Prêmio Capes de Tese 2015: Entrevista com o autor do trabalho premiado na área de Materiais.


Edroaldo Lummertz da Rocha, vencedor do Prêmio Capes de Tese na área de Materiais.

O percurso científico de Edroaldo Lummertz da Rocha, autor da pesquisa de doutorado agraciada com o Prêmio Capes de Tese 2015 na área de Materiais, é permeado por duas características dessa área do conhecimento: a interdisciplinaridade e o impacto dos resultados na vida das pessoas.

Depois de se formar em Ciência da Computação pela Universidade do Extremo Sul Catarinense (UNESC), Edroaldo fez mestrado em Engenharia Elétrica pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), pesquisando o transporte de fônons em geometrias fractais. Em 2010, iniciou o doutorado em Ciência e Engenharia de Materiais, também na UFSC. Com orientação do professor Carlos Renato Rambo e coorientação do professor Luismar Marques Porto, Edroaldo trabalhou na interface entre Ciência dos Materiais, Ciência da Computação e Biologia para estudar a interação entre células biológicas e bio e nanomateriais. Em 2012, Edroaldo submeteu, como primeiro autor, um artigo científico sobre simulações de interações entre nanopartículas e membranas celulares. O paper foi publicado em 2013 na Physical Chemistry Chemical Physics (DOI: 10.1039/C2CP44035K) e foi destacado na capa da revista (front cover).

De janeiro a dezembro de 2013, no contexto do doutorado, Edroaldo permaneceu nos Estados Unidos desenvolvendo uma parte de sua pesquisa de doutorado na Universidade de Harvard (Estados Unidos), mais precisamente no Wyss Institute for Biologically Inspired Engineering, uma instituição multidisciplinar e multinstitucional dedicada ao desenvolvimento de materiais e dispositivos inspirados na natureza, visando transformar a medicina e construir um mundo mais sustentável. Ali trabalhou sob orientação do professor Donald E. Ingber, fundador e diretor do Wyss.

Dois artigos de Edroaldo publicados no período do doutorado viraram capa de prestigiosas revistas.

Uma segunda capa de revista se somou ao curriculum de Edroaldo em 2014 em consequência de sua participação, junto a pesquisadores da Universidade de Harvard e outras instituições dos Estados Unidos, num trabalho do campo da Engenharia Celular (DOI:10.1016/j.cell.2014.07.020). Desta vez a distinção foi na Cell, a prestigiada revista de Ciências da Vida, cujo fator de impacto é de 32,242.

Em setembro de 2014, Edroaldo obteve o diploma de doutor ao defender a tese intitulada “Interações nanopartícula-células e biomaterial-células induzem mudanças globais em programas de expressão de genes”, a qual foi distinguida um ano depois com o Prêmio Capes de Tese na área de Materiais. Edroaldo recebeu a notícia do prêmio na cidade de Rochester, nos Estados Unidos, onde trabalha em atividades científicas como bolsista de pós-doutorado da Mayo Clinic, uma instituição do campo da Medicina dedicada à pesquisa e educação, bem como ao atendimento de pacientes.

Entrevista com Edroaldo.

Boletim da SBPMat: – Poderia nos contar muito brevemente como começou o seu interesse pela ciência e pela área de Materiais e quais foram os momentos mais importantes na sua carreira acadêmica até o momento?

Edroaldo Lummertz da Rocha: – Meu interesse pela ciência surgiu da possibilidade de fazer algo importante e ajudar as pessoas de alguma forma. O interesse pela área de Materiais surgiu devido a existência de uma classe especial de materiais, chamados nanomateriais, que poderiam ser utilizados para o desenvolvimento de novas terapias para uma variedade de doenças tais como câncer, doenças vasculares e neurodegenerativas. Não obstante, o entendimento de como nanomateriais interagem com células e tecidos biológicos é extremamente importante para o desenvolvimento de terapias seguras e efetivas.

O primeiro acontecimento mais importante da minha carreira acadêmica foi quando o professor Carlos Renato Rambo, da Universidade Federal de Santa Catarina, aceitou ser meu orientador durante o meu período de doutoramento. Foi onde tudo começou. O segundo momento mais importante foi quando eu tive a oportunidade de realizar parte do meu doutorado no instituto Wyss, na Universidade de Harvard, o que significativamente contribuiu para o desenvolvimento da minha carreira acadêmica.

Rede reguladora de genes reconstruída a partir de dados de expressão de genes provenientes de 16 tipos de células e tecidos humanos.

Boletim da SBPMat: – Qual é, na sua opinião, a principal contribuição da tese premiada?

Edroaldo Lummertz da Rocha: – A principal contribuição da minha tese foi o desenvolvimento de abordagens computacionais para sistematicamente compreender como células interagem com nanomateriais e respondem a estímulos externos. Isto pode servir como base para estudos posteriores na área de desenvolvimento de novos sistemas de liberação de fármacos e levar a uma melhor compreensão sobre como programas de expressão de genes são alterados quando nanomateriais interagem com células.

Boletim da SBPMat: – Quais foram os critérios que o guiaram para fazer uma pesquisa de qualidade destacada em nível nacional (a tese premiada)? A que fatores você atribui esta conquista?

Edroaldo Lummertz da Rocha: – Dedicação, disciplina, criatividade e uma boa equipe e colegas de trabalho são essenciais para progredir em qualquer área. Suporte da família é essencial, acima de tudo. Do ponto de vista da tese, sob orientação do professor Carlos Renato Rambo, eu tive a oportunidade de trabalhar em uma variedade de projetos e isto contribuiu para o caráter multidisciplinar da minha tese.

Boletim da SBPMat: – Convidamos você a deixar alguma mensagem para nossos leitores que estão realizando trabalhos de iniciação científica, mestrado e doutorado na área de Materiais.

Edroaldo Lummertz da Rocha: – A estrada é longa então é melhor aprender a desfrutar do caminho. Ser um cientista é algo realmente gratificante com novos desafios e possibilidades todos os dias. A esperança de descobrir algo importante e fornecer uma contribuição significativa é a força motriz que norteia a minha pesquisa. O esforço nunca é em vão e sempre existe esperança onde há perseverança.

———————————————————————–

Mais premiados no campo dos Materiais.

Vários outros trabalhos relacionados à Ciência e Engenharia de Materiais foram agraciados neste ano no Prêmio Capes de Tese, que foi outorgado às melhores teses de doutorado defendidas em 2014 e selecionadas em cada uma das 48 áreas do conhecimento reconhecidas pela Capes nos cursos de pós-graduação. O anúncio dos resultados foi feito em 31 de agosto e a entrega dos prêmios acontecerá em 10 de dezembro, em Brasília. Alguns exemplos desses trabalhos premiados:

Menção honrosa na área de Materiais. Thiers Massami Uehara. Estudo da interação de nanomateriais com modelos de membranas celulares e com células-tronco neurais. Orientador: Valtencir Zucolotto. Programa de Pós-Graduação em Ciências e Engenharia de Materiais da USP/SC. Arquivo da tese: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/18/18158/tde-27102014-134646/pt-br.php

Prêmio Capes na área de Química. Rodrigo Villegas Salvatierra. Filmes Finos de Polímeros Conjugados e Nanoestruturas de Carbono obtidos em Interfaces Líquido-Líquido: Síntese, caracterização e aplicação em dispositivos fotovoltaicos. Orientador: Aldo José Gorgatti Zarbin. Programa de Pós-Graduação em Química da UFPR. Arquivo da tese: http://dspace.c3sl.ufpr.br:8080/dspace/handle/1884/37915

Menção honrosa na área de Química. Anderson dos Reis Albuquerque. Estudo Químico-Quântico do Óxido Ti(1-x)CexO2-δ na Fase Anatase. Orientadores: Ieda Maria Garcia dos Santos (DQ-UFPB) e Júlio Ricardo Sambrano (DM-UNESP Bauru). Programa de Pós-Graduação em QUÍMICA da UFPB. Arquivo da tese: http://tede.biblioteca.ufpb.br/handle/tede/7154?locale=pt_BR . Matéria no site do CDMF: http://www.nanotecnologia.com.br/trabalho-orientado-por-professor-do-cdmf-recebe-mencao-honrosa-no-premio-capes-2015/