Victor C. Pandolfelli (DEMa-UFSCar) recebe pela terceira vez prêmio da ACerS (Estados Unidos) ao melhor paper sobre cerâmicas refratárias.


Professor Victor Carlos Pandolfelli (UFSCar).
Professor Victor Carlos Pandolfelli (UFSCar).

Desde a década de 1980, The American Ceramic Society (ACerS) seleciona e premia as publicações sobre cerâmicas para alta temperatura que mais contribuíram para o conhecimento no setor e as distingue com o prêmio Alfred Allen. Não há inscrição para tal prêmio, visto que a escolha se baseia em consultas às revistas indexadas na Web of Science, que são analisadas por uma equipe de especialistas.

Neste ano, em sua 18ª edição, o prêmio foi outorgado a um artigo publicado no periódico Ceramics International, assinado por três pesquisadores da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), o professor Victor Carlos Pandolfelli e as doutoras Ana Paula da Luz e Mariana Braulio,  e uma pesquisadora do Instituto de Investigaciones en Ciencia y Tecnología de Materiales (INTEMA), da Argentina, Analía Tomba Martinez. Victor C. Pandolfelli e Mariana Braulio já tinham recebido esse prêmio em duas edições anteriores, sendo, até o momento, os únicos pesquisadores que foram distinguidos três vezes com o prêmio Alfred Allen da ACerS desde que a honraria é outorgada.

O prêmio foi recebido pelos autores durante o 53rd Annual Symposium on Ceramic Refractories, realizado no final de março na cidade de St Louis (Estados Unidos). Na ocasião, o professor Pandolfelli apresentou uma palestra convidada sobre cerâmicas para alta temperatura inspiradas na natureza.

  • Veja a lista de trabalhos premiados em todas as edições do Alfred Allen Award, aqui.
  • Veja o artigo premiado na edição de 2017, aqui.
  • Veja matéria no site da ACerS sobre o simpósio, com relato da palestra do professor Pandolfelli, aqui.

Victor Pandolfelli (UFSCar) recebe prêmio de materiais cerâmicos para alta temperatura da American Ceramic Society.


Pandolfelli segurando a placa do prêmio, junto a premiados em anos anteriores, durante a cerimônia. Foto cedida por Victor Pandolfelli.

O professor Victor Carlos Pandolfelli, do Departamento de Engenharia de Materiais da Universidade Federal de São Carlos (DEMa – UFSCar), recebeu o “Theodore J. Planje — St. Louis Refractories Award – 2015“. O prêmio é a maior honraria instituída pela American Ceramic Society (ACerS) para pesquisadores ou profissionais que trabalham na área de materiais cerâmicos para alta temperatura.

Criado em 1967, o prêmio nunca havia sido outorgado a um pesquisador latino-americano ou mesmo do hemisfério sul. Não há inscrição pessoal para concorrer ao prêmio, pois a mesma é feita por indicação da comunidade internacional, posteriormente avaliada por um comitê que considera a história do candidato, suas realizações profissionais e, principalmente, o impacto da sua contribuição na área.

A premiação ocorreu durante a realização do 51st Annual Symposium on Refractories, realizado na cidade de St Louis nos Estados Unidos. Na ocasião, Pandolfelli apresentou uma palestra intitulada “The greatest challenge for the future of the materials engineering area“, na qual ressaltou que as conquistas alcançadas pelo setor no passado não garantem as vitórias para os desafios presentes e futuros. Para refletir sobre o assunto o pesquisador falou na sua apresentação sobre as evoluções na área de Engenharia de Materiais e a necessidade atual da transversalidade do conhecimento para atender os desafios da Engenharia de Sistemas Complexos.

Gente da nossa comunidade: pesquisadores do DEMa-UFSCar ganham dois prêmios da Petrobrás na área de materiais refratários.


Os pesquisadores da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), Dra. Mariana de Albuquerque Lima Braulio e Dr. Eduardo Prestes, ambos orientados pelo Prof. Dr. Victor Carlos Pandolfelli, do Departamento de Engenharia de Materiais (DEMa -UFSCar), foram contemplados com premiações concedidas pela empresa Petrobras.

O primeiro deles foi o “Prêmio Inventor 2013”, em decorrência do depósito de patente realizado no INPI (BR 10 2012 030520-8), intitulada “Sistema refratário nanoestruturado de elevada resistência a erosão e ao choque térmico”, de autoria de Eduardo Prestes, Mariana A. L. Braulio, Victor C. Pandolfelli (UFSCar) e Jorivaldo Medeiros, Daniel Telhado, Jordana Veiga (Petrobras). A solenidade de entrega ocorreu no Cenpes da Petrobras.

Já a segunda premiação se trata do “Prêmio Petrobras de Tecnologia 2013”, concedido à Mariana A. L. Braulio e Victor C. Pandolfelli, pelo trabalho “Macromercado para nanomateriais: aumentando o desempenho operacional das unidades de craqueamento catalítico (UFCC)”. O trabalho foi selecionado como o melhor na categoria doutorado no tema de tecnologia de refino e petroquímica.

Ambos os trabalhos envolveram o desenvolvimento de cerâmicas refratárias nanoestruturadas, cuja finalidade principal é o aumento de disponibilidade operacional das UFCCs. Como o lucro cessante associado a uma parada de produção pode alcançar valores próximos a US$ 500.000/dia por UFCC, esforços para se maximizar o tempo de campanha e minimizar as paradas destas unidades são essenciais. Uma vez que um dos aspectos que limitam as campanhas é a baixa vida útil dos refratários, materiais nanoestruturados de elevado desempenho foram desenvolvidos e estão em teste em escala piloto desde 2011 na Revap (Refinaria Henrique Lage da Petrobras), visando a extensão da vida útil dos equipamentos e maior segurança operacional.

Prêmios para trabalhos em cerâmicas refratárias.


Pesquisas sobre cerâmicas refratárias realizadas no âmbito do Departamento de Engenharia de Materiais (DEMa) da UFSCar, no grupo coordenado pelo professor Victor C. Pandolfelli, foram contempladas com cinco prêmios durante 2012.

A mais recente das distinções foi outorgada em novembro de 2012 pela Associação Latino-americana de Fabricantes de Refratários (ALAFAR), no XXXVI ALAFAR Congress. Na ocasião, o artigo “High-performance nano-bonded refractories for a wide-temperature range” recebeu o prêmio de melhor trabalho na área de cerâmicas de altas temperaturas. São autores desse trabalho Mariana Braulio (doutora em Ciência e Engenharia de Materiais pela UFSCar), Jorge B. Gallo (gerente da área de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação da Alcoa Alumínio S. A.), Jorivaldo Medeiros (pesquisador do CENPES-Petrobras) e Victor C. Pandolfelli.

“Embora os estudos envolvendo nanopartículas sejam hoje assuntos correntes, é raro o uso e domínio da técnica em larga escala e em produtos com preços compatíveis aos disponíveis no mercado”, explica o professor Pandolfelli. “Este estudo e desenvolvimento alia, portanto, o uso dos fundamentos científicos que possibilitam o uso de nanopartículas em materiais cerâmicos para alta temperatura (entre 800 e 1400°C) e o superior desempenho do produto obtido para uso na unidade de craqueamento catalítico de indústrias petroquímicas e calcinadores para a indústria de alumínio”, completa.

Outro trabalho premiado do grupo foi o artigo “Novel technological route to overcome the challenging magnesia hydration of cement-free alumina castables”, de autoria de Tiago M. Souza, que também é doutor em Ciência e Engenharia de Materiais pela UFSCar, Mariana A. L. Braulio e Victor C. Pandolfelli. O trabalho recebeu, em setembro deste ano, o Gustav Eirich Award 2012 – uma distinção outorgada pela empresa alemã Gustav Eirich Maschinenfabrik e o Centro Europeu de Refratários (ECRef) a trabalhos de pesquisa na área de materiais refratários. A avaliação dos trabalhos é realizada por um júri formado por profissionais europeus de indústrias, universidades e centros de pesquisas.

O artigos vencedores estão em processo de publicação em revistas internacionais.