Presidente fundador da SBPMat é eleito fellow da Microscopy Society of America (MSA).


Prof. Guillermo Solórzano
Prof. Guillermo Solórzano

O professor Guillermo Solórzano-Naranjo, um dos líderes da criação da SBPMat e o primeiro presidente da sociedade, foi nomeado fellow da Microscopy Society of America (MSA) no final de fevereiro deste ano. Dessa maneira, Solórzano-Naranjo transformou-se no primeiro acadêmico da América Latina com status de fellow na MSA.

A designação é destinada a membros seniores dessa sociedade científica que tenham contribuído significativamente para o avanço da microscopia e microanálise. No caso do professor Solórzano-Naranjo, ele foi escolhido pela sua excelência na aplicação da microscopia para resolver problemas dos materiais e pelo serviço prestado como embaixador para cooperação internacional através da microscopia.
Guillermo Solórzano-Naranjo é professor do Departamento de Engenharia Química e de Materiais da PUC-Rio. É membro do conselho da International Federation of Societies for Microscopy (IFSM), onde também é o único representante da América Latina. Além de ser presidente fundador da SBPMat, ele presidiu ou foi membro de comitês executivos de várias entidades científicas da área de microscopia, como a Sociedade Brasileira de Microscopia e Microanálise (SBMM), Sociedade Brasileira de Microscopia Eletrônica (SBME); Inter American Committee of Societies for Electron Microscopy (IACSEM); International Union of Microbeam Analysis Society (IUMAS). O professor também foi chairman da décima sétima edição do Congresso Internacional de Microscopia, realizado em 2010, pela primeira vez na América do Sul.
Solórzano-Naranjo será distinguido pela MSA na cerimônia de premiações que ocorrerá na abertura do evento  M&M2018, no dia 6 de agosto deste ano, na cidade de Baltimore (Estados Unidos).

Gente da comunidade: Conselheiro da SBPMat Carlos Roberto Grandini passa a integrar colegiado internacional de fellows da União Internacional de Sociedades de Biomateriais.


Pesquisadores do Brasil foram distinguidos com o status de “Fellow, Biomaterials Science and Engineering” (FBSE) pela União Internacional de Sociedades de Biomateriais (World’s Biomaterials Societies). O título honorário representa um reconhecimento à excelência na atuação profissional e às realizações conseguidas na área da Ciência e Engenharia de Biomateriais. Os novos fellows passam a integrar um colegiado internacional junto a cerca de 300 pesquisadores, empenhado em fortalecer e divulgar a área de Biomateriais. A honraria foi outorgada numa cerimônia durante a abertura do 10th World Biomaterials Congress, que ocorreu em Montréal (Canada) neste mês de maio.

Um dos novos FBSE do Brasil é o professor Carlos Roberto Grandini (UNESP campus Bauru), membro do Conselho Deliberativo da SBPMat e 1º vice-presidente da Sociedade Latino Americana de Biomateriais e Órgãos Artificiais (SLABO). Grandini recebeu o título honorário por suas contribuições no campo dos biomateriais metálicos e por sua liderança na comunidade científica latino-americana. Além de Grandini, tornaram-se fellows os pesquisadores brasileiros Aron Jose Pazin de Andrade (Instituto Dante Pazzanese de Cardiologia), Luís Alberto Loureiro dos Santos (UFRGS) e Marivalda de Magalhaes Pereira (UFMG).

O professor Grandini recebendo o título de “Fellow, Biomaterials Science and Engineering”.

Distinção da American Ceramic Society (ACerS) para o brasileiro Edgar Zanotto: eleito “fellow” da sociedade.


O professor Edgar Dutra Zanotto. Crédito: Enzo Kuratomi/ UFSCar.

O professor da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) Edgar Dutra Zanotto, um dos fundadores da SBPMat e pesquisador na área de Materiais há cerca de 40 anos, foi eleito fellow da American Ceramic Society (ACerS) – uma distinção outorgada anualmente a alguns poucos sócios.

O status de fellow é um reconhecimento dado a um sócio por seus pares da ACerS. De fato, os fellows da ACerS são escolhidos entre os quase 10.000 sócios da sociedade, localizados em cerca de 70 países, num processo de indicação e eleição do qual participam sócios, fellows e, na aprovação final, diretores da ACerS. Para ser eleito fellow, o sócio deve ter feito contribuições notáveis à ciência ou arte da cerâmica. No caso dos cientistas que atuam no meio acadêmico, a produção científica e tecnológica é um dos principais pontos considerados na eleição.

O professor Zanotto conta atualmente com mais de 5.500 citações e um índice H de 40, segundo o Google Scholar. Entre outras posições que ocupa, é diretor do Center for Research, Technology and Education in Vitreous Materials (CeRTEV) e editor do Journal of Non-Crystalline Solids.

A eleição dos novos fellows da ACerS será comemorada no banquete de prêmios e distinções do 118 º encontro anual da sociedade, no dia 24 de outubro deste ano em Salt Lake City, Utah, nos Estados Unidos.