Artigo de sócio da SBPMat é selecionado para coleção da Royal Society of Chemistry.


Prof Oswaldo Luiz Alves
Prof Oswaldo Luiz Alves

O professor Oswaldo Luiz Alves (IQ – Unicamp), sócio da SBPMat, é um dos autores correspondentes de um artigo selecionado para compor uma coleção temática da Royal Society of Chemistry (RSC), comemorativa do Ano Internacional da Tabela Periódica. A coleção, que pode ser acessada aqui, reúne 55 papers sobre sistemas de baixa dimensionalidade baseados em carbono e suas aplicações, publicados entre 2017 e 2019 em alguns periódicos da RSC.

O paper assinado pelo professor Alves junto a outros sete pesquisadores do Brasil reporta a toxicidade e as nanobiointerações de um óxido de grafeno funcionalizado com relação a componentes do sangue humano. O artigo foi inicialmente publicado em 2018 no Journal of Materials Chemistry B e acaba de ser destacado na coleção comemorativa, na qual é disponibilizado na modalidade de acesso aberto.

Referência do artigo: Marcelo de Sousa, Carlos H. Z. Martins, Lidiane S. Franqui, Leandro C. Fonseca, Fabrício S. Delite, Evandro M. Lanzoni, Diego Stéfani T. Martinez  and  Oswaldo L. Alves. Covalent functionalization of graphene oxide with D-mannose: evaluating the hemolytic effect and protein corona formation. J. Mater. Chem. B, 2018,6, 2803-2812. DOI:10.1039/C7TB02997G. Disponível em: https://pubs.rsc.org/en/content/articlehtml/2018/tb/c7tb02997g?page=search (HTML)

Oportunidade de doutorado em membranas com bolsa CNPq na UFPR.


CHAMADA CNPQ/EQUINOR ENERGIA LTDA. 2018 – FORMAÇÃO DE MESTRES E DOUTORES EM PETRÓLEO, GÁS NATURAL E ENERGIA RENOVÁVEL.

Título do projeto: Síntese e caracterização de membranas poliméricas para aplicação em processos de purificação do gás natural.

Pesquisador responsável: Prof. Dr. Daniel Eiras

Responsabilidades do bolsista:

• Sintetizar novos polímeros (homopolímeros, copolímeros ou membranas de matriz mista) para aplicação em processos de separação de gases por membranas.

• Produzir membranas através do método de inversão de fases.

• Caracterizar a permeabilidade a gases e a morfologia das membranas.

• Realizar outros ensaios de caracterização pertinentes ao projeto (DSC, DMA, TGA, FTIR, DRX).

Formação Acadêmica: Desejável formação em Engenharia Química, Engenharia de Materiais, Física ou Química.

Experiência: Desejável experiência em laboratório de polímeros (experiência prática). Especificamente processamento, síntese e/ou caracterização de polímeros.

Outras informações: O projeto irá envolver atividades de laboratório, portanto o(s) candidato(s) deve(m) ter interesse e disposição para realizar trabalhos experimentais.

Programa de Pós-Graduação em Engenharia e Ciência de Materiais: O bolsista deverá matricular-se no Programa de Pós-Graduação em Engenharia e Ciência de Materiais (PIPE/UFPR). As informações sobre o processo seletivo e sobre o programa podem ser encontradas no site do programa. (http://www.tecnologia.ufpr.br/portal/pipe/)

Enviar currículo e histórico do curso de mestrado para o e-mail eiras@ufpr.br até o dia 21/07/2019. Após análise de currículo será realizada uma entrevista (presencial ou por Skype) para discussão do tema do trabalho e dos interesses e objetivos do candidato interessado.

Chamada de propostas de simpósio para o XIX B-MRS Meeting + IUMRS-ICEM 2020.


A Sociedade Brasileira de Pesquisa em Materiais (SBPMat/ B-MRS) e a União Internacional de Sociedades de Pesquisa em Materiais (IUMRS) convidam a comunidade científica internacional a enviar propostas de simpósio.

logo 19 encontroEstá aberta, até 31 de outubro de 2019, a chamada de propostas de simpósio para o evento que reunirá o XIX B-MRS Meeting (o evento anual da SBPMat/B-MRS) e o IUMRS – ICEM 2020 (décima sétima edição da conferência internacional sobre materiais eletrônicos organizada bienalmente pela IUMRS). O evento será realizado de 30 de agosto a 3 de setembro de 2020 em Foz do Iguaçu (Brasil), cidade turística próxima à fronteira com a Argentina e o Paraguai, que serve de base para as visitas às deslumbrantes Cataratas do Iguaçu e para os outros atrativos dos entornos.

As propostas de simpósio podem ser submetidas por grupos de pesquisadores, de preferência de composição internacional, que desejem organizar um simpósio temático dentro do evento. O evento terá um foco especial em materiais eletrônicos devido à realização do IUMRS-ICEM. Entretanto, como ocorre em todas as edições do B-MRS Meeting, o evento abrangerá um amplo leque de temas de Ciência e Tecnologia de Materiais. São bem-vindas, portanto, propostas de simpósios em temas relativos a todos os tipos de materiais, da síntese às aplicações.

Para submeter uma proposta de simpósio, basta preencher, em idioma inglês, o formulário online disponível em http://sbpmat.org.br/proposed_symposium/.

Os simpósios constituirão o eixo principal do evento junto às palestras plenárias, as quais contarão com cientistas internacionalmente destacados, tais como Alex Zunger (University of Colorado Boulder, USA), Edson Leite (LNNano, Brazil), John Rogers (Northwestern University, USA), Luisa Torsi (Università degli Studi di Bari “A. Moro”, Italy) e Tao Deng (Shanghai Jiaotong University, China).

As propostas de simpósio serão avaliadas pelo comitê do evento, e, até o final de 2019, será divulgada a lista dos simpósios aprovados. Em fevereiro de 2020, será aberta a chamada de trabalhos, os quais deverão ser submetidos dentro dos simpósios temáticos. Os organizadores dos simpósios serão responsáveis pela avaliação dos resumos submetidos e pela programação do simpósio.

O evento conjunto XIX B-MRS Meeting + IUMRS – ICEM 2020 é coordenado pelos professores Gustavo Martini Dalpian (UFABC) na coordenação geral, Carlos Cesar Bof Bufon (LNNANO) na coordenação de programa e Flavio Leandro de Souza (UFABC) como secretário geral. No comitê internacional, o evento conta com cientistas da América, Ásia, Europa e Oceania.

As últimas edições do B-MRS Meeting reuniram entre 1.100 e 2.000 participantes de vários países do mundo, que apresentaram seus trabalhos dentro dos simpósios.

Veja o site do evento: https://www.sbpmat.org.br/19encontro/ .

Cataratas do Iguaçu. By Martin St-Amant (S23678) - Own work, CC BY 3.0, https://commons.wikimedia.org/w/index.php?curid=3946052
Cataratas do Iguaçu. By Martin St-Amant (S23678) – Own work, CC BY 3.0, https://commons.wikimedia.org/w/index.php?curid=3946052

 

XVIII Encontro da SBPMat: descontos nas inscrições.


logo médioAs inscrições ao XVIII Encontro da SBPMat/B-MRS Meeting (Balneário Camboriú, 22 a 26 de setembro de 2019) estão abertas no site do evento e têm valores diferenciados (com desconto) até 2 de agosto. Além disso, inscrições no local evento (sem desconto) estarão disponíveis durante todo o encontro.

Entre os participantes de instituições brasileiras, sócios da SBPMat têm desconto especial na inscrição. Pessoas que ainda não são sócias ou não estão com a anuidade em dia podem regularizar a situação no momento da inscrição ao evento e, assim, usufruir do desconto na inscrição e dos demais benefícios de ser sócios/sócias da SBPMat. O valor da anuidade de sócio somado ao valor da inscrição ao evento é igual ao valor da inscrição para não-sócios.

Tabela com os valores da inscrição ao evento: https://www.sbpmat.org.br/18encontro/#registration.

Valores da anuidade de sócio SBPMat e benefícios de ser sócio: https://www.sbpmat.org.br/pt/socios-sbpmat/associe-se/

 

Boletim da SBPMat. 82 ª edição.


 

logo header 400

Boletim da
Sociedade Brasileira
de Pesquisa em Materiais

Edição nº 82. 29 de junho de 2019.

Notícias da SBPMat

XVIII B-MRS Meeting/ Encontro da SBPMat (Balneário Camboriú, 22 a 26 de setembro de 2019). A programação do evento já está no site. Veja aqui. Além disso, está aberta a submissão de resumos estendidos para concorrer aos prêmios para estudantes. Saiba mais sobre os prêmios, aqui.

XIX B-MRS Meeting/ Encontro da SBPMat (Foz do Iguaçu, 30 de agosto a 3 de setembro de 2020). O evento será realizado em conjunto com a IUMRS – ICEM (International Conference on Electronic Materials). O site do evento já está no ar. Veja aqui. Além disso, está aberta, até 31 de outubro de 2019, a chamada de propostas de simpósios para o evento. Acesse o formulário de submissão de simpósios, aqui.

Eleições na SBPMat. Encerram em 1º de julho as inscrições de chapas candidatas à Diretoria da SBPMat. Saiba mais.

– Ano Internacional da Tabela Periódica. A União Internacional de Sociedades de Pesquisa em Materiais (IUMRS), da qual a SBPMat é membro, endossa o Ano Internacional da Tabela Periódica (UNESCO). Saiba mais.

Artigo em Destaque

Uma equipe científica brasileira mostrou, por meio de simulações computacionais, uma forma de controlar as propriedades eletrônicas de uma folha de grafeno e do seu substrato baseado em silício. O estudo, que foi reportado na Carbon, pode contribuir ao desenvolvimento de dispositivos eletrônicos bidimensionais. Saiba mais.

artigo_news

Cientista em Destaque

Entrevistamos Leonardo Mathias Leidens, vencedor do prêmio do CNPq à melhor iniciação científica na área de Ciências Exatas, da Terra e Engenharias. Este jovem gaúcho, recém-formado em Engenharia Química pela UCS e doutorando em Materiais nessa universidade, trabalhou com pesquisas sobre adesão de filmes de carbono amorfo em ligas ferrosas, as quais culminaram em um tratamento industrial que aumenta a adesão e na explicação do mecanismo físico-químico que gerou a melhoria. Veja nossa entrevista.

imagem leo

Novidades dos Sócios SBPMat

Sócios da SBPMat são editores de focus issue de periódico da MRS sobre nanomateriais para aplicações biomédicas. Saiba mais.

Comunidade

A SBPMat expressa profundo pesar pelo falecimento de Eloisa Biasotto Mano, Professora Emérita da UFRJ. A Professora Eloisa faleceu no dia 8 de junho de 2019, aos 94 anos de idade. Ela foi distinguida pela SBPMat em 2015 por meio da “Palestra memorial Joaquim da Costa Ribeiro”. Veja matéria biográfica sobre a professora Biasotto Mano publicada no Boletim da SBPMat em 2015, aqui.

– Completou 100 anos de idade Carlos José de Azevedo Quadros, professor aposentado do IFUSP que instalou e chefiou o primeiro laboratório de baixas temperaturas do Brasil e se destacou no estudo magneto-térmico de monocristais de semicondutores. Veja artigo sobre o professor Azevedo Quadros recentemente publicado no portal do IFUSP, aqui.

banner evento

XVIII B-MRS Meeting/ Encontro da SBPMat
(Balneário Camboriú, SC, 22 a 26 de setembro de 2019)

Site do evento: www.sbpmat.org.br/18encontro/

Programa. Está no ar a programação resumida do evento, com as atividades técnicas e sociais. Veja aqui.

Prêmios para estudantes. Para concorrer aos prêmios para estudantes de graduação e pós-graduação (Bernhard Gross Award e ACS Publications Prizes), os autores deverão submeter um resumo estendido até 14 de julho. Saiba mais, aqui.

Inscrições. Já estão abertas as inscrições. Saiba mais, aqui.

Impressão de pôsteres. É possível enviar o arquivo do pôster por e-mail e retirar a impressão no local do evento. Saiba mais.

Local do evento. O encontro será realizado no Hotel Sibara Flat & Convenções, localizado no centro da cidade, próximo a hotéis, restaurantes e lojas, e a apenas 100 metros do mar. Saiba mais, aqui.

Local da abertura. A cerimônia de abertura, a palestra memorial e o coquetel de boas-vindas serão realizados no dia 22 de setembro (domingo) no complexo Cristo Luz, uma das principais atrações turísticas da cidade. Haverá transporte para o local, saindo do Hotel Sibara a partir das 17:00. Conheça o local, aqui.

Palestra memorial. A tradicional Palestra Memorial Joaquim da Costa Ribeiro será proferida pela professora Yvonne Primerano Mascarenhas (IFSC – USP). Saiba mais sobre a palestrante homenageada, aqui.

Festa do evento. Será realizada no lounge do Green Valley, um destacado clube noturno. Saiba mais sobre o Green Valley, aqui. A festa contará com a impactante banda Brothers. Assista à Brothers, aqui.

Cidade-sede. Balneário Camboriú (SC) é um importante destino turístico que oferece praias urbanas e agrestes, ecoturismo e esportes de aventura, além de passeios de barco, bondinho, bicicleta e teleférico – tudo dentro de uma paisagem única que combina serra, mar e arranha-céus. O visitante tem acesso a muitíssimas opções de gastronomia, hospedagem e compras, bem como à agitada vida noturna que se destaca no cenário brasileiro.

Hospedagem, passagens, transfers etc. Confira as opções do hotel e da agência oficial do evento, aqui.

Palestras plenárias. Destacados cientistas de instituições da Alemanha, Espanha, Estados Unidos e Itália proferirão palestras plenárias sobre temas de fronteira no evento. Também haverá uma plenária do brasileiro Antônio José Roque da Silva, diretor do CNPEM e do projeto Sirius. Saiba mais sobre as plenárias, aqui.

Simpósios. 23 simpósios propostos pela comunidade científica internacional compõem esta edição do evento. Veja a lista de simpósios, aqui.

Organização. O chair do evento é o professor Ivan Helmuth Bechtold (Departamento de Física da UFSC) e o co-chair é o professor Hugo Gallardo (Departamento de Química da UFSC). O comitê de programa é formado pelos professores Iêda dos Santos (UFPB), José Antônio Eiras (UFSCar), Marta Rosso Dotto (UFSC) e Mônica Cotta (Unicamp). Conheça todos os organizadores, aqui.

Expositores e patrocinadores. 40 empresas e instituições já confirmaram participação no evento e apoio/patrocínio. Empresas interessadas em participar podem entrar em contato com Alexandre no e-mail comercial@sbpmat.org.br.

Dicas de Leitura

– Fatores de impacto 2018 (2019 Journal Citation Reports): veja os destaques da editora Wiley em Ciência de Materiais, aqui.

– Cientistas conseguem ampla compreensão de problemas no desempenho de baterias de íon-lítio (utilizadas por exemplo em smartphones) ao analisar o comportamento simultâneo de milhares de partículas que compõem seus eletrodos (paper da Advanced Energy Materials). Saiba mais.

– Cientistas levam material cristalino 2D a crescer seguindo curvas 3D e assim geram regiões com propriedades ópticas diferenciadas. Descoberta por ser usada para fabricar emissores de fótons e outros componentes da eletrônica do futuro (paper da Science Advances). Saiba mais.

Equipe científica com participação brasileira desenvolve rota rápida e econômica para produzir material tipo biosilicato (vitrocerâmica bioativa e bactericida criada na UFSCar, usada, por exemplo, em ossos artificiais e “olhos de vidro”). Método permite fabricação de estruturas (produtos) por impressão 3D (paper do JACS). Saiba mais.

– Pesquisadores do Brasil desenvolvem sensor portátil, econômico e fácil de usar que detecta com precisão o vírus zika na urina desde o início da infecção (papers da Scientific Reports e Talanta). Saiba mais.

Usando nanopartículas magnéticas e molécula presente em veneno de abelhas, equipe científica do IFSC-USP, Embrapa e UFSCar cria sensor barato que detecta bactérias em pequenas amostras de alimentos e bebidas em menos de meia hora (paper da Talanta). Saiba mais.

Oportunidades

– Concurso para professor de Química Geral e Nanocatálise da UFF. Saiba mais.

– Pós-doutorado do Programa de Desenvolvimento Científico e Tecnológico Regional no Estado de Mato Grosso do Sul. Saiba mais.

Eventos

X Método Rietveld. Fortaleza, CE (Brasil). 8 a 12 de julho de 2019. Site.

II Simpósio Multidisciplinar em Materiais do Centro-Oeste. Caldas Novas, GO (Brasil). 7 a 9 de agosto de 2019. Site.

20th International Sol-Gel Conference. São Petersburgo (Rússia). 25 a 30 de agosto de 2019. Site.

V Reunião Anual sobre Argilas Aplicadas. Franca, SP (Brasil). 28 a 30 de agosto de 2019. Site.

21st Materials Research Society of Serbia Annual Conference (YUCOMAT 2019) and 11th IISS World Round Table Conference on Sintering (WRTCS 2019). Herceg Novi (Montenegro). 2 a 6 de setembro de 2019. Site.

XVIII B-MRS Meeting. Balneário Camboriú, SC (Brasil). 22 a 26 de setembro de 2019. Site.

XL CBRAVIC (Brazilian Congress on Vacuum Applications in Industry and Science). 7 a 11 de outubro de 2019. Site.

XII Brazilian Symposium on Glass and Related Materials. Lavras, MG (Brasil). 22 a 25 de outubro de 2019. Site.

19th Brazilian Workshop on Semiconductor Physics. Fortaleza, CE (Brasil). 18 a 22 de novembro de 2019. Site.

XIX B-MRS Meeting e 2020 IUMRS ICEM (International Conference on Electronic Materials). Foz do Iguaçu, PR (Brasil). 30 de agosto a 3 de setembro de 2020. Site.

Siga-nos nas redes sociais

Você pode divulgar novidades, oportunidades, eventos ou dicas de leitura da área de Materiais, e sugerir papers, pessoas e temas para as seções do boletim. Escreva para comunicacao@sbpmat.org.br.

Cientista em destaque: entrevista com Leonardo Mathias Leidens, vencedor de Prêmio Destaque do CNPq em iniciação científica.


Leonardo Mathias Leidens.
Leonardo Mathias Leidens.

Quando atendeu ao telefone naquela tarde de maio, Leonardo Mathias Leidens, 24 anos, achou que estava sendo vítima de um trote. O presidente do CNPq, do outro lado da linha, estava lhe dando a notícia de que o trabalho de iniciação científica dele tinha sido escolhido como o melhor do Brasil na área de Ciências Exatas, da Terra e Engenharias, na décima sexta edição do Prêmio Destaque na Iniciação Científica e Tecnológica.

Entretanto, se Leonardo tivesse contido a emoção e houvesse podido olhar para trás naquele instante, ele teria percebido que o prêmio era, na verdade, uma consequência esperável de uma caminhada constante de passos firmes pelo conhecimento científico, além de um merecido reconhecimento à sua competência e dedicação.

Leonardo nasceu em 1995 em Caxias do Sul, município da Serra Gaúcha com cerca de 500 mil habitantes e um importante polo industrial. Depois de cursar o ensino básico em escolas públicas da cidade, sempre com excelente desempenho escolar, Leonardo ingressou, em 2013, ao curso de graduação em Engenharia Química da Universidade de Caxias do Sul (UCS), universidade comunitária com sede em Caxias do Sul, presente por meio de seus campi em oito municípios gaúchos.

No primeiro semestre de 2014, Leonardo achou uma oportunidade de começar a fazer ciência. Tornou-se bolsista de iniciação científica, sob orientação do professor Carlos A. Figueroa, líder na UCS de um grupo de pesquisa fundamental e aplicada em Ciência e Engenharia de Superfícies, que posteriormente receberia o nome de “Grupo Epipolé”. Nesse grupo, e sempre com o mesmo orientador, Leonardo trabalhou em diversas pesquisas referentes à adesão de filmes de carbono amorfo como bolsista da UCS e dos programas PIBIT e PIBIC do CNPq. Como resultado desse trabalho, Leonardo tem hoje em seu currículo Lattes nove artigos científicos (um deles como primeiro autor) publicados em periódicos internacionais com revisão por pares, incluindo algumas das melhores revistas da área de superfícies e filmes finos.

Em agosto de 2016, Leonardo saiu pela primeira vez do país para cursar dois semestres na École Supérieure des Industries Chimiques (ENSIC), na cidade de Nancy (França), após ter sido selecionado como bolsista do BRAFITEC, programa da CAPES que apoia a mobilidade de estudantes de Engenharia entre instituições do Brasil e da França. Nesse período, além de cursar disciplinas do curso e outras que complementaram sua formação, Leonardo apresentou, pela primeira vez, um trabalho em um evento científico internacional, o E-MRS 2017 Spring Meeting, realizado na cidade francesa de Estrasburgo. Para participar desse evento, aliás, Leonardo ganhou uma isenção da taxa de inscrição em uma seleção promovida pela SBPMat e a E-MRS.

Depois dessa enriquecedora experiência no exterior, em meados de 2017, Leonardo retornou a Caxias do Sul e retomou suas atividades acadêmicas na UCS, inclusive a iniciação científica no Grupo Epipolé. Em dezembro de 2018, ele concluiu o curso de bacharelado em Engenharia Química com uma média de 3,96 sobre a nota máxima de 4 no conjunto das disciplinas cursadas. Por esse fato, na colação de grau, Leonardo foi distinguido pelo Reitor da UCS com a Láurea Acadêmica.

Devido à toda a experiência vivida em mais de quatro anos como bolsista de iniciação científica, Leonardo decidiu fazer doutorado direto (sem passar pelo mestrado). Assim, no início deste ano, ele se tornou doutorando do Programa de Pós-Graduação em Engenharia e Ciência dos Materiais (PGMAT) da UCS, mais uma vez sob orientação do professor Figueroa.

No dia 23 de julho, Leonardo receberá seu Prêmio Destaque na cerimônia que será realizada em Campo Grande (MS) durante a 71ª Reunião Anual da SBPC.

Veja nossa entrevista com Leonardo.

box entrevista leo

Boletim da SBPMat: –  Você poderia nos contar brevemente como e quando começou e se desenvolveu o seu interesse pela ciência/ pesquisa? E a sua vontade de ser cientista?

Leonardo Mathias Leidens: – A curiosidade sempre foi uma característica facilmente perceptível em mim. A vontade e ansiedade em saber a origem de “tudo”, os porquês e como as coisas funcionam me levaram à ciência, mesmo que de forma um pouco inconsciente. Meus pais sempre me incentivaram a ler muito e isso foi essencial na busca das respostas das minhas perguntas e no desenvolvimento da criatividade. Mais do que isso, ainda criança, adorava reproduzir experiências simples que aprendia em programas de TV (infelizmente, a internet não estava amplamente disponível na década de 90) ou criar os próprios experimentos desajeitados quando ganhei um kit infantil de química (já que os simples, indicados nas instruções, perdiam a graça rapidamente). Curiosamente, eu demorei a entender que a união de todas essas coisas que eu fazia natural e prazerosamente poderiam formar minha profissão. Levaram alguns anos até que, no Ensino Médio, a ficha caiu e, desde lá, me dediquei a alcançar um novo objetivo: me tornar um cientista. Ingressei no curso de Engenharia Química com o intuito de participar de atividades de Iniciação Científica e seguir na carreira acadêmica.

Boletim da SBPMat: – Muito brevemente, quais foram as principais competências que você considera ter desenvolvido ao longo dos anos como bolsista de I.C.?

Leonardo Mathias Leidens: – Basicamente, o maior desenvolvimento pessoal e profissional foi o treinamento no “método científico”, ou seja, a competência inicial para a formação de um cientista. Fazer uma pergunta, buscar o estado da arte e as respostas já disponíveis para comparação com a realidade apresentada e questionar/comparar os próprios resultados se tornaram atividades cotidianas. Para conseguir desenvolver todos esses passos da pesquisa, o treinamento em equipamentos complexos, a análise de dados e a proposta de ideias e projetos foram habilidades que tiveram que ser criadas ou desenvolvidas. Além disso, no tempo de bolsista, pude melhorar idiomas, como o inglês (o idioma da ciência), além de passar a escrever com mais rigor e excelência trabalhos para revistas internacionais, congressos, relatórios e projetos.

Boletim da SBPMat: – Na sua visão, quais foram os fatores mais importantes que contribuíram à realização do trabalho premiado?

Leonardo Mathias Leidens: – Inicialmente, foram a trajetória, a estrutura e a experiência do grupo em diferentes abordagens para minimizar o problema de adesão dos filmes de carbono amorfo em ligas ferrosas que permitiram a proposta de trabalho e o resultado alcançado pois, com amplo conhecimento do sistema material estudado, foi possível investigar de maneira muito profunda o problema e as modificações positivas geradas com o uso do plasma de hidrogênio. O trunfo, na minha visão, foi a integração da ciência de base, no estudo do mecanismo físico-químico de ação do tratamento, com um problema e aplicação real, depositando os revestimentos em condições mais brandas e de maneira eficiente em substratos antes problemáticos, que tornou o trabalho completo e interessante no âmbito científico (gerando conhecimento) e industrial (em aplicações com apelo de eficiência energética).

Boletim da SBPMat: – Em outra entrevista, você fala sobre ser cientista como estilo de vida, e não apenas como profissão. Conte-nos em que consiste esse estilo de vida que o atrai.

Leonardo Mathias Leidens: – Essa frase tem, fundamentalmente, duas justificativas. Primeiramente, e como já disse anteriormente, o método científico foi um dos aprendizados mais importantes que tive ao longo desses anos. Ele não é aplicado somente na pesquisa, mas em diversas atividades. Questionar e verificar tudo (por testes e comparações) são obrigações de um cientista, dentro e fora do laboratório. Por exemplo, em uma sociedade onde um número infindável de informações (de diferentes qualidades) está disponível, o rigor se torna necessário para comparar, selecionar e verificar o quão condizente com a realidade ou com fontes seguras elas são. Por outro lado, a ciência como um estilo de vida significa viver amplamente a ciência. Integrar uma comunidade diversificada, participar de projetos e trabalhos em parceria além de poder fazer a diferença em alguma área (por menor que seja ou pareça) se torna muito mais do que uma profissão. Finalmente, fazer parte de um grupo de pessoas que, com diferentes formações, histórias e objetivos, se une e trabalha em prol da geração de conhecimento e avanço da humanidade, mesmo com tantas dificuldades, me atrai, incentiva e orgulha.

Boletim da SBPMat: – Atualmente você está no primeiro ano de seu doutorado. Você chegou a pensar em algum projeto ou caminho profissional para depois do doutoramento?

Leonardo Mathias Leidens: – Meu orientador sempre nos sugere planejar os próximos cinco anos (pelo menos)… Nem sempre é fácil, principalmente em épocas pouco estáveis. Ainda no doutorado, gostaria de participar de um período sanduíche em uma universidade no exterior pois, tendo vivido essa experiência na graduação, percebo a importância ainda maior que ela teria para minha formação científica como doutor. Posteriormente, pretendo seguir no âmbito acadêmico, como pesquisador, em alguma instituição do país ou do exterior.

Boletim da SBPMat: – Convidamos você a deixar umas dicas para nossos leitores que estão realizando trabalhos de iniciação científica na área de Materiais, respondendo à pergunta “Como desenvolver um trabalho de destaque nacional?”.

Leonardo Mathias Leidens: – É difícil sugerir, diretamente, vias para produzir um trabalho de destaque pois, de certa forma, isso se torna consequência de um trabalho bem feito e não é fruto de uma “fórmula”. Entretanto, para chegar ao objetivo, posso dizer que é necessário tomar uma posição ativa na pesquisa, propondo, sem medo ou receio, ideias próprias bem fundamentadas para um problema da área, mesmo que no início seja difícil e desafiador para um aluno de graduação. Ao gerarmos as próprias perguntas, somos incentivamos a buscar as respostas e, se elas não estiverem disponíveis, propor vias para obtê-las. Dessa forma, com muito trabalho, dedicação e discussão científica é possível transformar um projeto em um trabalho de destaque que pode contribuir para o avanço de uma área específica e, de maneira mais extensiva, da sociedade. Entretanto, uma coisa é fundamental: não desanimar completamente quando as coisas não saem como o planejado. Quando estamos na fronteira do conhecimento, nem sempre o resultado obtido é o esperado – mas isso não pode coibir o avanço em novas tentativas. Falando de mim, como IC no Grupo Epipolé sempre tive a oportunidade de participar ativamente de projetos e discussões (e não apenas acompanhar estudantes de pós-graduação ou fazer trabalhos “mecânicos”, apesar dessas atividades também fazerem parte de qualquer bolsa de IC e possuírem sua importância), mesmo como estudante dos períodos iniciais da graduação, e aproveitei todos esses momentos. Isso foi fundamental para entender como a ciência é feita e me integrar ao grupo. Mesmo com maiores responsabilidades sendo geradas nessas interações, elas foram fundamentais para o crescimento, incentivo e formação de uma base que permitiu a proposta de minhas próprias ideias, depois de um tempo de estudo e prática. Para isso, a leitura de muitos artigos científicos também foi fundamental, além de estar sempre a par das novidades da área, mas sem esquecer de prestar a devida atenção aos alicerces científicos, ou seja, nos conceitos fundamentais.

Artigo em destaque: Controlando as propriedades eletrônicas de grafeno sobre carbeto de silício.


O artigo científico de autoria de membros da comunidade brasileira de pesquisa em Materiais em destaque neste mês é: Graphene on the oxidized SiC surface and the impact of the metal intercalation. J.E.Padilha, R.B.Pontes, F. Crasto de Lima, R. Kagimura, R. H. Miwa. Carbon, Volume 145, April 2019, Pages 603-613.

Controlando as propriedades eletrônicas de grafeno sobre carbeto de silício

Um estudo baseado em simulações realizadas em supercomputadores por uma equipe científica brasileira aponta um caminho para superar o desafio de controlar as propriedades eletrônicas do grafeno. Soluções a esse desafio podem fazer a diferença no desenvolvimento de dispositivos eletrônicos bidimensionais – dimensão na qual o grafeno, rede de átomos de carbono de um átomo de espessura, se destaca pelas suas propriedades.

De fato, o grafeno é um material extremamente resistente, leve, flexível e transparente. Além disso, ele é um excelente condutor do calor e da eletricidade. Contudo, ainda é difícil controlar no grafeno a concentração e o fluxo de cargas elétricas, o que limita seu uso na eletrônica.

Soluções para driblar essa limitação tecnológica do grafeno vêm sendo propostas. Algumas delas se baseiam na inserção de pequenas proporções de átomos metálicos que modulam as propriedades eletrônicas do material sem prejudicar as outras características. O método é semelhante à dopagem do silício, cotidianamente praticada na fabricação de semicondutores para a indústria eletrônica.

Representação do sistema estudado: folha de grafeno sobre substrato de carbeto de silício oxidado com camada de átomos metálicos (no caso, ouro) intercalados.
Representação do sistema estudado: folha de grafeno sobre substrato de carbeto de silício oxidado com camada de átomos metálicos (no caso, ouro) intercalados.

Recentemente reportado no periódico científico Carbon (fator de impacto 7,466), o trabalho da equipe brasileira investigou a estrutura e as propriedades eletrônicas de uma folha de grafeno sobre um substrato de carbeto de silício (SiC) – material frequentemente usado para depositar ou fazer crescer grafeno. Nesse sistema, o grafeno se mantém unido ao substrato sem ligações químicas, por meio de forças de atração fracas e dependentes da distância, chamadas de forças de Van der Waals.

Dado que, na produção de grafeno, a presença de oxigênio costuma oxidar a superfície do carbeto de silício, os cientistas brasileiros incluíram nas simulações uma camada de óxido de silício entre o grafeno e o substrato. Finalmente, com o objetivo de compreender detalhadamente o efeito da inserção de átomos metálicos em materiais desse tipo, os cientistas acrescentaram ao sistema, nas simulações, uma camada de átomos de ouro ou alumínio, embutida na camada de óxido (no caso, Si2O5), na região da interface com o grafeno.

Por meio das simulações, os pesquisadores constataram que a presença da camada metálica modula a concentração dos portadores de cargas positivas (os chamados buracos) e negativas (os elétrons), tanto na folha de grafeno quanto no Si2O5. Além disso, os átomos de ouro e alumínio embutidos no Si2O5, que é semicondutor, induzem a formação de regiões condutoras na superfície dessa camada, nas quais se concentra o excesso de elétrons ou de buracos induzido pela presença do ouro ou do alumínio, respectivamente. Como resultado, formam-se, na superfície do Si2O5, canais condutores pelos quais fluem as cargas.

Esta série de mapas bidimensionais mostra as concentrações de elétrons e buracos na folha de grafeno nos dois sistemas de grafeno sobre a superfície de carbeto de silício terminado em Si [(a) e (c)] e terminado em C [(b) e (d)]; na presença de uma monocamada de alumínio [(a) e (b)] e o outro contendo uma camada de ouro [(c) e (d)].
Esta série de mapas bidimensionais mostra as concentrações de elétrons e buracos na folha de grafeno nos dois sistemas de grafeno sobre a superfície de carbeto de silício terminado em Si [(a) e (c)] e terminado em C [(b) e (d)]; na presença de uma monocamada de alumínio [(a) e (b)] e o outro contendo uma camada de ouro [(c) e (d)].
Finalmente, a equipe comprovou que o efeito da “dopagem” (a mudança na concentração de elétrons e buracos) pode ser potencializado mediante a aplicação de um campo elétrico externo, perpendicular à interface entre o grafeno e o substrato.

A partir dessas evidências, que foram obtidas, principalmente, por meio de simulações computacionais baseadas na Teoria do Funcional da Densidade, o trabalho sugere um caminho para controlar a concentração e o fluxo de cargas elétricas em folhas de grafeno sobre substratos de carbeto de silício. O estudo também mostra que o sistema estudado (folha de grafeno sobre carbeto de silício oxidado com camada metálica intercalada) pode ser uma boa plataforma para fazer engenharia de propriedades eletrônicas.

“A principal contribuição do trabalho é mostrar uma forma eficiente de controlar as propriedades eletrônicas do grafeno sobre uma superfície sólida recoberta com uma camada metálica, mediante a aplicação de um campo elétrico externo”, diz o professor Roberto Hiroki Miwa (Universidade Federal de Uberlândia, UFU), autor correspondente do artigo da Carbon. “Mostramos que, além de controlar o nível de dopagem do grafeno, o que é fundamental para desenvolvimento de dispositivos eletrônicos em sistemas bidimensionais (2D), a presença da monocamada metálica permite a formação de canais condutores na superfície do carbeto de silício”, completa. De acordo com Miwa, o estudo pode contribuir para o desenvolvimento de sensores, transistores e outros dispositivos eletrônicos mais rápidos e precisos quanto ao transporte de carga e a emissão de sinais.

O início do trabalho foi motivado pelo interesse dos professores da UFU Roberto Hiroki Miwa e Ricardo Kagimura em entender as interfaces grafeno/óxidos no nível atômico. O foco do estudo foi amadurecendo conforme os autores se aprofundavam na literatura científica. À medida que o volume e complexidade dos cálculos foram aumentando, a dupla envolveu novos colaboradores: um estudante do doutorado em Física da UFU (Felipe David Crasto de Lima) e professores de outras instituições (José Eduardo Padilha de Sousa, da Universidade Federal do Paraná – campus Jandaia do Sul, e Renato Borges Pontes, da Universidade Federal de Goiás).

Os autores do artigo. A partir da esquerda: J. E. Padilha, R. B. Pontes, F. Crasto de Lima, R. Kagimura, R. H. Miwa.
Os autores do artigo. A partir da esquerda: J. E. Padilha, R. B. Pontes, F. Crasto de Lima, R. Kagimura, R. H. Miwa.

Para realizar os cálculos que embasam as simulações, os autores utilizaram recursos computacionais do Centro Nacional de Processamento de Alto Desempenho em São Paulo (CENAPD) e do supercomputador SDumont do Laboratório Nacional de Computação Científica (LNCC). O trabalho contou com financiamento das agências federais CNPq e CAPES e da estadual FAPEMIG (Minas Gerais).

Sócios da SBPMat são editores de “focus issue” de periódico da MRS sobre nanomateriais para aplicações biomédicas.


Quatro jovens sócios da SBPMat formam parte da equipe de editores convidados da mais recente edição do Journal of Materials Research, periódico da Materials Research Society (MRS). São eles Bruno Vinícius Manzolli  Rodrigues (Universidade Brasil), Jorge Augusto de Moura Delezuk (IFPR), Mariana Amorim Fraga (Unifesp) e Rodrigo Sávio Pessoa (ITA).

A edição, que foi publicada online em 14 de junho, é dedicada a artigos sobre nanomateriais para aplicações médicas. Intitulada “(Nano)materials for Biomedical Applications”, a edição pode ser acessada em https://www.cambridge.org/core/journals/journal-of-materials-research/latest-issue

A partir da esquerda, Bruno Vinícius Manzolli Rodrigues (Universidade Brasil), Jorge Augusto de Moura Delezuk (IFPR), Mariana Amorim Fraga (Unifesp) e Rodrigo Sávio Pessoa (ITA).
A partir da esquerda, Bruno Vinícius Manzolli Rodrigues (Universidade Brasil), Jorge Augusto de Moura Delezuk (IFPR), Mariana Amorim Fraga (Unifesp) e Rodrigo Sávio Pessoa (ITA).

Concurso para professor de Química Geral e Nanocatálise do Departamento de Química Inorgânica da Universidade Federal Fluminense.


37-Área de Conhecimento: QUÍMICA GERAL E NANOCATÁLISE (uma vaga).

Instituto de Química – Departamento de Química Inorgânica (GQI)

Classe A: Adjunto A – 40h DE

Provas escrita, didática e prática no período de 21/10/2019 a 25/10/2019.

Formação dos candidatos: Graduação em Licenciatura em Química, Bacharelado em Química, Química Industrial, Engenharia Química e Engenharia de Materiais. Doutorado: Química, Ciências, Ciência de Materiais ou Engenharia Química.

Obs.: A prova prática consiste da apresentação oral e defesa de projeto em Nanocatálise a ser desenvolvido no Departamento de Química Inorgânica. A cópia do projeto em pdf deverá ser enviada por e-mail (gqi.egq@id.uff.br) até o dia 07 de outubro de 2019. A prova didática terá
arguição de conteúdo após a aula.

Mais informações: http://www.editais.uff.br/6424

Prêmios para trabalhos de estudantes no XVIII B-MRS Meeting: submissões até 14 de julho.


logo médioOs melhores trabalhos de estudantes de graduação e pós-graduação apresentados no XVIII B-MRS Meeting (Balneário Camboriú, 22 a 26 de setembro de 2019) receberão prêmios da SBPMat e da ACS Publications, a renomada editora de periódicos científicos da American Chemical Society.

Para concorrer aos prêmios, o autor (estudante) deve submeter, até 14 de julho, um resumo estendido adicional ao resumo convencional. Os prêmios só serão outorgados a trabalhos apresentados por estudantes nos simpósios do evento, e apenas se os autores (estudantes) estiverem presentes na cerimônia, que será realizada no encerramento do evento, no dia 26 de setembro.

A SBPMat outorgará até 46 distinções dentro do Bernhard Gross Award, tradicional prêmio da Sociedade que distingue, anualmente, os melhores trabalhos de estudantes de cada simpósio (até 1 oral e 1 pôster por simpósio). Para eleger os vencedores, o comitê considerará a qualidade do resumo estendido e da apresentação, bem como a contribuição científica do trabalho.

Dentre os trabalhos vencedores do Bernhard Gross Award, os cinco melhores orais e os cinco melhores pôsteres receberão prêmio em dinheiro (US$ 500.00) e certificado da ACS Publications.

Veja mais informações sobre os prêmios, e instruções e modelo para elaborar o resumo estendido: https://www.sbpmat.org.br/18encontro/#authors