Gente da nossa comunidade: entrevista com Fernando Lázaro Freire Junior.


O professor Fernando Lázaro Freire Júnior.

No dia 6 de maio, na Escola Naval do Rio de Janeiro, a Academia Brasileira de Ciências (ABC) realizou a cerimônia de posse de seus novos membros, eleitos em um processo de indicação e avaliação por pares realizado ao longo de 2013. Na oportunidade, 24 cientistas foram empossados como membros titulares da ABC. Entre eles, na área de Ciências Físicas, estava o professor Fernando Lázaro de Freire Junior, pesquisador da área de Materiais e ex-presidente da SBPMat.

Tendo em mente a ideia de ser pesquisador, Fernando Lázaro optou, na graduação, pelo Bacharelado em Física na Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio), formando-se em 1978.  Em 1979 começou a lecionar nessa universidade enquanto fazia, na mesma instituição, o mestrado (1979-1981) e o doutorado (1981-1985) em Física. Nesse período da pós-graduação, Fernando Lázaro fez suas primeiras intervenções científicas na área de Materiais por meio de um acelerador de íons, inicialmente utilizado por ele para trabalhos de Física Atômica.  Em 1998 foi à Università degli Studi di Padova (Itália) para fazer pós-doutorado, trabalhando com superfícies e interfaces de materiais.

De 2003 a 2008 foi Diretor do Departamento de Física da PUC-Rio. De 2008 a 2012 coordenou a Área de Física e Astronomia da Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro (FAPERJ). Na Europhysics Letters (publicação da Sociedade Europeia de Física), foi coeditor entre 2006 e 2010 e advisory editor de 2010 a 2013. Na SBPMat, cumpriu dois mandatos consecutivos como presidente,  dois como diretor científico e um como diretor financeiro.

Atualmente, Fernando Lázaro é professor titular da PUC-Rio e diretor do Centro Brasileiro de Pesquisas Físicas (CBPF), além de membro do Conselho Superior da FAPERJ e coordenador do INCT de Engenharia de Superfícies. Autor de mais de 170 artigos científicos com mais de 2.500 citações, é bolsista de Produtividade em Pesquisa do CNPq – nível 1 A. Entre seus trabalhos mais relevantes, constam vários estudos sobre materiais baseados em carbono: filmes de DLC (diamond-like carbon), nanotubos e, mais recentemente, grafeno.

Segue uma breve entrevista com o pesquisador.

Boletim da SBPMat: – Conte-nos um pouco sobre sua história: o que o levou a se tornar um cientista e a trabalhar na área de Materiais?

Fernando Lázaro Freire Jr.:  – Eu sempre gostei de Física e Matemática quando estudante do ensino médio, mas não tinha ideia em 1974, quando fiz a inscrição para o vestibular, que era possível fazer pesquisa no Brasil. Por isso fiz vestibular para Engenharia Elétrica na PUC-Rio e lá tomei conhecimento de que era possível fazer pesquisa em Física no Brasil. Fiz minha transferência para o curso de bacharelado em Física, facilitado porque em 1975 a PUC-Rio já tinha um Ciclo Básico comum a todo o Centro Técnico Científico. Com isso eu não perdi tempo. Estava no segundo ano de graduação. Minha pós-graduação, também na PUC-Rio, foi em Física Atômica, utilizando um acelerador de íons como ferramenta de trabalho. Como esse acelerador é também uma excelente ferramenta para análise de materiais, foi por esse caminho que entrei na área de Materiais.

Boletim da SBPMat: – Quais são, na sua própria avaliação, as suas principais contribuições à área de Materiais?

Fernando Lázaro Freire Jr.:  – A minha pesquisa sempre foi feita em colaboração com vários colegas e estudantes e acho que demos uma contribuição importante no estudo de filmes de carbono nanoestruturado (Diamond-like carbon films, DLC), como atestam as publicações com elevado número de citações e convites para palestras convidadas em vários congressos internacionais. Lógico que formar estudantes também tem sido importante, bem como a atuação na área de gestão, na PUC-Rio, CBPF e SBPMat.

Boletim da SBPMat: – Escolha algumas de suas publicações mais destacadas e, se possível, comente-as.

Fernando Lázaro Freire Jr.:  – O meu trabalho mais citado é um artigo na Applied Physics Letters em 1992 em coautoria com o Carlos Achete da COPPE/UFRJ e o Dante Franceschini, hoje na UFF, sobre a incorporação de nitrogênio em filmes DLC [Franceschini, D. F. ; Achete, C. A. ; Freire Junior, F. L. Internal Stress Reduction By Nitrogen Incorporation In Hard a-C:H Thin Films. Applied Physics Letters, New York, v. 60, p. 3229-3231, 1992]. Foi publicado na hora certa e tinha um resultado relevante para as aplicações desse material que era a redução da tensão interna do filme (fator importante no descolamento dos filmes dos substratos) sem significativa mudança em sua dureza.

Boletim da SBPMat: – Quais são, na sua opinião, os principais desafios da sua área de pesquisa atual para a Ciência e Engenharia de Materiais?

Fernando Lázaro Freire Jr.:  – Eu tenho trabalhado com nanotubos de carbono e grafeno. Para ambos a produção de amostras de boa qualidade de modo controlado e economicamente viável ainda é um grande obstáculo para a utilização desses materiais de modo mais amplo do que o que é verificado até o momento.

Boletim da SBPMat: – Deixe uma mensagem para nossos leitores que estão iniciando suas carreiras de cientistas.

Fernando Lázaro Freire Jr.:  – Uma mensagem de estímulo. As condições materiais de trabalho hoje estão muito melhores de quando eu comecei três décadas atrás, o mesmo vale para os salários na academia. Portanto as coisas melhoraram e tendem a continuar melhorando e eu acho viável fazer pesquisa de boa qualidade e de impacto internacional no Brasil.

Plenárias do XI Encontro: temas de fronteira e casos internacionais de inovação da área de Materiais.


O encontro de 2011 também incluiu palestras plenárias.

Seguindo o formato tradicional dos encontros da SBPMat, o evento de Florianópolis oferecerá à comunidade da pesquisa em Materiais, além dos simpósios temáticos, palestras plenárias de pesquisadores sênior provenientes de instituições de renome na área.

Neste ano, serão seis palestras de cientistas dos Estados Unidos (MIT, NASA e Laboratório Nacional de Argonne), França (Campus Minatec de inovação em micro e nanotecnologia e Instituto Jean Lamour) e Alemanha (Instituto Fraunhofer). Eles apresentarão revisões e novidades sobre diamante ultrananocristalino, óxidos multifuncionais, grafeno, nanotubos de carbono, quasicristais e outros temas de fronteira, além de compartilhar com o público casos de sucesso de transformação da ciência em inovação na área de Materiais.

Todas as plenárias vão ocorrer no Espaço Cascaes do resort Costão do Santinho. Confira abaixo algumas informações sobre as palestras e os palestrantes.

 

Science and technology of multifunctional oxide and ultrananocrystalline diamond (UNCD) films and applications to a new generation of multifunctional devices/systems. Dia 24 das 8h30 às 9h15.

Palestrante: Orlando H Auciello (Distinguished Fellow do Laboratório Nacional de Argonne). Estados Unidos. Mini CV: http://www.msd.anl.gov/auciello

Página do grupo de pesquisa: http://nano.anl.gov/

Nesta palestra, Auciello discutirá a ciência, tecnologia e engenharia de óxidos multifuncionais e filmes finos de nanocarbono (filmes de diamante ultrananocristalino) – ambos exaustivamente investigados, desenvolvidos e patenteados no Laboratório Nacional de Argonne nos últimos 15 anos.

O palestrante também abordará a integração dos mesmos em uma nova geração de dispositivos micro/nanoeletrônicos e em biossistemas e dispositivos biomédicos.

Auciello é um dos fundadores da empresa Advanced Diamond Technologies. Surgida do Laboratório Nacional de Argonne (spin-off), a empresa comercializa componentes industriais resultantes da aplicação dos filmes de diamante ultrananocristalino.

Resumo do trabalho em inglês: http://www.eventweb.com.br/xisbpmat/specific-files/manuscripts/index.php?file=xisbpmat/9292_1339166464.pdf

 

 Adhesives accelerating innovation. Dia 24 das 14h10 às 14h55.

Palestrante: Bernd Mayer (diretor do Instituto de Tecnologia de Manufatura e Materiais Avançados – IFAM – do Instituto Fraunhofer). Alemanha.

Página do grupo de pesquisa: http://www.ifam.fraunhofer.de/en.html

Nesta palestra, Bernd Mayer vai compartilhar experiências da Divisão de Tecnologia de União Adesiva e Superfícies do IFAM. O grupo trabalha orientado por grandes desafios globais, como a geração de energia com base em recursos renováveis, aquecimento global, proteção do meio ambiente, comunicação, mobilidade e miniaturização.

As atividades de pesquisa e desenvolvimento do grupo se concentram em tecnologias de adesivos e de tratamentos de superfície (a plasma, anticorrosão e tintas, entre outros).

A fim de transformar invenções em inovações, é necessário integrar novas tecnologias nos processos de produção industrial, garantindo custos convenientes e qualidade constante.  Nesta plenária, Mayer apresentará exemplos dessa integração na área de superfícies funcionalizadas destinadas a cumprir funções tais como a redução do arrasto (drag) em aeronaves e navios. O professor também abordará ferramentas e serviços que podem ser oferecidos à industria para garantir custos e qualidade, como testes, métodos não destrutivos de caracterização e etapas de otimização.

Resumo do trabalho em inglês: http://www.eventweb.com.br/xisbpmat/specific-files/manuscripts/index.php?file=xisbpmat/8458_1338383815.pdf

 

Advances in understanding the chemistry of graphene and carbon nanotubes: fundamentals and applications. Dia 25 das 8h30 às 9h15.

Palestrante: Michael Steven Strano (Massachusetts Institute of Technology – MIT). Estados Unidos.

Página do grupo de pesquisa: http://web.mit.edu/stranogroup/

Nesta palestra, Strano abordará alguns temas de pesquisa do laboratório que ele coordena no MIT. Um deles é a influência nas interações químicas das estruturas eletrônicas 1D e 2D de nanotubos de carbono e grafeno. Strano apresentará vários novos métodos de preparação e funcionalização do grafeno.

O palestrante também revisará a modificação de nanotubos de carbono semicondutores de parede simples para modular sua emissão fluorescente em resposta a moléculas específicas, criando assim um novo tipo de sensor.

Finalmente, Strano comentará a primeira fabricação de canais de íons de nanotubos de carbono de parede simples, realizada no seu laboratório.

Resumo do trabalho em inglês: http://www.eventweb.com.br/xisbpmat/specific-files/manuscripts/index.php?file=xisbpmat/11795_1342631465.pdf

 

Materials  science,  innovation  and  industry. Dia 25 das 14h10 às 14h55.

Palestrante: Jean Charles Guibert (diretor do campus Minatec de inovação em micro e nanotecnologia). França.

Página do campus: http://www.minatec.org/en/minatec

Nesta palestra, o diretor do campus Minatec de inovação em micro e nanotecnologia, Jean Charles Guibert, apresentará casos de empreendimentos surgidos da aplicação de novas propriedades de materiais e nascidos recentemente no contexto do Minatec.

O campus reúne 2.400 pesquisadores, 1.200 estudantes e 600 profissionais da indústria e da transferência de tecnologia para transformar ideias em inovação na área de micro e nanotecnologia. Na apresentação, Guibert descreverá a estrutura que o campus oferece aos pesquisadores.

Resumo do trabalho em inglês: http://www.eventweb.com.br/xisbpmat/specific-files/manuscripts/index.php?file=xisbpmat/11796_1342634162.pdf

 

Integration science and technology of advanced ceramics for energy and environmental applications. Dia 26 das 14h10 às 14h55.

Palestrante: Mrityunjay Singh (cientista chefe do Instituto Aeroespacial de Ohio, ligado ao Centro de Pesquisa Glenn da NASA). Estados Unidos.

Página do Instituto: http://www.oai.org/

Nesta palestra, Mrityunjay Singh abordará a questão das tecnologias de integração para produzir componentes com cerâmicas avançadas, principalmente visando aplicações em sistemas do setor de energia (desde a produção até a distribuição).

As tecnologias de integração permitem a fabricação de componentes cerâmicos complexos partindo de unidades geometricamente mais simples que são subsquentemente unidas a outras unidades.  Essas tecnologias viabilizam a integração de cerâmicas a outras cerâmicas ou a metais. Um fator muito importante no desenvolvimento de sistemas integrados robustos que tenham bom desempenho sob diferentes condições de operação é a compreensão detalhada de vários fatores termoquímicos e termomecânicos.

A importância dessas tecnologias é reforçada pelo impacto potencial das cerâmicas avançadas nos setores de energia, saúde, transporte e meio ambiente.

Na palestra plenária, Singh apresentará exemplos, desafios e oportunidades da integração de cerâmicas avançadas a sistemas cerâmicos e metálicos em diversas escalas (do macro ao micro).

Resumo do trabalho em inglês: http://www.eventweb.com.br/xisbpmat/specific-files/manuscripts/index.php?file=xisbpmat/11799_1342716575.pdf

 

How complexity can help: the case of Aluminum-based intermetallics. Dia 27 das 8h30 às 9h15.

Palestrante: Jean Marie Dubois (diretor do Instituto Jean Lamour, da Universidade de Nancy). França.

Página do instituto: http://www.ijl.nancy-universite.fr/

Na palestra, o diretor do Institut Jean Lamour falará sobre um conjunto de compostos intermetálicos baseados em ligas de alumínio com metais de transição e mostrará como suas propriedades dependem da complexidade dos compostos, concluindo que esses sistemas são um exemplo de criticalidade auto-organizada.

Entre esses compostos estão os quasicristais, cuja descoberta valeu o prêmio Nobel de Química de 2011 ao israelense Daniel Shechtman.

A palestra abordará também as aplicações dos quasicristais e sua relevância para tecnologias avançadas.

Resumo do trabalho em inglês: http://www.eventweb.com.br/xisbpmat/specific-files/manuscripts/index.php?file=xisbpmat/7991_1337891769.pdf