboração de professores, doutorandos e um pós-doc de quatro grupos de pesquisa da universidade.

A partir dos resultados desse estudo colaborativo, Rosinildo e seus orientadores confirmaram que, no nanocompósito, os pontos quânticos transferem portadores de carga (elétrons e buracos) para o rGO. Entretanto, a principal contribuição do trabalho foi demonstrar que a taxa dessa transferência de portadores de carga pode ser ajustada ao aumentar ou diminuir a concentração de pontos quânticos no material.

“Com a concentração de pontos quânticos apropriada temos uma maior resposta elétrica do nanocompósito, possibilitando o desenvolvimento de novos dispositivos mais sensíveis e funcionais”, destaca a professora Anielle, também autora correspondente do trabalho.

Aplicações

Ao iluminar o nanocompósito com a radiação adequada, os pontos quânticos absorvem a luz, a qual excita e mobiliza seus portadores de carga, que são transferidos para o rGO. O efeito se detém quando a iluminação é retirada. Com essas características, uma das aplicações mais evidentes do nanocompósito é em células solares de pontos quânticos. Nesses dispositivos ainda experimentais, mas cuja eficiência vem aumentando anualmente, são usados pontos quânticos que absorvem radiação na faixa da luz solar. A alta transferência de cargas para o rGO seria, neste caso, um diferencial.

Contudo, outros usos são também promissores. O grupo dos professores Noelio e Anielle conta com a colaboração de pesquisadores especializados no desenvolvimento de sensores e aplicações biomédicas. “Estamos finalizando novos trabalhos em que demonstramos o excelente potencial desses nanocompósitos na melhoria da resposta elétrica em sensores, bem como a sua biocompatibilidade e desenvolvimento de novas ferramentas teranósticas”, revela a professora Anielle. Plataformas teranósticas são sistemas, geralmente nanométricos, capazes de diagnosticar, tratar e monitorar problemas de saúde.

“O uso desses nanocompósitos é vasto, de aplicações tecnológicas (energia solar, sensores) a nanobiotecnológicas (sensores biológicos, ferramentas teranósticas)”, diz o professor Noelio. “O Brasil precisa investir em pesquisa que contribua diretamente com o desenvolvimento de tecnologia, bem como também criar programas que aproximem e incentivem parcerias entre empresas e pesquisadores”, manifesta o cientista.

Autores principais do artigo. A partir da esquerda: Noelio Dantas, Anielle Almeida e Rosinildo do Nascimento.
Autores principais do artigo. A partir da esquerda: Noelio Dantas, Anielle Almeida e Rosinildo do Nascimento.

Referência do artigo científico: Tuning the Optical and Electrical Properties of rGO-CdSe/CdS Ultrasmall Quantum Dot Nanocomposites. Rosinildo Fideles do Nascimento, Anielle Christine Almeida Silva, Tasso O. Sales, Artur F. Sonsin, Eduardo Jorge da Silva Fonseca, Samuel T. Souza, Ygor M. de Oliveira, Fabiane C. de Abreu, and Noelio Oliveira Dantas. The Journal of Physical Chemistry C 2021 125 (12), 6805-6811. https://doi.org/10.1021/acs.jpcc.0c09813

Contato dos autores correspondentes: Profa Anielle Christine Almeida Silva – acalmeida@fis.ufal.br. Prof. Noelio Oliveira Dantas – noelio@fis.ufal.br.


Sócio da SBPMat é homenageado com edição especial em prestigiado periódico científico.


Prof Hellmut Eckert
Prof Hellmut Eckert

O professor Hellmut Eckert, sócio da SBPMat, foi homenageado no início de maio com uma edição especial do periódico The Journal of Physical Chemistry C (ACS Publications) que rende tributo ao conjunto da sua obra científica na área de ressonância magnética nuclear aplicada a materiais. Ao longo de mais de quatro décadas de atuação, o cientista produziu mais de 500 artigos publicados em periódicos internacionais com revisão por pares.

A edição reúne 53 papers de autores de diversas instituições do mundo na área de ressonância magnética, além de um tributo dos editores convidados e uma autobiografia.

Atualmente, Hellmut Eckert é professor da USP no Instituto de Física de São Carlos (IFSC-USP, Brasil) e colaborador da Westfälische Wilhelms Universität Münster (WWU Münster, Alemanha).

Veja a edição especial virtual https://pubs.acs.org/page/jpccck/vsi/eckert-festschrift.

Boletim da SBPMat. 104ª edição.


 

logo header 400

Boletim da
Sociedade Brasileira
de Pesquisa em Materiais

Edição nº 104. 30 de abril de 2021.

Artigo em Destaque

Uma equipe científica do Brasil conseguiu produzir fibras de óxido de grafeno com formato e dimensões controladas. Para isso, os pesquisadores se basearam em conceitos de microfluídica. Flexíveis e com excelente condutividade, as fibras foram aplicadas em um transístor que poderia ser usado em dispositivos eletrônicos vestíveis. O trabalho foi recentemente publicado na Nanoscale. Saiba mais.

microfibras_news

XIX B-MRS Meeting + IUMRS ICEM 2021 (virtual)

logo_560

Dear Colleague,

We know that, after a year without the B-MRS annual meeting, our community is particularly eager to meet again around high quality science. That is why our organizing team has been working hard to ensure an interactive and fruitful virtual event this year.

In the joint event XIX B-MRS Meeting + IURMS ICEM, from August 30 to September 3, we will offer you all the possibilities to exchange information, network and chat with colleagues, lecturers and exhibitors, in a multidisciplinar and international environment.

This year, our meeting comprises 7 plenary lectures by leading scientists from around the world and more than twenty thematic symposia with invited, oral and poster sessions covering fields ranging from Biomaterials to Electronic Structure Calculations.

The meeting also features a virtual exhibition of products and services for the materials research community. And, of course, we will enjoy virtually our traditional Memorial Lecture in the opening session and, at the end of the event, the exciting Student Awards Ceremony, where more than 50 prizes and awards will be given.

Abstract submission is open until May 11th. Submit your abstract, invite your collaborators. Join us for the largest conference in the area of Materials Science in Latin America.

Kind regards,

Prof Gustavo Dalpian (Conference Chair)

– Submissão. Atendendo a pedidos da comunidade, o prazo para envio de resumos foi prorrogado até 11 de maio. Veja instruções para autores, aqui.

– Simpósios. Resumos podem ser submetidos dentro dos 24 simpósios temáticos que compõem o evento, abrangendo os mais diversos materiais, desde o design até as aplicações. Veja a lista de simpósios, aqui.

– Prêmios para estudantes de graduação e pós-graduação. Os Bernhard Gross Awards, da SBPMat, distinguirão o melhor pôster e melhor oral de cada simpósio. Os ACS Publications Prizes, da American Chemical Society, vão outorgar prêmios em dinheiro aos melhores trabalhos de todo o evento. O RSC Award, da Royal Society of Chemistry, premiará os 6 melhores pôsteres com vouchers para compra de livros. Saiba como concorrer aos prêmios, aqui.

– Plenárias e palestra memorial. 8 cientistas de destaque internacional confirmaram presença no evento. Veja aqui.

– Inscrição – early registration. Desconto por early registration está disponível até 30 de julho. Confira os valores, aqui.

– Inscrição – desconto para sócios. A soma dos valores da anuidade de sócio + inscrição com desconto é menor que o valor da anuidade para não sócios. Anuidade pode ser paga junto à inscrição ou separadamente. Confira os valores, aqui.

– Inscrição – América Latina. Participantes de instituições latino-americanas pagam o mesmo valor na inscrição do que os participantes do Brasil. Confira os valores, aqui.

– Auxílio FAPESP. Participantes de instituições paulistas com diploma de doutor podem se inscrever para participar do auxílio coletivo que será submetido à FAPESP. Se aprovado, o auxílio financiará as taxas de inscrição. Saiba mais e inscreva-se, aqui.

– Apoio e patrocínio. Esta edição virtual do evento oferece estandes virtuais e outras possibilidades para empresas e entidades interessadas em se conectar com a comunidade e exibir seus produtos e serviços. Interessados podem entrar em contato com Alexandre Alves no e-mail comercial@sbpmat.org.br.

Site do evento: https://www.sbpmat.org.br/19encontro/

Anuidades SBPMat 2021

Sócios da SBPMat podem encontrar os boletos referentes à anuidade 2021 em suas áreas de sócios, inserindo login e senha no cabeçalho do site. Estudantes e profissionais que ainda não são sócios estão convidados a fazer parte.Saiba mais.

banner socios newsletter

University Chapters

Entrevista com Roger Borges, membro e secretário do University Chapter da SBPMat na UFABC. O doutorando participou de uma mesa de discussão sobre a importância da ciência, que reuniu uma vencedora de Prêmio Nobel e 20 estudantes de universidades brasileiras dos mais diversos perfis. Veja a entrevista.

roger_news

À Luz do Candeeiro, iniciativa de divulgação de educação, ciência e tecnologia de University Chapters da SBPMat na UFCAT e UFPE, completou 20 episódios de podcasts publicados e iniciou uma série de lives em seu Instagram. Podcasts, aqui. Instagram, aqui.

candeeiro_news

Lives & Webinars

Estão disponíveis as gravações dos 7 bate-papos com empreendedores realizados ao longo do mês de março dentro do Programa Lives & Webinars da SBPMat. Cada live reuniu, em média, cerca de 80 participantes que ouviram e questionaram os fundadores de startups e empresas da área de materiais. Acesse as gravações, aqui.

Lives_logo_260px

Ações da SBPMat

– Em nota aberta, SBPMat manifesta preocupação com a nomeação da Profa. Dra. Cláudia Mansani Queda de Toledo para a presidência da CAPES. Veja a nota.

SBPMat endossa carta aberta ao Ministro da CT&I e aos presidentes da Câmara e do Senado solicitando incorporação imediata dos recursos integrais do FNDCT ao orçamento do MCTI. Veja o documento.

– SBPMat endossa o documento “União Nacional para Salvar Vidas”, que pede ações urgentes e coordenadas para mitigar os efeitos da pandemia de Covid19. Manifesto foi entregue aos presidentes do STF e do Senado. Veja o documento.

Oportunidades

– Estão abertas até 7 de junho as nomeações para o VinFuture Prize, prêmio internacional da fundação VinFuture (Vietnã), destinado a pesquisas ou inovações com impacto no desenvolvimento sustentável. Inclui um grande prêmio e prêmios para países em desenvolvimento, mulheres e campos emergentes. Informações e nomeações, aqui.

– Chamada CNPq-AIT (Brasil – Suíça) para apoiar jovens cientistas a fundar startups ou estabelecer parcerias com a indústria. Inscrições abertas até 9 de maio. Saiba mais.

– Projeto Versalhes sobre Materiais Avançados e Padrões (VAMAS) lança pesquisa para usuários de espectroscopia Raman sobre reprodutibilidade de resultados. Saiba mais e participe da pesquisa.

– Chamada de artigos para edição especial da Sensors and Actuators Reports (Elsevier) sobre pesquisa brasileira em sensores. Edição não cobrará taxa de publicação aos trabalhos aceitos. Saiba mais.

– Seleção de professor visitante do Programa de Pós-Graduação em Ciência e Engenharia dos Materiais da UFPI. Saiba mais.

Agenda de eventos presenciais e online

– WEBINAR. Solar-driven synthesis of fuels and chemicals from biomass and plastic waste. Prof Erwin Reisner (University of Cambridge, Reino Unido). 11 de maio de 2021. Site.

VIRTUAL. 4th International Conference on Applied Surface Science. 29 a 30 de junho de 2021. Site.

– VIRTUAL. International Conference on Materials for Humanity (MH 21). 6 a 9 de julho de 2021. Site.

VIRTUAL. XIX B-MRS Meeting (Encontro da SBPMat) + IUMRS ICEM (International Conference on Electronic Materials). 30 de agosto a 3 de setembro de 2021. Site.

– 7th International Polysaccharide Conference (EPNOE 2021). Nantes (França). 11 a 15 de outubro de 2021. Site.

– 7th Meeting on Self Assembly Structures in Solution and at Interfaces. Bento Gonçalves, RS (Brasil). 3 a 5 de novembro de 2021. Site.

– 4th Workshop on Coated Tools & Multifunctional Thin Films. Campinas, SP (Brasil). 29 de março a 1 de abril de 2022. Site.

– XVIII International Small Angle Scattering Conference. Campinas, SP (Brasil). 11 a 16 setembro de 2022. Site.

Siga-nos nas redes sociais

Você pode divulgar novidades, oportunidades, eventos ou dicas de leitura da área de Materiais, e sugerir papers, pessoas e temas para as seções do boletim. Escreva para comunicacao@sbpmat.org.br.

Artigo em destaque: Abordagem microfluídica para produzir fibras de grafeno.


Capa da Nanoscale destacando o trabalho. A arte foi realizada pelo aluno iniciação científica Matheus Dias.
Capa da Nanoscale destacando o trabalho. A arte foi realizada pelo aluno de iniciação científica Matheus Dias Santos.

Fazer microfibras com materiais da família do grafeno é um desafio que alguns grupos de pesquisa do mundo têm decidido enfrentar nos últimos anos. Por ser flexíveis e conduzir muito bem a eletricidade, essas estruturas alongadas de algumas dezenas de micrômetros de diâmetro têm diversas aplicações, principalmente como componentes de dispositivos eletrônicos flexíveis. Os métodos de produção das microfibras, no entanto, têm falhado no controle de suas dimensões e formato, impactando nas propriedades do material.

Agora, uma equipe científica do Brasil, liderada pela professora Cecília de Carvalho Castro Silva (Mackenzie), conseguiu vencer esse desafio mediante uma inovadora estratégia de processamento de óxido de grafeno (GO). A pesquisa foi reportada em artigo publicado na Nanoscale, revista da Royal Society of Chemistry, com  destaque em uma das capas de fundo do jornal. Além disso, o paper faz parte de uma edição especial do periódico, que reúne trabalhos de jovens pesquisadores com potencial de influenciar os rumos da nanociência e da nanotecnologia, da qual a professora Cecília foi convidada a participar.  

“Neste trabalho podemos apresentar à comunidade de Ciência e Engenharia de Materiais uma estratégia simples de se obter microfibras de óxido de grafeno (GO) com elevado controle de sua estrutura e dimensões, com formato homogêneo e diâmetro ajustável, através do uso de dispositivos microfluídicos”, diz Cecília, que é pesquisadora no MackGraphe, centro da Universidade Presbiteriana Mackenzie dedicado à pesquisa em grafeno e outros nanomateriais. A abordagem desenvolvida poderia se estender à produção de microfibras baseadas em outros materiais bidimensionais ou unidimensionais.

O trabalho agregou a expertise do MackGraphe em materiais bidimensionais para dispositivos eletro-ópticos e a experiência do Núcleo de Biomanufatura do IPT em Microfluídica (área multidisciplinar que se dedica a entender e controlar o comportamento de fluídos líquidos ou gasosos na escala micrométrica, usando para isso tubos ou câmeras que confinam os fluidos).

Interação entre fluídos

Em linhas gerais, o desafio da equipe do MackGraphe e IPT foi conseguir que as folhas de óxido de grafeno, de espessura nanométrica, se agrupem de forma homogênea e dentro da dimensão desejada, formando fibras. Para isso, os cientistas desenvolveram um dispositivo composto por agulhas e canais micrométricos, destinado a confinar dois líquidos diferentes e a fazer com que eles interajam de forma controlada.

No dispositivo microfluídico, uma dispersão de óxido de grafeno (líquido principal) e um composto com propriedades coagulantes e tensoativas (líquido de apoio) são injetados. Ambos fluem juntos em um canal, de tal modo que o líquido de apoio envolve uniformemente o líquido principal, impedindo que ele toque as paredes do dispositivo. Dessa forma, torna-se possível controlar com precisão o diâmetro das fibras que saem do dispositivo: quanto maior for a vazão do líquido de apoio, maior será a compressão que ele exerce sobre a dispersão de GO, e mais finas serão as fibras formadas. 

Para determinar de que maneira o diâmetro das microfibras poderia ser modulado em função da vazão entre os líquidos injetados, a equipe utilizou simulações computacionais. Esse trabalho teórico foi realizado pela pesquisadora Martha Lucía Mora Bejarano, do IPT, usando a técnica de fluidodinâmica computacional (CFD).

Fotografia do dispositivo microfluídico junto a uma moeda de 10 centavos de real, para referência de tamanho. A peça laranja, à esquerda, contém o injetor para ingresso do líquido que contém óxido de grafeno. No tubo preto é injetado o líquido de apoio (solução coagulante). Dentro da caixa azul, ambos os líquidos interagem. À direita está o bico de saída, que expele as microfibras de GO.
Fotografia do dispositivo microfluídico junto a uma moeda de 10 centavos de real, para referência de tamanho. A peça laranja, à esquerda, contém o injetor para ingresso do líquido que contém óxido de grafeno. No tubo preto é injetado o líquido de apoio (solução coagulante). Dentro da caixa azul, ambos os líquidos interagem. À direita está o bico de saída, que expele as microfibras de GO.

Transistores flexíveis

O método desenvolvido pela equipe brasileira inclui uma fase para melhorar as propriedades elétricas das microfibras. De fato, o óxido de grafeno, comparado com o grafeno, é um material mais fácil e barato de se produzir, mas é um isolante elétrico, devido à presença de grupos funcionais oxigenados na sua estrutura.  Contudo, tratamentos simples conseguem remover uma parte desses elementos, gerando o chamado óxido de grafeno reduzido (rGO), cuja capacidade de conduzir eletricidade atinge níveis próximos aos do grafeno puro. 

No trabalho reportado na Nanoscale, tratamentos térmicos e de microondas foram realizados nas microfibras para melhorar suas propriedades elétricas. O resultado foi muito positivo, e os pesquisadores puderam utilizar as fibras de óxido de grafeno para montar transistores (componentes básicos da eletrônica que cumprem as funções fundamentais de ligar, desligar ou amplificar a corrente elétrica). Totalmente flexíveis, esses transistores poderiam ser usados nos mais diversos dispositivos vestíveis, desde sensores para monitorar problemas de saúde até dispositivos para gerar e armazenar energia em tecidos eletrônicos.

Três imagens das microfibras obtidas pelos pesquisadores de instituições brasileiras. Acima, a fotografia destaca as dimensões a olho nu e a flexibilidade de uma das microfibras de GO. Abaixo, imagens de microscopia eletrônica de varredura. À esquerda, nó feito em uma microfibra, mostrando a flexibilidade. À direita, o corte transversal de uma microfibra permite visualizar a união de folhas de GO que forma a fibra.
Três imagens das microfibras obtidas pelos pesquisadores de instituições brasileiras. Acima, a fotografia destaca as dimensões a olho nu e a flexibilidade de uma das microfibras de GO. Abaixo, imagens de microscopia eletrônica de varredura. À esquerda, nó feito em uma microfibra, mostrando a flexibilidade. À direita, o corte transversal de uma microfibra permite visualizar a união de folhas de GO que forma a fibra.

Agregando competências

A gênese do trabalho remonta a 2017, quando a professora Cecília iniciava o desenvolvimento de microfibras de óxido de grafeno em seu grupo de pesquisa recém-criado no MackGraphe, e se deparava com inúmeros problemas com relação à estabilidade das propriedades mecânicas das fibras e ao controle da sua espessura e comprimento. 

No mesmo ano, Cecília fez parte do comitê organizador do VII Workshop de Microfluídica, que foi realizado no Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT), em São Paulo. Nesse comitê, estava também o pesquisador sênior do IPT Mario Ricardo Gongora Rubio, coordenador de um grupo de pesquisa com ampla experiência no desenvolvimento de dispositivos microfluídicos. 

“Em conversas com Mario, tivemos esta ideia de explorar o uso de dispositivos microfluídicos com focalização hidrodinâmica 3D para obtenção das microfibras de GO com elevado controle estrutural e de diâmetro”, relembra a cientista. Como a estratégia já tinha se mostrado efetiva na obtenção de microfibras poliméricas, a dupla de pesquisadores pensou em adaptá-la à produção das microfibras de óxido de grafeno.  

A ideia se concretizou no mestrado de Jaqueline Falchi da Rocha, iniciado em 2018 sob orientação da professora Cecília no Programa de Pós-graduação em Engenharia de Materiais e Nanotecnologias do Mackenzie. “Tivemos a oportunidade de submeter um projeto ao Programa Novos Talentos, do IPT, que financia bolsas de estudos de alunos promissores para desenvolverem pesquisas em conjunto com o instituto”, relata Cecília. O projeto foi aprovado, e Mario ficou como coorientador do trabalho de Jaqueline, cuja tese de mestrado foi defendida em julho de 2020.

A pesquisa recebeu financiamento das agências brasileiras CNPq, Finep e Fapesp, do Fundo Mackenzie de Pesquisa e do IPT.

Os autores do artigo: Jaqueline F. Rocha, Leandro Hostert, Martha Lucia M. Bejarano, Roberta M. Cardoso, Matheus D. Santos, Camila M. Maroneze, Mario R. Gongora-Rubio e Cecilia de Carvalho Castro Silva.
Os autores do artigo: Jaqueline F. Rocha, Leandro Hostert, Martha Lucia M. Bejarano, Roberta M. Cardoso, Matheus D. Santos, Camila M. Maroneze, Mario R. Gongora-Rubio e Cecilia de Carvalho Castro Silva.

 


Referência do artigo científico: Graphene oxide fibers by microfluidics assembly: a strategy for structural and dimensional control. Jaqueline F. Rocha, Leandro Hostert, Martha Lucia M. Bejarano, Roberta M. Cardoso, Matheus D. Santos, Camila M. Maroneze, Mario R. Gongora-Rubio and Cecilia de Carvalho Castro Silva. Nanoscale, 2021,13, 6752-6758. https://doi.org/10.1039/D0NR08380A.

Contato do autor correspondente: Profa Cecilia de Carvalho Castro Silva – cecilia.silva@mackenzie.br.


 

Secretário do University Chapter da SBPMat na UFABC participa de discussão com vencedora de Prêmio Nobel.


O doutorando Roger Borges.
O doutorando Roger Borges.

No dia 8 de abril deste ano, o doutorando Roger Borges viveu uma experiência única. Ele dividiu uma mesa de discussão (virtual) sobre a importância da ciência com outros 19 estudantes de universidades brasileiras e com a cientista May-Britt Moser, laureada com o Prêmio Nobel de Medicina em 2014. Cada um dos estudantes pôde fazer uma pergunta à nobelista. Em mais uma mesa de discussão, outros 20 estudantes puderam interagir com Serge Haroche, ganhador do Prêmio Nobel de Física em 2012.

As discussões ocorreram dentro do evento online “O Valor da Ciência”, que foi organizado pela Academia Brasileira de Ciências (ABC) e o Nobel Prize Outreach (braço de comunicação da Fundação Nobel) com apoio do Instituto Serrapilheira, com o objetivo de promover reflexões sobre a importância da ciência para a sociedade e de políticas públicas baseadas no conhecimento científico. O evento foi transmitido no canal oficial do Prêmio Nobel no YouTube.

Para participar do evento, Roger Borges passou por um processo seletivo. Na primeira etapa, 90 universidades públicas e privadas de todas as regiões do Brasil indicaram um total de 170 alunos à ABC. Na segunda fase, a ABC selecionou os 40 jovens que finalmente participaram das mesas de discussão.

Roger Borges (28 anos) é membro e secretário do University Chapter da SBPMat na Universidade Federal do ABC (UFABC) desde a criação dessa unidade, em 2019. Roger graduou-se em Ciência e Tecnologia em 2016 e em Engenharia de Materiais em 2020 – em ambos os casos pela UFABC.  Em 2018, tornou-se mestre em Nanociências e Materiais Avançados pela mesma universidade, na qual, atualmente, realiza o doutorado em Nanociências e Materiais Avançados. Desde a iniciação científica, ele tem trabalhado com pesquisa sobre materiais baseados em vidros e vitrocerâmicas para aplicações biomédicas. Tanto na graduação quanto no doutorado, ele realizou estágios de pesquisa no exterior, mais precisamente na University of Idaho (EUA), na Alfred University (EUA) e no Politecnico di Torino (Itália). É coautor de 17 artigos publicados em periódicos internacionais com revisão por pares e de 6 capítulos de livros.

Veja nossa breve entrevista com Roger Borges.

Boletim da SBPMat: – Participar de uma mesa redonda com uma vencedora de Prêmio Nobel junto a estudantes de diversas áreas e diversas instituições/regiões do Brasil é uma experiência muito especial. Comente o que mais o marcou dessa vivência. 

Roger Borges: Sem dúvida alguma, esta foi uma experiência única. Participar de um evento com um nobelista e transmitido pela The Nobel Prize foi uma grande honra para a minha carreira acadêmica, no entanto, o que mais me marcou foi a importância da diversidade dos alunos escolhidos. Houve diversidade de gênero, raça, regional e de perfil acadêmico. Consequentemente, a diversidade das perguntas foi incrível! Por exemplo, alguns alunos da região Norte fizeram perguntas mais atreladas às pautas ambientais, alunas mulheres fizeram perguntas atreladas a pautas feministas, uma aluna negra perguntou sobre importância da pluralidade na ciência, uma aluna de jornalismo perguntou sobre como combater as fake news. É neste momento que fica mais do que explícita a necessidade da diversidade na ciência, bem como políticas afirmativas que favoreçam esta diversidade. A sociedade ganha, a ciência ganha, todo mundo ganha e ninguém perde! Eu acredito que se a mesa redonda não contasse com tamanha diversidade, ela não seria tão frutífera como ela foi. Neste sentido, parabenizo a ABC que teve o cuidado intencional de garantir a diversidade da mesa redonda. Ter uma Academia de Ciências que tem esta visão é motivo de orgulho para o nosso Brasil.

Boletim da SBPMat: – Na mesa de discussão com a cientista e nobelista May-Britt Moser você perguntou de que maneira a colaboração internacional pode diminuir desigualdades em ciência e inovação em países em desenvolvimento. Quais são hoje as suas reflexões sobre o valor da ciência, da inovação e da colaboração internacional?

Roger Borges: – Nós vivemos em um mundo extremamente desigual, onde nem todos os países gozam de equidade de oportunidades de pesquisa e investimento. Na minha percepção, a ciência é a força motriz das inovações que são capazes de diminuir as desigualdades econômicas e sociais entre os diferentes países, ao mesmo passo que a ciência também é a ferramenta que dá respaldo para implementação de políticas que visam diminuir estas desigualdades. Esse é o grande valor da ciência: permitir vivermos em um mundo melhor e nos dar meios para caminharmos neste sentido. Dentro deste contexto, eu vejo que a diminuição das desigualdades – sejam elas de cunho científico, econômico ou social – é um dever de todos, isto é, dos mais e dos menos privilegiados. Assim, a colaboração internacional é um mecanismo que permite dar acesso de infraestrutura e formação de recursos humanos àqueles que não gozam das mesmas oportunidades; além de também ser uma forma de colaborar cientificamente visando desenvolver inovações e políticas que nos trilhem para um mundo com mais equidade.

Boletim da SBPMat: – Você participa do Programa UC da SBPMat, é associado da Associação Brasileira de Pesquisadores/as Negros/as (ABPN), participou de associações de estudantes brasileiros no exterior. Provavelmente você acha importante participar de grupos de pares. Comente um pouco essa questão.

Roger Borges: – Eu tenho comigo um pensamento que norteia bastante as minhas ações: quem escreve a história é quem decide ao que dar visibilidade e o que deixar cair no esquecimento. Quando você se envolve em um grupo/associação que trabalha em prol de causas que visam o desenvolvimento social e/ou científico, você pode contribuir com este grupo e ajudar a escrever a história. É neste momento que você ajuda a decidir ao que dar visibilidade. Assim, pode-se contribuir com melhorias, dar sua perspectiva, enfim, ajudar a escrever a história da forma que você acha que também seria agradável para os outros e para você. Então, se envolver com grupos e pautas que são importantes para nós é a forma que nós encontramos para dar a nossa contribuição de forma ativa e mais efetiva. Se envolver naquilo que acreditamos é extremamente importante. Em contrapartida, também é muito enriquecedor! A gente aprende muito, se atualiza, é realmente uma troca que ajuda a nos tornarmos pessoas e profissionais melhores.

Mesa de discussão com o diretor científico da Nobel Media, Adam Smith, a nobelista May-Britt Moser e 20 estudantes do Brasil.
Mesa de discussão. A partir da esquerda, o diretor científico da Nobel Media Adam Smith, a nobelista May-Britt Moser e 20 estudantes de instituições brasileiras.

 


XIX B-MRS Meeting + IUMRS ICEM 2021 – message from the chair.


may 11_siteDear Colleague,

We know that, after a year without the B-MRS annual meeting, our community is particularly eager to meet again around high quality science. That is why our organizing team has been working hard to ensure an interactive and fruitful virtual event this year.

In the joint event XIX B-MRS Meeting + IURMS ICEM, from August 30 to September 3, we will offer you all the possibilities to exchange information, network and chat with colleagues, lecturers and exhibitors, in a multidisciplinar and international environment.

This year, our meeting comprises 7 plenary lectures by leading scientists from around the world and more than twenty thematic symposia with invited, oral and poster sessions covering fields ranging from Biomaterials to Electronic Structure Calculations.

The meeting also features a virtual exhibition of products and services for the materials research community. And, of course, we will enjoy virtually our traditional Memorial Lecture in the opening session and, at the end of the event, the exciting Student Awards Ceremony, where more than 50 prizes and awards will be given.

Abstract submission is open until April 25th May 11th. Submit your abstract, invite your collaborators. Join us for the largest conference in the area of Materials Science in Latin America.

Kind regards,

Prof Gustavo Dalpian (Conference Chair)